Top 10 maiores torneios de poker dos últimos 10 anos

janeiro 1, 2011

Havia um tempo em que ganhar os maiores torneios de poker do mundo dava-lhe o direito de comprar aquele carro esportivo que você sempre sonhou.

Esses tempos já estão bem distantes da nossa realidade, na verdade, hoje, as premiações desses torneios fazem o PIB de alguns pequenos países sentirem inveja.

Vejamos, portanto, quais foram as dez maiores premiações em torneios de poker dos últimos 10 anos.

#10 – 2008 WPT Championship, $13.2 milhões em premiações.

gus hansen wpt

Em um ano que o World Poker Tour parecia estar em baixa, o torneio conseguiu contar ainda com 545 inscrições, cada uma custando $25.000.

O campeonado contou com várias histórias interessantes como o irlandês Andy Black a  ficar deep stack e a participação do ídolo do poker online, Tom “durrrr” Dwan, caindo na bolha para a final table. Mas o verdadeiro destaque foi Gus Hansen que chegou a quase ganhar seu 5º título do WPT.

Hansen parecia destinado a vencer o evento, esmagando a mesa e o baralho. No heads-up, porém, não foi páreo para a fala mansa de David Chiu. Esse conseguiu seus 3.3 milhões do primeiro lugar.

#9 – 2008 EPT Grand Final, $13.3 milhões em premiações.

ept

A grande final do European Poker Tour foi notável por vários motivos – um deles, obviamente, era o prize pool: 13.3 milhões de dólares. Além esse foi o primeiro EPT que ofereceu uma premiação maior que o seu homólogo: o WPT.

Isso foi talvez um sinal dos tempos: que a rápida expansão do EPT faria que realizassem um evento realmente grandioso, que rivalizava com o melhor que um WPT poderia oferecer.

Dos 842 participantes, a final table constituiu-se de oito grandes jogadores, alguns de nomes bem consagrados no poker mundial tal como: Issac Baron, Luca Pagano e Antonio Esfandiari, sedentos por faturar um dos maiores prêmios da história dos torneios de poker.

Em vez disso, foi o menos aclamado canadense Glen Chorny que saiu vitorioso com seus $3.1 milhões para o primeiro lugar.

#8 – 2006 WPT Championship, $14.6 milhões em premiações.

vanessa rousso ept

2006 foi um bom ano para os torneios de poker e o EPT não foi exceção. Na sua edição daquele ano ele contou com 605 participantes que formaram um enorme prize pool: 14 milhões de dólares.

Joe Bartholdi ressurgiu durante o evento, passando de short stack para o primeiro lugar, faturando um prêmio de 3,7 milhões. Outro bom motivo para esse evento ser lembrado, foi o fato dele ter lançado a carreira da vários jovens jogadores de poker.

Vanessa Rousso acabou por perder na final table (finalizando em 7º lugar, com um prêmio de 263.625,00 dólares), mas sua participação lhe rendeu o status de Team PokerStars Pro e fama mundial por se tratar de uma mulher.

Curiosidade: Rousso e o nono lugar, Cahd Brown, estão agora casados!

#7 – 2007 WPT Championship, $15.4 milhões em premiações.

wpt carlos morensen

Esse foi peculiar. Muitos achavam que com a chegada da Unlawful Internet Gambling Act, no início daquele ano, iria causar um sério impacto no número de participantes do WPT 2007.

Em vez disso, acabou sendo o evento mais lucrativo do WPT já realizado! Com 639 participantes, a premiação extravazou os 15 milhões de dólares.

A final tabel foi memorável, com Carlos Morensen conquistando o primeiro lugar com uma premiação de $3,9 milhões e tronando-se o único jogador da história do poker a ganhar tanto um WPT quanto um Main Event da WSOP.

#6 – 2004 WSOP Main Event, $24 milhões em premiações.

greg raymer wsop

Em 2003, Chris Moneymaker ganhou o Main Event da WSOP e marcou o início do então chamado boom do poker de meados dos anos 2000.

Seu efeito sobre o jogo foi evidente. Apenas um ano mais tarde o total de prêmios da WSOP mais do que triplicou, passando de 7,8 milhões de dólares para 24 milhões.

Nesse campeonato um jogador pouco conhecido, por vezes apenas referido como “Fossilman” chegou a ganhar seus primeiros 5 milhões de dólares.

Poodemos dizer que foi esse torneio que reaaranjou o poker e sua popularidade!

#5 – 2005 WSOP Main Event, $52 milhões em premiações.

joe hachem wsop

Em 2005, a premiação do WSOP Main Event novamente duplicou, provando que o boom do poker estava em pleno vigor. 5.619 jogadores participaram do torneio, com esperanças de conquistar o prêmio de 7,5 milhões dólares do primeiro lugar.

O campeão de 2004, Greg Raymer, provou que ele não era mais um no meio da multidão, sobrevivendo até o 25 º lugar antes de seu par de reis ser derrubado.

Mike “The Mouth ” Matusow – Team Full Tilt Pro – até chegou à mesa final, mas foi o primeiro a ser eliminado. O irlandês Andy Black aparece destinado a vencer o evento no maior palco do poker do mundo. Mas no final, foi o australiano Joe Hachem que levou o prêmio principal.

2005 também marcou o fim de uma era que chegou ao fim em 2004, quando a mesa final era disputada no Binions, no centro de Las Vegas. O evento foi realizado, a partir de então, no cassino Rio.

#4 – 2007 WSOP Main Event, $59 milhões em premiações.

jerry yang wsop

Em 2007, o Main Event das WSOP gerou um prize pool enorme, mas na verdade foi a primeira vez em muitos anos que a premiação total foi menor do que do ano anterior.

Graças a novas leis de jogo em os EUA, salas de poker online foram mais restritas com o número de jogadores que poderiam enviar e, como resultado, haviam 2.415 candidatos a menos.

A mesa final foi também uma das mais fracas dos últimos tempos. Scotty Nguyen terminou em 11 º e o desconhecido Jerry Yang acabou ganhando o prêmio de 8,2 milhões dólares do primeiro lugar.

#3 – 2009 WSOP Main Event, $61 milhões em premiações.

phil ivey wsop

O WSOP Main Event de 2009 é tranquilamente um dos mais ricos torneios já realizados. Dito isto, poderia ter sido ainda mais rico. Devido a limitações de espaço centenas de jogadores foram “dispensados”, com seus buy-ins na mão, no final do primeiro dia.

Mesmo os jogadores bem conhecidos como Patrik Antonius, TJ Cloutier e “Captain” Tom Franklin foram orientados a tentar novamente no próximo ano.

Apesar do revés, 6.494 jogadores foram inscritos no torneio e criando uma das maiores prize pool da história.

Joe Cada garantiu seus $8,5 milhões e se tornou o mais jovem vencedor do Main Event da história, mas o torneio provavelmente será lembrado por ter o superstar do poker Phil Ivey à mesa final.

#2 – 2008 WSOP Main Event, $64 milhões em premiações.

peter eastgate wsop

Depois de uma caida em 2007, o WSOP voltou forte no Main Event de 2008 que atraiu 6.844 jogadores. Foi também o ano da WSOP introduziu o conceito do November Nine, atrasando a mesa final até novembro em um esforço para aumentar o interesse.

Alguns puristas do poker odiaram a mudança, mas você não pode argumentar contra os resultados. A transmissão da ESPN de 2008 teve um aumento de 46% face ao ano anterior.

Embora na tabela final faltou um jogador bem conhecido (Mike Matusow, que terminou em 30º), o nível de habilidade foi elevada com Ivan Demidov, Chino Rheem e o eventual vencedor Peter Eastgate. Aos 24 anos de idade Eastgate se tornou o mais jovem vencedor do Main Event – um título que prenderia por apenas um ano.

#1 – 2006 WSOP Main Event, $82 milhões em premiações.

jamie gold wsop

De várias maneiras o Main Event da WSOP de 2006 foi um turbilhão perfeito.

Os Estados Unidos ainda não havia mudado suas leis com relação ao jogo online e as salar de poker online ainda poderiam facilmente enciar jogadores para o Main Event. Naquele verão 8733 jogadores lotaram o hall do Rio e criaram o maior prize pool da história do poker.

Celebridades estavam em pleno vigor com Lennox Lewis, Tobey Maguire e Joanna Krupa colocando suas costeletas de poker em exposição no Main Event. Uma sala de poker online até tentou inscrever um chimpanzé, mas seu pedido acabou por ser negado.

O ex-agente de Hollywood Jamie Gold levaria o prêmio de primeiro lugar de $12 milhões, mas o seu reinado como campeão era preocupante com a controvérsia de que ele tinha de repartir com Crispin Leyser uma porcentagem de seus ganhos.

 

Obs: esse artigo não conta os torneios realizados no ano de 2010.

Impressionado com os números?

Qualquer um pode chegar nesse estágio! Confira como começar no poker online, com $50 gratuitos, aqui!


Torneios multi-table, Sit-and-go’s ou cash games?

dezembro 31, 2010
Escrito por Marcelo Yamashita Salles – Como Jogar Poker

O que são torneios multi-table, torneios sit-and-go e cash games?

Torneios multi-table são torneios que reúnem de dezenas a milhares de jogadores de uma vez. Tem data e hora marcada para acontecer. Para você ganhar dinheiro é preciso resistir e terminar entre os finalistas. Já os torneios sit-and-go (SNG) são torneios que costumam ter no máximo 10 jogadores, sem data nem hora marcada. Assim que a mesa tiver 10 jogadores sentados, a disputa começa. Normalmente a premiação fica para os três primeiros colocados. Cash games são mesas de no máximo 10 jogadores em que se disputa o Texas Hold’em a qualquer hora. Os jogadores podem entrar e sair da mesa quando quiserem. Não há hora para o jogo terminar. Diferente dos torneios, nos cash games, as fichas têm o mesmo valor em dinheiro. Os blinds também são fixos e não sobem com o tempo, ao contrário do que ocorre nos torneios.

dario minieri wsop poker artigos poquer online mtt chip leader

Dario Minieri no World Series of Poker 2007

Torneios x cash games = sobrevivência x dinheiro

A primeira e principal diferença é que nos torneios você não irá atrás das fichas acima de tudo, mas tomará decisões que o permitam chegar o mais longe possível. No cash game, você ganha ou perde dinheiro a cada mão que joga, mas nos torneios você já entra perdendo (isto é, você já gastou com o buy-in de inscrição) e só ganha se terminar entre os últimos jogadores restantes. Você ganha se sobreviver, em outras palavras. No cash game seu objetivo é conseguir o máximo possível de dinheiro, e isso permite que você tome algumas decisões arriscadas, mas estatisticamente corretas e com grande potencial de lucro. Nos torneios, nem sempre vale a pena se arriscar, mesmo que a decisão seja correta do ponto de vista matemático. Principalmente nas fases iniciais, o melhor é geralmente evitar o risco, mesmo que isso signifique abrir mão de um grande pote. Veja dessa forma: nos torneios o lucro vem da sobrevivência, no cash game o lucro vem da melhor decisão pote a pote.

Outras diferenças: tempo, variância, estratégia de jogo

Tempo – Outra grande diferença é o tempo de jogo para conseguir lucrar. Nos torneios você é obrigado a jogar até o fim para conseguir entrar na zona de premiação. Nos cash games, você pode sair a hora que quiser e pode lucrar já na primeira mão que jogar.

Variância – Variância é quantidade de dinheiro que você pode ganhar ou perder em uma sessão. De modo geral, os torneios apresentam uma variância menor que os cash games, já que a perda é limitada pelo buy-in e o valor que você ganha na faixa de premiação já está determinado. Nos cash games, os ganhos não têm limite e as perdas também podem ser maiores.

Estratégia de jogo – Cada jogo tem sua própria particularidade e forma de vencer. Essas são três formas de No Limit Hold’em que, apesar de terem basicamente as mesmas regras, exigem estratégias próprias para que o jogador se dê bem em cada uma delas. Os princípios são os mesmos, mas há particularidades que devem ser levadas em conta.

Os torneios não são todos iguais: MTT vs. SNG

Os torneios são diferentes dos cash games, certo. Mas os torneios também são diferentes entre si. Os torneios SNG são um jogo bem diferente dos torneios MTT. Para começar, os SNG são normalmente jogados com 6 a 10 pessoas, em uma mesa. Os MTT são jogados com dezenas a centenas (e pode passar de mil) jogadores. O tempo de jogo envolvido no SNG é muito menor. Em geral, você leva de meia hora a uma hora para entrar na zona de premiação de um torneio SNG. Em um torneio MTT online, você costuma levar de duas a quatro horas. Se for um torneio ao vivo, o tempo é maior e pode levar um, dois ou mais dias para que o jogo acabe. A variância é maior – muito maior – nos MTT. Nos torneios SNG você ganha ou perde pouco, e a faixa de premiação fica para 30% dos jogadores. Nos MTT, por outro lado, o valor investido é maior e a faixa de premiação fica para cerca de 10% dos participantes. Isso quer dizer que conseguir entrar na premiação do MTT é muito mais difícil, mas quem consegue ganha muito. Por isso a variância é maior.

Os cash games não são todos iguais: full ring vs. 6-max

O cash game também se apresenta em duas formas mais comuns: o full-ring, que tem 9 ou 10 jogadores por mesa, e o 6-max que tem no máximo seis jogadores por mesa. Essas duas formas são bem distintas de cash game. Você irá pagar os blinds mais vezes no 6-max, e com menos jogadores na mesa, irá acabar soltando mais seu jogo. O full ring favorece um jogo mais tight, mas o 6-max é Hold’em loose, porque se não jogar os blinds irão acabar com seu stack. O estilo de jogo da mesa também é muito diferente: ela é bem mais agressiva que uma mesa full ring. Pelo fato de os blinds rodarem a mesa mais rapidamente, os jogadores valorizam muito o roubo de blinds. A variância também é maior no 6-max, você ganha e perde mais que em uma mesa full ring.

Qual é o mais lucrativo? Qual você deveria jogar?

Os torneios SNG e o cash game 6-max são a forma mais lucrativa de poker. São neles que você deve procurar se focar para fazer crescer seu bankroll. O cash game 6-max permite que você ganhe muito dinheiro rapidamente. Nele, as fraquezas dos seus adversários ficam mais aparentes, e o fato de ser um jogo mais loose, em que você joga mais mãos por hora, faz com que o 6-max seja a escolha ideal para você lugar em cima dos seus adversários. No entanto, se você irá explorar as fraquezas dos seus adversários com mais facilidade, o mesmo vale para eles. As suas fraquezas estarão mais expostas no 6-max, e se você não tomar cuidado poderá perder muito dinheiro – e bem rápido. O SNG, por sua vez, apresenta menor variância que o 6-max e é mais “seguro” para quem está começando. Você consegue ter um controle melhor dos riscos e de quanto poderá perder e ganhar. O SNG também é uma boa opção para reconstruir seu bankroll caso você tenha tido uma série ruim no cash. Escolha uma das duas para começar, mas não deixe de aprender e praticar a outra. Em pouco tempo você irá perceber a diferença no bankroll (aprenda como contruir seu Bankroll do zero aqui).


Guia de leitura de mãos 3/5

dezembro 31, 2010

No terceiro mandamento do artigo sobre leitura de mãos iremos entender a influência do bordo na imagem que nós passamos aos nossos oponentes e, principalmente, a decifrar as possíveis combinações que podem ocorrer com vilões com determinados tamanhos de range. As partes anteriores do guia podem ser encontradas a seguir:

Parte 1; Parte 2;

 

3. Conheça o bordo.

Flops tem “texturas” diferentes, e essas texturas podem ser mais ou menos assustadoras, dependendo de sua mão e do range de seu oponente. Mais importante, pessoas diferentes respondem diferentemente a texturas de bordo diferentes. Numa board cheia de draws, se um loose agressive esta dando check-call você pode esperar que ele tenha o quase-nuts, mas se um loose e passive está dando check-call você pode esperar que ele tenha… bem, qualquer coisa!! O que afeta a textura da board? Bom vamos começar com o flop.

Suits: flops podem vir “rainbow” ( 3 naipes diferentes), “two suited” (2 de um naipe e 1 de outro) ou “monocromático” (todas as 3 com o mesmo naipe). Quanto mais “suited” for um flop, maior a mão os oponentes vão precisar pra dar call. Entretanto, perceba que muitos oponentes hiperagressivos vão estar mais propensos a apostar, dar check-raise ou float (dar call-light no flop com a intenção de roubar o pot no turn) tanto com um draw ou com um puro blefe ou um semi-blefe (draw) nesses tipos de board. Se vc é o primeiro a agir, você frequentemente pode roubar essses pots por um aposta razoavelmente pequena (2/3 do pot); se você toma call, cuidado com a flush draw! Um pouquinho de matemática: vamos supor que o flop venha com 3 espadas e você tem um espadas em sua mão. As odds de que seu oponente tenha flopado um flush pronto são 3,3% e as odds de que ele tenha flopado um flush DRAW são 15,8%. Se você flopou uma mão sólida (digamos TPTK) NÃO ENTRE EM PÂNICO E COMECE A DAR CALLS!!! Aposte e proteja sua mão contra o draw que é 4,75 mais provável que o flush pronto que te mataria. Além disso, se seu oponente realmente tem uma segunda-melhor mão, ele vai estar mais propenso a pagar uma aposta no flop monocrômico do que te pagar num turn que tenha 4 espadas (assumindo que ele não tenha uma). Aposte enquanto sua mão é a melhor e cobre bem dele se tentar completar o draw. Assim, se a board tem 3 espadas e você tem uma em sua mão os odds de seu oponente ter 2 espadas cai para 2,6% e os odds de ele ter 1 espade cai para 14,4% então as odds que seu oponente esteja num draw de flush são 5,6 vezes maiores que as odds de que ele tenha flopado o monstro. Aposte e proteja!

Conectividade: aqui estamos falando sobre quantas cartas para um straight uma board pode ter. Um flop monocrômico J-T-9 é MUITO mais perigoso que um flop monocrômico J-7-2. Sempre esteja ciente dos straight draws – eles são uma mina de ouro pra o jogador de poker “economizador” porque muitas pessoas deixam ele escapar. Quando o flop vem A-K-Q, o jogador com JTs acabou de levar o stack com o raiser pré-flop com AK. Quando a board é conectada, você precisa ficar esperto com as 2 possibilidades separadas: seu oponente pode ter 2 pair e seu oponente pode ter um open-ended straight draw. Frequentemente, 2 pares é a coisa mais assustadora, porque sua mão-fraca-mas- feita está contra um draw muito específico. Um straight draw pode se tornar um monstro quase imbatível, mas ele tem que CHEGAR LÁ primeiro. Em small stakes, muitos jogadores vão jogar passivamente um draw, dando check/call com um draw na esperança de completar, mas vão jogar agressivamente com 2 pares. Seus oponentes mais fortes vão jogar AMBAS as mãos fortemente. Quando alguém te dá raise numa mesa razoavelmente conectada você precisa decidir se ele esta provavelmente no draw ou se, ao contrário,eles floaparam um monstro. Então você vai proceder baseado na força de sua mão em relação ao range que você pensa que é provavel para esse oponente. Assim como uma suited board uma board conectada pode frequentemente ser usada como uma poderosa ferrramenta de blefe-ou semi-blefe. Digamos que seu oponente 30/11/3 dá raise prá-flop de MP e você call em posiçao com 33. Heads-up o flop vem 7-6-5, esse é REALMENTE um bom flop para se atacar agressivamente, considerando os stats do seu oponente, o raise torna overcards muito mais provável do que o normal,então os odds de que esse flop tenha completamente errado seu oponente são mais altos que o normal. Um raise no flop ou um float podem se tornar extremamente valiosos para você. Nessa análise eu estou ignorando seu inside straight draw – é virtualmente inútil, já que é altamente improvável de acontecer e tambám improvável de ser pago significativamente pelo vilão e mesmo assim ter a melhor mão. Não. Eu estou falando que esse flop é bom para você porque é improvável de ter melhorado a mão do seu oponente significativamente. Colocando a pressão necessária, você deve ganhar esse pot bem frequentemente SEM TER de chegar a um showdown.

Valor da High Card: seus oponentes adoram jogar cartas altas. Claro, você passou da fase de dar call em raises com KJo e A9o (Você JÀ passou dessa fase né?) mas eles não. Jogando essas mãos facilmente dominadas, vai se provar muito caro para seus oponentes não atentos, mas entenda essa regra geral: um flop que é pesado de cartas altas é muito mais propenso de ter se conectado com seus oponentes do que um flop que não tem muitas cartas altas. Se um A cair num bordo em um multi-way pot e eu não tenho PELO MENOS AQ, eu geralmente estou fora da mão. Não há nada que os oponentes amem mais que jogar Aces, e quando o flop vem com um Ace, seus oponentes vão se agarrar a esses A como se fossem feitos de ouro sólido. Pior ainda, um par de Ases com um kicker J (ou pior) vai estar enrascado a não ser que esse kicker se conecte ao board também. Pense sobre isso:

Digamos que vc tenha AJ em um board A-high. A próxima carta mais alta é um T. Se outro jogador tiver um A, quais são as odds para que a mão dele derrote a sua? Bem, AK e AQ obviamente lhe tem out-kicked e o improvável AA lhe tem dizimado.

Entretanto, existem 4 OUTROS Aces que te derrotam – aqueles que fizeram 2 pares. Isso significa que vc está atrás, tão frequentemente atrás quanto a frente nessa situação , e isso supondo que seu oponente tenha “só” um A! Você adiciona a isso os outros 2 pares randômicos e sets e sua mão vai ganhar no showdown menos da metade das vezes. Pior ainda, muitos oponentes vão entender a mensagem e foldar seus Ases com kickers fracos, mas não estão propensos a foldar qualquer mão que derrote você. As chances são de que se você, de algum modo, criar um grande pot, você vai estar mais propenso a estar para trás. Resumindo, proceda com grande cautela em A-high boards, mesmo se você tem um AK-high boards são bem perigosas também porque os oponentes mais looses vão jogar muitos kings especialmente suited-kings. Q’s e J’s são menos perigosos como a carta alta de um jogador mas MUITO perigosa como a carta BAIXA. Alguém disposto a jogar KJo preflop nunca foldará essa mão com um J-high flop.

Reconheça que os odds de seu oponente ter errado o board são maiores em boards de cartas baixas, e muito menores em boards de cartas altas. Isso é especialmente verdade se a board tem mais de 1 high card. Uma grande exceção a essa regra: se você DEU RAISE pré-flop – não desista quando o flop vier com uma high card, especialmente se essa carta é um A. Essa é uma chance fantástica de se roubar o pot. Estatisticamente falando, virtualmente qualquer oponente que vc poderia enfrentar tem uma chance menor de 50% de chance de ter um A nessa situação, mas se você apostar o flop eles vão pressupor que vc tenha um. Uma continuation bet standart vai ganhar o pot uma fração surpreendentemente grande do tempo. Se eles derem raise, fold e mova-se pra próxima mão.

Boards com Par: geralmente uma board com par é motivo de celebração. Por quê? Porque com uma board sem par existem nove cartas separadas no baralho não-visto que pode ter dado a alguem um par… Entretanto, com uma board COM PAR esse número cai para somente 5 cartas. Em outras palavras, agora é 50% menos provável que um oponente tenha feito uma mão boa o suficiente para continuar. Você deveria usar isso contra eles se for razoável para você assim fazê-lo. Perceba que se você deu limp pré-flop e o bordo é AAK, você pode usualmente dar check-fold, porque seu oponente não vai acreditar que você tem uma mão boa.

Entretanto se você deu raise pré-flop e o bordo vem 884, uma aposta em um pot heads-up é virtualmente OBRIGATÓRIO: seu oponente vai entender que perdeu, assumir que você tem um pocket pair e foldar ainda mais frequentemente do que foldaria para uma continuation bet típica. Boards com pares são perfeitos para a continuação da agressão pré-flop. Ademais, entenda que a maioria dos jogadores agressivos sabem disso, entao se você estiver em um pot que alguém deu raise e você tem um monstro escondido, considere um slowplay como um flop check-raise ou mesmo um check/call flop, “check/call flop, check/raise turn”.Seus alvos agressivos vão mandar uma c-bet muito frequentemente, entao vc pode pegar um blefe e ganhar um pot maior do que ganharia de outra forma. Obviamente, isso vai ser específico do oponente em questão, mas mantenha os olhos abertos para tais oportunidades.

No turn e no river, problemas similares com conectividade, naipes, cartas altas, e pares no bordo vão continuar, e vão definir a “Textura” do bordo. Como regra geral,um oponente vai continuar em boards altamente coordenados quando ele tiver uma mão forte ou um draw forte, mas um oponente loose pode continuar com tão pouco quanto top pair. Um oponente agressivo pode apostar esses boards perigosos com um draw, um combination draw (straight + flush) ou um par + draw, e mesmo apostar esses boards em um puro blefe. Um oponente passivo apostando um board perigoso, tem uma boa mão – esses caras raramente apostam seus draws. Agora, pra começar a juntar tudo isso, vamos nos mover para a 4ª  regra.