Nível mental de pensamento

janeiro 25, 2011
Escrito por Andrew Brokos – Thinking Poker
Traduzido por Herick_BR – Fórum MaisEV

Um importante aspecto de um jogo de poker vencedor é a adaptação ao level (nível) no qual seu oponente está pensando. Muitos jogadores sérios de poker entendem isso na teoria mas tem problemas de aplicar na prática. Este mês, eu quero falar sobre quais os levels de pensamento e como eles devem influenciar seu jogo.

Quando me refiro aos levels de pensamento no poker eu me refiro à profundidade na qual um jogador está pensando sobre dada situação e os fatores que ele está considerando. Estes níveis podem ser divididos como se segue:

Level 1O que eu tenho? Este jogador pensa sobre a força absoluta da mão ao invés da força relativa. Ele aposta, paga, folda ou dá raise baseado somente nas duas cartas que segura sem ligar para fatores situacionais como quais as mãos possíveis de derrotarem-no, o que seu oponente pode ter, ou o que ele representa. O tamanho das suas apostas ou o tempo de suas decisões também tendem a ser proporcionais à força da sua mão. Somente os jogadores completamente horríveis são pensadores puramente de Level 1, embora muitos jogadores fracos se revertam à esse nível em certas situações.

Level 2– O que ele tem? Este jogador tenta ler o que seu oponente tem e depois joga sua própria mão de acordo com a leitura. Se ele blefa é porque suspeita que sua mão seja a pior e não porque representou consistentemente uma mão forte nas streets anteriores. Quando ele aposta por valor no river é porque sua mão é forte em relação ao board e ao range do seu oponente e não em relação à força do range que ele representou. A maioria dos jogadores pensam no Level 2 a maior parte do tempo.

Level 3– O que ele pensa que eu tenho? Estes jogadores são cientes não somente do que eles têm, mas também do que eles representam. Eles pensam dinamicamente sobre o range de mãos do oponente baseados em como ele jogou à luz das informações que eles sabem que eles deram ao adversário sobre a própria mão. Eles irão perceber, por exemplo, que você não apostou ou aumentou quando haviam muitas possibilidades de sequência ou flush no board e, portanto, lhe darão menos créditos por uma mão grande. Eles farão também thin values bets quando eles sabem que demonstraram fraqueza e blefar quando demonstraram força mais cedo na mão. Muitos jogadores vencedores de stakes médios são primordialmente pensadores de Level 3.

Level 4– O que ele pensa que eu penso que ele tem? Os pensadores de nível 4 são oponentes verdadeiramente cheios de truques, que entram na sua mente sobre sua jogada à luz da informação que você tem sobre ele e sua mão e também a informação que você sabe que deu a ele sobre sua mão. O melhor exemplo que posso pensar sobre esse jogador é o que folda um par para seu bet no river depois do seu check e call o flop e o turn e todos os draws óbvios não bateram no river. Se o seu raciocínio é que você pensa que ele pensa que você está blefando e portanto não iria blefar mas fazer um thin bet value, então ele está empregando o níve Level 4 de pensamento.

Você pode imaginar a progressão a partir daqui e como intricado os jogos de raciocínio podem alcançar entre dois jogadores de alto nível. Porém, poucos jogadores empregam o Level 4 e acima com sucesso regularmente, em parte porque frequentemente não é necessário.

Um call de Level 3

Essa mão ocorreu durante uma partida online de heads-up com blinds 3/6 e stack efetivo de $600. Meu oponente, um bom mas não ótimo jogador, deu raise pra $18 no botão e eu paguei com Kc6c do BB. O flop veio 9h 6d 4c, me dando o segundo melhor par e um bom kicker além de um back door flush draw. Eu dei check e paguei um bet de $28.

Um 7c melhorou meu flush draw e eu dei check novamente. Meu oponente também deu check e o river foi o 8s. Esta era uma carta ruim, não tanto porque era uma overcard pro meu par, mas porque completava 4 cartas em seqüência no board. Eu dei check novamente e meu oponente bet $70 em um pote de $74.

Porque eu esperava que esse fosse um jogador de Level 2, como até bons jogadores fazem quando chega a hora de apostar por valor no river, eu percebi que ele não faria um thin value bet aqui. Minha jogada passiva tinha representado uma mão fraca de um par que estava muito ameaçada no river. Logo, eu esperava que seu range consistisse de exatamente straights ou blefes. Depois eu conclui que essa era uma carta tão boa para ele blefar que ele apostaria mãos como a Ace-high que teriam algum, mas muito pouco valor no showdon, uma vez que minha mão parecia muito com um par pequeno.

Esse foi um pensamento de Level 3 da minha parte: Eu considerei da força sua sua mão e também o tipo de mão que eu representava. Um jogador Level 4 poderia me explorar aqui dando value bet em algo como dois pares. No entanto, eu não achava que esse jogador era capaz disso. Eu paguei o bet e ele me mostrou 4h 2h. Como eu suspeitava, ele tinha aplicado um cálculo suficiente nas possíveis mãos que eu tinha para perceber que um par não era suficiente para ganhar o pote, mas somente um blefe. Ele estava usando a lógica do Level 2 com seu bet no river, e pensando um level à frente dele, eu tomei a decisão correta.

Overthinking

Agora vejamos o que acontece quando eu tento aplicar o Level 3 contra um pensador de Level 1. Esta mão também ocorreu num heads up $3/$6, $600 de stacks efetivos, mas contra um oponente muito mais fraco.
Eu aumentei para $18 com 8c 7h no botão, e meu oponente fez um re-raise para $36, o qual eu paguei. O flop veio 7s 5s 5d. Ele deu check e eu também, um pouco suspeito pelo tiny re-raise pre-flop.

O turn foi um 8h. Ele deu bet $45, e eu paguei. O river foi um 9d, e ele bet $120 num pote de $162.
Nesse ponto, eu fiz duas suposições erradas sobre meu oponente. A primeira é que seu mini pre-flop re-raise viria quase sempre de cartas maiorias como um grande par ou um Ás grande. Logo, eu não estava particularmente preocupado sobre meu oponente ter 5, 6 ou 9 na sua mão. O segundo que o tamanho do bet no river seria ou uma grande mão, provavelmente trips ou melhor, ou um blefe, mas que nunca seria uma mão de força média como um overpair. Eu paguei e perdi para 9c3c.

Contra um pensador de Level 2, a suposição seria razoável. Mas aqui, eu agora acredito que meu oponente estava operando no nível 1, pelo menos no river– Eu não tenho idéia do que ele estava pensando pré-flop. Ele apostou forte porque tinha top pair, e não deu a mínima pra o tipo de mão que representava, quais as possibilidades do board, ou o que eu teria ou com o que poderia pagá-lo.

Porque eu pensei em excesso na situação, no entanto, ele alcançou o mesmo resultado de um jogador de Level 4 malandro. Ele encontrou um bom spot pra fazer um value bet representando um blefe quando na verdade tinha top pair, uma mão nada plausível com suas ações nas streets anteriores.

Conclusão

Eu escolhi focar esse artigo em decisões no river porque elas eliminam a complexidade dos implied odds, implied odds reversos, semi-blefem, controle de pote e proteção da mão que fazem parte das decisões nas streets anteriores. O jogo no river é puramente um jogo de raciocínio onde nós precisamos descobrir o processo mental que envolve blefes, calls e value bets.

Eu declarei mais anteriormente que poucos jogadores empregam o Level 4 ou maior, e isto é em parte porque não é freqüentemente necessário. Seu objetivo deve ser pensar um e somente um level acima do level que seu oponente esta pensando.

Jogadores melhores se adaptarão mais rapidmanete a você, mas se não se adaptou de maneira certa, então um oponente fraco pode ser tão tricky quanto um bom oponente. Se você está um nível atrás, então estão passando a perna em você.

Mas se você está mais de um level na frente, então você está dando muito crédito ao seu oponente e está overthinking (pensando além do ponto) certas situações.
Uma vez que há muito mais jogadores ruin que bons por aí, o último é um problema mais comum. Este é também, graças a Deus, um problema mais fácil de consertar.


Low Limits Manual – jogando o river – pt. VIII

janeiro 21, 2011

A última parte do manual de low limits vai tratar de todas as possibilidades que podemos vislumbrar no river, além disso irá comentar rapidamente sobre alguns aspectos pessoais, como jogador de poker, que devemos prestar atenção para alcançar o sucesso na carreira de poker como um todo. As partes antecedentes podem ser encontradas abaixo:

Pt. I; Pt. II; Pt. III; Pt. IV; Pt. VPt. VI; Pt. VII;

River play

Triple Barreling

A. Triple barrel é uma ciência complicada. você deve saber com quais tipos de mãos seu oponente está levando até o river e quais mãos podem dar call frente um shove (ou pot sized bet) e quais não podem. Eu quero começar dizendo que, sem history ou com history limitada de river play, shovar o river é a melhor jogada como blefe, e betar algo como $300 into $350 e deixar $100 ou algo pra trás é o melhor para extrair value (as pessoas interpretam isso como uma maneira barata de se executar um blefe e ficam assustadas em um shove).

Então, quais são as boas situações para dar triple barrels? Simplesmente depende do range que você coloca em seus oponentes. Minha favorita situação de triple barrel é o board seco AKx ou só Axx, onde basicamente nosso oponente é um jogador fraco ou um donk e você sabe que ele tem AT-A2 e não pode dar call em 3 streets com TPWK.

Também, ao dar call rapidamente no flop, normalmente ajuda porque você sabe exatamente o que eles tem. Então vamos dizer que você abre no BTN e alguém dá limpcall, o flop vem A92r, você beta 8bbs into 11bb, ele dá call. O turn é um 3-K e não é um 9, provavelmente bete 22-25bbs into 27bbs. River é denovo outro tijolo, provavelmente shove, ao menos que você tenha algo extra sobrando, que no caso, você deve dar uma PSB. Você vai se surpreender quão frequentemente você recebe folds.

Outro cenário comum é, digamos que um jogador loosish dá limp em MP-CO, você isola e o flop é KQx, você dá cbet, ele call, turn é X, você beta denovo, ele call. River é outro tijolo, denovo aqui, eu shovaria, a mão mais forte que ele pode esperar para ir para showdown é KJ, e ele simplesmente não irá fazer isso muito frequentemente. Há jogadores que são spewboxes e irão fazer isso, então só faça notes e explore os demais.

Raising

1. Bluffing: Eu decidi separar c/r e raising porque no turn, você deve saber qual é o seu plano para o river, se X aparece. Por exemplo:

22/19 opens em MP, ele é agressivo. Você dá call com T9dd no BTN.

Flop J84ssd. Ele cbets, você call.

Turn é 2d [o turn aqui pode ser qualquer carta que não dobre e board e não seja espadas]. Ele atira uma second barrel, você call. (Eu devo deixar claro que se o turn é uma espadas, esse jogador provavelmente irá b/f no turn muito frequentemente, então eu daria raise e, dependendo dos stacks e minha mão, eu daria call em um shove).

River é qualquer espadas. Vamos dizer, stacks efetivos no river são 80bbs. O pot é algo em torno de 60bbs, e a aposta é de, digamos, 30-40bbs, este é um grande spot para bluffshove (especialmente se você tem notes que ele é capaz de b/f situações como essa), porque ele odeia dar check, porque ele sabe dar call é pior, e ele não quer abrir mão da iniciativa, então ele beta pretendendo foldar para um raise, então nós jogamos nossa mão como jogariamos um small flush draw.

Eu quero falar sobre c/r no river por um minuto. Na maior parte do tempo, isto é algo que vocês nunca irão fazer, simplesmente porque é, normalmente, um conceito muito complicado e são situações que requerem algum tipo de history ou razão para você jogar sua mão assim. Somente para propósito de aprendizado, o que você nunca irá fazer aqui é balancear, é sá FPS (fancy play syndrome) e spew. Quando você está no nível que você quer fazer isso para balancear, você saberá, e se você está lendo isto, você ainda não sabe. Eu não irei a fundo sobre c/r river bluffing, eu só quero dizer que:

A. você precisa descobrir que tipo de mão o oponente tem, e você precisa chegar a conclusão que ele está tomando a linha bet/fold porque…

B. ele pensa que você irá dar c/r em uma mão que tem sentido, algumas mãos feitas que ele pensa que você pode ter.

Dito isto, vamos ver uma outra situação de bluff. Eu não irei falar muito sobre donkbet no river porque não é algo que eu faço, mas eu sinto que deve ser usado.

$3/$6 – No Limit Hold’em

Seat 1: X ($1,303.50)
Seat 2: X ($659.20)
Seat 3: X ($801)
Seat 4: Very Good LAG ($848)
Seat 5: X ($2,355.80)
Seat 6: Fees ($671)
X posts the small blind of $3
Fees posts the big blind of $6
The button is in seat #4

*** HOLE CARDS ***

Dealt to RealMonies [Kc Qs]
X folds
X folds
X folds
Very Good LAG raises to $21
X folds
Fees calls $15

*** FLOP *** [Jd 4c Td]

Fees checks
Very Good LAG bets $30
Fees calls $30

*** TURN *** [Jd 4c Td] [3h]

Fees checks
Very Good LAG bets $77
Fees calls $77

*** RIVER *** [Jd 4c Td 3h] [7d]

Fees bets $175

Esta mão exemplifica algumas keys sobre jogar poker. Primeiro de tudo, eu tinha um plano e sabia o que eu estava fazendo. Eu dei call no turn simplesmente porque eu sabia que eu poderia blefar em qualquer ouros. Eu também sei que meu oponente tinha a capacidade de dar fold em uma mão forte como 2p ou set porque ele esta ciente de que o que ele tinha é a mesma coisa que um par fraco porque ele só ganha de um blefe. De qualquer modo, o tema aqui é, desde que str8 draws são bem escondidos você pode alterar seu range e blefar com eles como você tivesse um flush draw e completou.

Value

Value raising o river IP é realmente straightforward. Ou você completou sua mão ou você estava tentando fazer com que seu oponente betasse denovo e agora é hora de dar raise por value. Vamos olha 2 spots:

(6 max) – $3/$6 – No Limit Hold’em

Seat 1: X ($204.05)
Seat 2: X ($600)
Seat 3: X ($588.60)
Seat 4: STD TAG ($781.45)
Seat 5: Fees ($1,358.10)
Seat 6: X($999.35)
STD TAG posts the small blind of $3
Fees posts the big blind of $6
The button is in seat #3

*** HOLE CARDS ***

Dealt to Fees [2d 7d]
X folds
X folds
X folds
STD TAG raises to $21
RealMonies raises to $74
STD TAG calls $53
*** FLOP *** [5h 6h 4d]
STD TAG checks
Fees checks
*** TURN *** [5h 6h 4d] [8c]
STD TAG bets $110
Fees calls $110
*** RIVER *** [5h 6h 4d 8c] [9s]
STD TAG bets $215
Fees raises to $1,174.10, and is all in

Aqui, nós decidimos em dar check behind nosso str8 draw em um RR pot. Nós fizemos nosso str8 no turn e nosso oponente deu lead. O board é bem scary agora, significa que, ao menos que nosso oponente tenha um set ou algum tipo de 2p (ambos são dificeis de ele ter aqui) nós, realmente, não iremos ganhar nada ao dar um raise aqui. Então, nós esperamos pelo river e então nós o colocamos em uma decisão mais fácil por causa de pot odds. (Este quadro de lógica quer dizer que no river as pessoas  blefam menos porque é dificil betar grande o suficiente para expulsar seu oponente do pot. Mantenha isto em mente quando você beta e recebe um raise no river). O river não mudou muita coisa, ao menos que nosso oponente tenha 99 ou 98, mas nós demos para ele outra chance de blefar o pot, também outra chance de dar um vbet, desde que ele, obviamente, folde todos os bluffs, nós o colocamos em um spot dificil com qualquer mão feita, e, esperamos que ele erre e dê call. O que eu quero dizer aqui é que não tem razão para dar raise no turn porque nós não temos que proteger nossa mão e nós queremos outra bet do nosso oponente com estes stacks, então o melhor é dar call e esperar o river.

Vamos olhar para uma situação que eu descrevi anteriormente, jogar sets em boards secos.

Você dá call com, vamos dizer, 22 no BTN. Digamos que um jogador TAG 20/15 abriu UTG.

Stacks efetivos: 100BB;

O flop vem J52r. (9 bbs)

Ele cbet 7bbs, você call.

Turn é 7 (qualquer tijolo) (23 bbs)

Ele atira second barrel 18bbs, você call.

River é 4 (qualquer tijolo denovo) (59 bbs)

Ele beta qualquer coisa, você shove. (FWIW, se ele der check eu shovo, se ele shova, eu, obviamente, dou call). No river, se ele betar denovo, ele raramente irá ter um triple barrel bluff, mais normalmente ele tem JKs+, e será dificil foldar com odds muito muito boas. Uma vez que você se estabilizou contra este jogador, que você dá slowplay em sets em boards secos, você deve jogar sets fast em boards secos (ajustando, se tornando tricky).

Ok, agora vamos supor que nós temos A5s.

Damos flatcall do BB em um open do BTN

Nosso oponente cbet em T42ss, nós decidimos dar c/c.

O turn é um tijolo que não dobra o board, nós damos c/c denovo.

O river nos acerta, qualquer espadas, então a decisão é: ou dar lead ou c/r.

Seu standard aqui deve ser: bete alguma quantia que você acha que irá receber um call. Eu normalmente beto 60-70% do pot, algumas vezes menos, algumas vezes mais, dependendo do meu oponente, isto é algo que você tem que descobrir com o tempo. Quais situações merecem um c/r?

O único cenário que eu dou c/r neste spot é contra:

A. pessoas que eu sei que dão thin value bets.

B. pessoas que eu sei que podem atirar 3rd barrel em scary card.

C. pessoas que eu acho que são muito agressivas e spewy (fwiw, algumas vezes eu dou lead 20% do pot para induzir um raise).

Se estes critérios não se enquadram, você não irá falhar no seu c/r MUITO!

———————-

Por fim, algumas recomendações finais que englobam tudo que vimos no manual e o jogo de poker como um todo.

Mentalmente: Poker irá, algumas vezes, o levar a downswings de 10 BI, ou pior. Assim que você faz o move up, pior se torna. Mas é standard e irá acontecer algumas vezes por mês. Você DEVE continuar positivo moralmente e reconhecer que a única coisa que o impede é você mesmo, não deixe o downswings tirar o melhor de você, esteja ciente de que você é winner nestes jogos, não importa o quais sejam seus resultados imediatos, se você continuar com cabeça fria e jogando solidamente. Eu realmente não consigo me estressar muito, EM TEMPO, SEUS RESULTADOS O ALCANÇAM, e estes resultados dependem somente de você. Eu já perdi $8k em 20k mãos antes de jogar 3/6 NL, jogando 4-6 mesas, sem fazer algo horrivelmente incorreto. Eu mantive minha cabeça, meus amigos me apoiaram, e eu tive um upswing de 20 BI em 6k mãos logo após esse doentio downswing. Isto não teria acontecido se eu não estivesse ciente de que eu estava passando por variância normal e que a única coisa que me seguraria pra longe de ganhar tudo novamente, era eu mesmo.

Saúde: Eu não como corretamente, mas eu deveria, assim como você. Eu não sei nada sobre comer corretamente, mas tentei fazê-lo. E, por Deus, se exercite todos os dias. Exercitar-se é muito dificil nas primeiras tentativas, mas depois você irá querer fazer e até gostará. Compre um ipod e você estará bem.

Upswings: Jogue quantas horas for possível quando você está em um upswing. é igualmente importante quanto evitar jogar enquanto tiltado, jogar enquanto ganhando.

Tempo da session. Eu normalmente jogo 2 horas e faço um break, entao não jogo o resto do dia. O que funcionar para você, só não se sinta como se você tenha que jogar 5 horas por dia no mesmo horário e então você não pode dividir ou esta é a melhor maneira, faça o que você acha que maximize seu foco.

MTTbling. Você nunca se tornará melhor jogando mais do que 4 mesas. Jogar 6-8 você irá fazer decisões robóticas boas se você é um vencedor. Jogar mais de 8 irá fazer com que você tome decisões robóticas medíocres. Se você quer, na long run, se tornar melhor e fazer mais dinheiro, jogue 4 mesas ou menos.

 

 

OBS: é importante ressaltar que esse é um artigo “antigo” para os padrões atuais (2011) e por isso é passível de muitas críticas quanto aos ranges aqui escolhidos e quanto às decisões tomadas em alguns spots. Todavia essa deficiência temporal não tira o mérito de todo o ensinamento aqui passado. Eu (Yuri Utumi) entendo que para qualquer iniciante esse é um manual chave e deve ser lido e relido constantemente durante a carreira nos micro e low stakes.

 


Poker online – 10 erros cometidos 2/3

janeiro 1, 2011

Os primeiros três erros tratados pelo artigos podem ser encontrados nesse link.

Erro #4 – Pagando muitos aumentos no Turn.

Pagar muitos raises no turn é outro erro comum cometido por muitos jogadores. O problema de se pagar muitos raises no turn é que geralmente você acabará pagando também o river. Com o objetivo de ganhar um grande pote a cada hora, você acabará desperdiçando duas horas de lucro em uma única mão se cometer esses erros. Ao pagar um aumento no river, pense bem se você pagará ou não o river caso não melhore sua mão. Pagar duas grandes apostas diminui significantemente os pot odds que você está recebendo para ver se irá ou não vencer a mão.

 

john juanda wsop poker artigos poquer online

John Juanda

Muitos oponentes aguardam até o turn para aumentar suas mãos realmente fortes. Muitos jogadores também ficam relutantes e fazer aumentos semi-blefe no turn, especialmente nos limites baixos. Por essas razões, você precisa ser bastante cauteloso ao pensar em pagar aumentos no turn. A maior parte dos oponentes que aumentam no turn tem, ao menos, um top pair com um bom kicker, e freqüentemente tem dois pares ou um jogo melhor, sendo assim, normalmente é melhor foldar pares ao ser aumentado no turn. A principal exceção à essa regra são os casos de jogos muito tight e agressivos, onde alguns jogadores aumentarão o turn em um semi-blefe, especialmente em situações de heads-up, então as vezes é preciso pagar com uma mão medíocre, como um par, dependendo das circunstâncias.

Primeiramente vamos dar uma olhada em situações onde foldar para um aumento com uma mão medíocre, como um top pair, é relativamente correto.

– Seu oponente é do tipo que nunca aumenta no turn fazendo blefes ou semi-blefes.

– Um oponente aumentou após dois jogadores já terem pagado o turn.

Nestas duas situações você precisará de ao menos um top pari com top kicker para pagar, talvez até uma mão melhor, dependendo do tipo de oponente que você enfrentando.

Infelizmente, em jogos tight agressivos, nem sempre o jogo no turn não é tão simples assim. Você se encontrará em muitas situações heads-up onde ter a leitura de seu oponente não será tão fácil. No heads-up, muitos jogadores aumentarão com vários tipos de mãos, como top pair, pares médios ou baixos, straight ou flush draws, e claro, dois pares ou uma mão melhor. Quando esse tipo de jogador aumenta, às vezes é melhor foldar um top pair com top kicker, já outras vezes é melhor re-aumentar. Talvez até seja preciso pagar com um par baixo ou possivelmente com Ás alto em algumas situações. Pagar nessas situações dependerá do tipo do bordo e de como o oponente em particular jogou.

No entanto, tenha em mente que os jogos tight agressivos na internet são raros hoje em dia. Nos típicos jogos loose que você encontrará seu oponente terá geralmente uma mão forte a não ser que ele seja um desses maníacos tentando blefar em todos os potes.

Vamos olhar um exemplo: Você aumentou em posição inicial com AK e um jogador em posição média paga. O flop traz cartas insignificantes como 642. Você aposta e é pago. O turn é outro lixo como um 8. Você aposta e seu oponente aumenta. O que você faz? Contra quase todos os oponentes você deve foldar, entretanto, você poderá pagar em alguns jogos tigh agressivos de limite alto onde alguns oponentes vão aumentar com Ax.

Sempre avalie o tipo de bordo para guiar sua decisão. Se o bordo tiver três cartas suited, como Ad Td 5c 2d, considere que tipos de mão seu oponente pode estar segurando. Por exemplo, um aumento no turn com esse bordo pode significar que seu oponente acertou um flush, ou ele pode ter um Kd ou Qd e estar aplicando um semi blefe, ou talvez ele tenha Ax e está protegendo sua mão contra outros oponentes que estão em draw. Note que o número de jogadores na mão faz diferença nas possibilidades de ranges. Se dois jogadores pagaram uma aposta no turn e um terceiro aumenta, você pode assumir que ele não está aumentando com um draw. Entretanto, em heads-up, alguns jogadores agressivos podem aumentar com Kd Tc esperando que você folde uma mão como KK, QQ ou JJ.

Note também o quão altas as cartas do bordo são. É menos provável que seus oponentes façam draws em flops como Ac 9d 5h do que em flops como Tc 5d 2h. Se seu oponente aguardou para aumentar em um bordo como Ac 9d 5h 3s, você deve se perguntar: “Com que tipo de mão meu oponente pagaria o flop e aumentaria no turn?”. Você deve se preocupar com trincas, dois pares, ou um par de As com um bom kicker. Contra a maioria dos oponentes em heads-up, você pode facilmente foldar KK, AJ, e talvez até AQ. Contra jogadores tight rocks que não aumentam com nada menor que dois pares, você pode descartar AK, já que ao que tudo indica ele tem uma trinca.

Em contra partida: E se oponente aumentar em um bordo com Tc 5d 2h 8d? Já que as cartas são relativamente baixas, é mais difícil determinar a força de seu oponente. Ele pode estar aumentando com uma trinca, um par de 10, ou até mesmo com uma mão como 77 esperando que você folde um AK. Um oponente ardiloso pode até mesmo aumentar com QJ ou um draw de ouros. Com este tipo de bordo, contra certos oponentes, você deve estar mais inclinado a pagar com um overpair ou top pair.

Uma última situação a se discutir é quando você precisa pagar um cold raise, forçando você a pagar duas grandes apostar para ver o river. Em quase todos os casos, um de seus oponentes tem uma mão muito forte, a não ser que ele esteja protegendo uma vulnerável mão média. Outro problema em se pagar uma situação dessas é que o apostador inicial pode re-aumentar. Para pagar um raise cold, você precisa ter uma mão ou um draw muito forte. Para draws, o pote precisa ser bem grande para justificar o pagamento.

Erro #5 – Apostar ou aumentar automaticamente no River, quando acham que tem a melhor mão.

O river é uma rodada de aposta bem diferente do flop ou do turn, uma vez que todas as cartas já estão na mesa. Muitos jogadores fazem jogadas rápidas no river, sem pensar nas varias possibilidades. Apostar corretamente é muito importante por que são grandes apostas e cada uma delas pode significar muito nos seus ganhos.

Um erro comum cometido por muitos jogadores é apostar ou aumentar o river sempre que acham que tem a melhor mão. Não cometa este erro! Aposte ou aumente uma boa mão no river contra um jogador quando você tiver ao menos 50% de chances de ganhar caso ele pague. A parte chave deste conceito é que você ganha mais caso ele pague. Muitas vezes você irá apostar no river e seu oponente irá foldar. Essa aposta não lhe rendeu nada.

Vamos dar uma olhada rápida em um exemplo: Você tem Qh Qs com Kc 5c 2h 4s 8d no bordo. Você apostou no flop e no turn e foi pago nos dois. Você então determina que seu oponente tem um flush draw. Você deve apostar no river? A resposta é não, já que seu oponente está em um flush draw e não irá pagar sua aposta. Apostar não irá lhe render nada. A melhor opção é induzir um blefe apenas dando check.

Muitos oponentes vão ver seu check como um sinal de fraqueza, e não resistirão à tentação de blefar com seus draws incompletos em uma última tentativa de ganhar a mão. Nesse caso, dar check lhe rende uma aposta, enquanto apostar provavelmente não lhe renderá nada.

Em contra partida, se você está enfrentando um jogador agressivo que costuma pagar apostas com pares fracos, então provavelmente é mais correto apostar. É improvável que ele tenha um par de reis, já que um jogador agressivo com essa mão teria aumentado no flop e no turn. Ele provavelmente teria aumentado com um flush draw em certo ponto. Nesta situação, apostar seria correto já que você ganhará em mais de 50% das vezes quando seu oponente pagar com um par fraco. A razão, no entanto é diferente. Você dá check se acha que seu oponente esta em um draw, e você aposta se está confiante de que seu oponente irá pagar com uma mão mais fraca que um par de reis.

Você precisará de mais de 50% de chances de vencer quando há o risco de seu oponente aumentar com uma mão melhor e você pagar. Neste caso, você pode perder duas grandes apostas contra uma mão muito boa e ganhar apenas um contra uma mão fraca, então você precisa de mais que 50$ de chances de vencer para justificar seu risco. Por exemplo, se você tem 50% de chances de vencer no showdown, mas há 5% de chances de seu oponente aumentar e 70% de chances de que ele ganhe o pote caso aumente, você deve dar check ou pagar apenas, ao invés de apostar.

Há muitas considerações a se fazer quando você aposta contra um único oponente no river com uma boa mão:

– Probabilidade de vitória no showdown (tem de ser no mínimo 50%)
– Probabilidade de que seu oponente irá aumentar sua aposta e você irá pagar
– Probabilidade de que seu oponente irá apostar uma mão mais fraca se você der check, mas folde se você apostar
– Probabilidade de que seu oponente irá dar check com uma mão perdedora que ele iria pagar caso você apostasse.

Vamos discutir o segundo ponto da lista anterior. Às vezes, seu oponente irá aumentar e você irá foldar. Isto não significa necessariamente que sua aposta no river foi incorreta. Por exemplo, você tem AA contra um oponente conhecido e em um bordo com AKQ5T. Apostar nesta situação é correto caso você saiba que seu oponente irá aumentar apenas com o valete mas vai pagar com dois pares e irá apostar com dois pares caso você dê check. Se você apostar e ele aumentar, você pode facilmente foldar, perdendo a mesma quantia caso desse check e pagasse. Se você apostar e ele pagar com dois pares, você ganha uma aposta. Suas expectativas são as mesmas de quando ele tem o valete, mas você ganha uma aposta e ele não. O processo de decisão é um pouco mais complicado contra jogadores que tentem um bluff raise.

Outra opção ao agir primeiro no river é o check-raise. Temos duas razões para usar o check-raise no river com uma mão forte:

– Induzir um blefe
– Ganhar mais apostas quando temos confiança de que o oponente irá apostar e pagar seu raise.

Por exemplo, você tem Qd Jd com um bordo com KdTc5h7d2d. Seu oponente aumentou sua aposta no flop e apostou o turn, então você tem quase certeza de que ele irá apostar no river. Esta é uma boa oportunidade para um check-raise.

O cenário seria diferente caso o bordo tivesse Kd Tc 7d 5h 2d. Você consegue ver por quê? Neste caso, o apostador talvez esteja preocupado que você tenha um flush draw, já que o flop tem duas cartas do mesmo naipe. Um check-raise neste caso talvez não funcione, caso seu oponente resolva dar check também. Um check-raise também não tem uso caso seu oponente não pague seu aumento, mas pagasse uma aposta sua.

Outra situação que ocorre no river é quando enfrentamos muitos inimigos e enfrentamos uma aposta tendo uma mão muito forte. As vezes é melhor apenas pagar ao invés de aumentar, para que os outros oponentes possam pagar também. Isso é também importante caso haja mesmo uma pequena chance de que o apostador tenha o nuts e irá re-aumentar, ou caso haja chance de que o pote seja dividido com o apostador.

Por exemplo, se você tem Qc Td com Jh Ts 9d 8c 5d no bordo, você deve apenas pagar caso haja um oponente depois de você. Você provavelmente irá dividir o pote com o apostador, então é melhor dar a chance de colocar mais dinheiro no pote aos outros jogadores. Há ainda a possibilidade de que seu oponente tenha KQ e re-aumente você.

Há diferentes considerações para levar em conta no river. Eu sugiro que no river você tome um tempo extra antes de agir, tendo assim tempo para pensar em todas as opções possíveis.

Erro #6 – Jogar limites muito altos em relação ao bankroll

Se um bom jogador de poker, que normalmente ganha um grande pote em uma hora, jogar 100 horas de $2/$4, ele pode ganhar até $2.000, mas ele pode acabar tendo uma sessão ruim, e perder $1.000. Este mesmo jogador pode jogar 1400 horas e mesmo assim continuar break even.

Levando em consideração o fator sorte, um pobre jogador que normalmente perderia $4 por hora pode conseguir faturar $1.000 em 100 horas se estiver com sorte.

Essas situações te surpreendem? Como pode ver, o “longo-prazo” pode ser realmente longo quando falamos de sorte no poker. Ter um bom entendimento sobre as flutuações que ocorrerão ao jogar holdem é essencial para desfrutamos do jogo e para termos um melhor controle de nosso bankroll.

Por causa das flutuações neste jogo, é essencial jogar nos limites corretos de seu bankroll, caso contrário, você pode acabar quebrando.

Muitos jogadores principiantes jogam em limites muito altos para seus bankrolls. Alguns deles terão sorte, começando a ganhar, e seu jogo irá melhorar o suficiente para manter-se nos limites em que estão jogando. Entre tanto, muitos sofrerão as conseqüências e acabaram quebrados.

De quanto você precisa? Assim como várias outras perguntas no poker, a resposta para essa é: Depende. Depende de quão bom você é, seu etilo de jogo, e o tipo de jogo que você disputa. Claro que se você for um jogador perdedor, não há bankroll no mundo que irá suportar. Melhores jogadores precisam de menores bankrolls, uma vez que as más flutuações que eles enfrentaram não serão tão fortes quanto às de um jogador que mal consegue se manter break even. Jogadores agressivos e loose precisam de bankrolls maiores do que os dos jogadores conservadores, uma vez que eles enfrentaram mais flutuações, em ambas as direções.

Para muitos, uma boa marca é a de 350 vezes o big blind. Isto praticamente assegura que um bom jogador não vai quebrar. Mas, é preciso tempo para alcançar o nível de bom jogador. Iniciantes devem ter um bankroll inicial ainda maior.

Outro critério para definir seu bankroll é até onde você está disposto a correr riscos. Outra estratégia é jogar em um nível ligeiramente mais alto, mas recuar assim que as coisas começarem a correr mal. O problema com essa estratégia é que muitos jogadores não têm disciplina para segui-la. É difícil recuar nos limites quando você nota que levará mais tempo para voltar para onde você quer ficar. Todavia, esta é uma estratégia viável para jogadores disciplinados.

Meu conselho é no mínimo ter sempre de 250 a 400 big blinds, dependendo de quanto risco você está disposto a correr. Se você está começando, tenha em seu bankroll 500 big blinds. Isso irá ajudá-lo a ganhar experiência antes de subir para os próximos níveis. Como tudo na vida, para ser bem sucedido você precisa se planejar. Faça um plano para seu bankroll e os limites quê você quer jogar, e siga-o. Assegure-se de ter um plano “B”, e desça seus limites, caso as coisas não corram bem.

Naõ tem um Bankroll grande o suficiente para jogar seus limites? Saiba aqui como construir seu Bankroll do zero.

Terceira parte.