O UIGEA Brasileiro

agosto 1, 2011
Escrito por Gustavo Marques de Andrade – MaisEv.com

O UIGEA (Unlawful Internet Gambling Enforcement Act), chamado de Lei Anti-Gamble”, e conhecido pela maioria dos jogadores e empresas relacionadas à indústria do jogo, trouxe muita instabilidade para o poker online.

A discussão ganhou enorme proporção nos Estados Unidos e rapidamente se espalhou pelo mundo, inclusive chegando à Europa que hoje vive o conflito travado entre liberdades individuais, livre circulação de produtos e serviços na zona comunitária e o monopólio estatal.

Nos Estados Unidos, o debate, a respeito da aplicabilidade do UIGEA e a regulamentação do poker online, já chegou às casas legislativas sendo que é esperado um desfecho da situação para os próximos 2 anos.

uigea poker artigos poquer online brasil

A principal crítica à Lei Anti-Gamble americana é a dificuldade das instituições financeiras e até das empresas que oferecem jogo online, tendo em vista a falta de clareza da lei, para definir o que seria considerado “transação ilegal”.

O deputado americano Barney Frank e o senador Robert Menendez já apresentaram suas propostas para reforma da legislação o que atraiu a atenção de especialistas, como o professor Joseph Kelly, cujo artigo originalmente publicado no Poker Law Bulletin.

Enquanto a discussão nos EUA e Europa gira em torno de “transações ilegais”, monopólio estatal, receita dos governos, e demais aspectos econômicos, é fato que a situação no Brasil é outra, já que aqui há enorme carga negativa em torno do poker e também gritante indefinição legal quanto ao significado da expressão “jogos de azar”.

O fato é que, tramitam no Senado dois Projetos de Lei em conjunto, sendo o primeiro, apresentado em abril do ano passado, de autoria do Senador Magno Malta (121/2008), que praticamente repete a UIGEA americana ao pretender a vedação de transações financeiras relacionadas a jogos de azar e pornografia infantil.

No entanto, como já mencionado, outro projeto de lei (255/09), de autoria do Senador Garibaldi Alves Filho, complementaria o projeto de Malta ao definir como crime punido, com 1 a 3 anos de detenção, “a facilitação da exploração de jogo de azar por meio de rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, bem como a autorização para pagamento de crédito ou aposta relacionados ao referido jogo.”

A justificativa para tal projeto seria a dificuldade em processar as empresas que se dedicam à exploração de “jogos de azar” pela internet, na medida em que se encontram fora do território brasileiro e, dessa forma, inalcançáveis pela nossa jurisdição.

Caso este projeto seja convertido em lei (o que se espera até o final de 2010) as empresas de cartão de crédito e outras relacionadas a pagamentos, assim como os provedores de internet, teriam de decidir quais serviços e atividades poderiam ser considerados “jogos e azar” e portanto proibidos, e quais não se enquadrariam nessa categoria.

Vale lembrar que a escolha “errada” pode acarretar sérios problemas criminais, para os responsáveis por essas empresas, sendo o mais provável que, tanto os operadores de pagamentos como os provedores de internet, simplesmente bloquearão o acesso de IP´s brasileiros aos sites de poker, a fim de não assumir o risco de uma interpretação equivocada.

O curioso é que o mesmo Senador Garibaldi Alves, em 2007, apresentou o Projeto de Lei nº 359/07 com vistas à regulamentação do Bingo que poderia ser explorado diretamente por entes estatais ou por empresas autorizadas pelo governo(como é o caso das loterias da Caixa Econômica Federal), o que demonstra uma certa hesitação no ânimo do parlamentar quando o assunto é a repressão dos chamados jogos de azar.

Por fim, volta-se à discussão, iniciada com a edição do Decreto-Lei 3688/41 e à questão a respeito do enquadramento do poker como jogo de azar ou, no que acredita-se ser a alternativa mais plausível, jogo de habilidade.

Anúncios

Jogando Deep Stack 2/2

fevereiro 4, 2011

Segunda parte do artigo escrito por RoyalSalute sobre dicas básicas para o jogo deep stack. A primeira parte pode ser encontrada aqui.

3Bet pots

Aqui o jogo também muda muito em relação a jogar entre 50-100BB. 3bet light fora de posição não é tao simples, pois o oponente aqui tem implied odds pra jogar com muito mais mãos do que quando tinha 100BB. No geral eu aconselho ter muito cuidado ao dar 3bet light fora de posição contra oponentes bons, que vão te pagar com muitas mãos pra dar outplay ou tentar ganhar um pote monstro.

Vou focar comparando 2 mãos típicas (pares baixos e suited conectors) em 1 jogo com 100BB e 300BB.

deep stack poker artigos chips cinza amarela fichas

Começando por pares baixos (22-66), com 100 BBs, se você toma um 3bet, tanto em posição como fora de posição eles normalmente não vão jogar bem o pós-flop. Você não tem odds suficientes pra jogar por set value, e sua mao vai estar definida na maioria das vezes, sendo que quando fizer um move e tomar um call, estará praticamente drawing dead. Em contrapartida, deep stack eles jogam muito bem pelo set value. Os maiores potes que já ganhei jogando deep stack foram sets que fiz em 3bet pots. Poucos oponentes largam overpair depois de dar um 3bet (não largar overpair é ok quando se jogar até 100bb, mas um erro deep stack), sendo que quando você faz um set não costuma ser difícil colocar todo o dinheiro no pote. Tanto em posição quanto fora de posição pares baixos/médios jogam muito bem em 3bet pots deep stack.

Suited conectors a coisa muda, suited conectors são ótimos em 3bet pots com 100bbs para fazer moves no flop. Porque? Com um suited conector você pode flopar:

– Mãos feitas (2 pares ou mais): 5,6%
– Combo draws (straight flush draw, par + str8 draw etc): 6,9%
– Draws (straight draw ou flush draw): 13,2%

Ou seja, aproximadamente 25% das vezes você vai ter uma mão boa pra fazer um move, fora isso você também pode fazer um move quando tiver 1 par em um board bem dry (por exemplo 248 com 87s), onde mesmo que você enfrente um overpair você ainda vai ter 5 outs pra fazer 2 pares ou trips (diferente de apenas 2 outs quando você faz um move com um par baixo). Resumindo: se você enfrentar um oponente bem agressivo que da muito 3bet light (e normalmente estes dao pelo menos 90% das vezes continuation bet), com 100BBs você pode dar call com suited conectors pensando em fazer um move em boa parte dos flops tanto em posição como fora de posição.
Deep a coisa muda, você não vai conseguir fazer um move no flop em um 3bet pot, a relação do tamanho do pote pro quanto você tem atrás ainda é muito pequena, e jogar suited conectors fora de posição já não é tao interessante. Draws não jogam tao bem fora de posiçao deep stack quanto em posição, e assim como com 50-100BB nas blinds não costuma ser bom dar um call com 67s de um raise de early ou middle position, não costuma ser bom também dar call out of position com 67s pra um 3bet em um jogo de 300BB.
Em posição o call já é bem + interessante pois você terá mais controle sobre o tamanho do pote e terá + facilidade de colocar todo dinheiro no pote quando acertar seu draw. E você não só vai alcançar implied odds melhores em posição como também pode aplicar um float em alguns flops.

No geral você pode dar mais call em posição, e deve ter cuidado ao dar 3bet light fora de posição pq muitos oponentes bons sabem que podem dar call com uma variedade boa de mãos e jogar elas em posição. Potes 3bet fora de posição não são fáceis de jogar.

4Bet pots – 4Bet light pré-flop é uma estratégia muito útil

No poker atualmente rola muita 3bet light (o que muitos chamam de resteal quando o raise vem em lateposition). No jogo com 100BB é comum alguns bons jogadores darem 4bet lights colocando cerca de 22-25 big blinds do stack em cima de uma 3bet tendo um espaço pra fold pré-flop. Essa é uma estratégia muito boa nos jogos atuais e bons jogadores sabem mixar bem um range de 4bet por valor com AA/KK/QQ/AK em que eles vao dar a 4bet e pagar um push, e alguns blefes aonde eles vao dar a 4bet e ter espaço pra desistir da mao.

Em deep stack a 4bet light se torna uma estratégia ainda mais efetiva. Um push em cima de uma 4bet sairá muito caro pro jogador que da uma 3bet, e quando você estiver em posiçao você estará colocando o oponente em uma situaçao muito difícil caso ele pretenda continuar na mao: ou ele joga um pote grande fora de posiçao contra um oponente que demonstrou muita força no pré-flop, ou ele investe um stack de 200 BBs em um push/5bet.

Com 100BB quando você da um raise pra 3-4BB, um valor normal de 3bet seria de 10-15BB. Quando você está deepstack você pode dar uma 4bet entre 20-30BBs sem problemas (normalmente deepstack tem q ser um pouco maior o valor da 4bet do que com 100BBs). Um exemplo é você com 200BB abrir 3BB do button, o jogador na big blind que defende muito as blinds da 3bet para 12, e você da uma 4bet para 26BBs. Aqui da pra ver como ele fica em situaçao delicada. Pagando ele joga um pot que começa com 56BB fora de posiçao, dando 5bet ele fica relativamente commited, e push ele investe o stack inteiro. Você por outro lado está investindo 23 BBs a mais na mao pra ganhar um pot que já contem 15,5BB (12 BBs da 3bet dele, 3 do seu raise original e 0,5 do SB). Pro 4bet ser uma jogada +ev ele teria que funcionar pelo menos 60% das vezes, mas visto que o range do oponente é bem grande pra defender os blinds e você deixa ele em posiçao delicada, a 4bet fará ele foldar a mao bem + do que 60% de vezes.

Só reforçando: Não estou falando pra sair dando 4bet pf feito louco, mas jogadores bons lags vão estar dando 3bet light com um range muito alto de mão, e seu 4bet vai ter uma taxa de takedown muito alta contra esse tipo de jogador. Também nao saia dando 4bet light em cima de jogadores “baralhoes”, que tem tendencia a pagar ou dar push com maos marginais… contra esses jogadores dê 4bet sempre por value. Mas o principal aqui é que 4bet light é uma estratégia possível e que você deve incluir no seu jogo quando for jogar deep stack.

Últimos pensamentos

Exitem muitos outros tópicos que podem ser abordados em deep stack play, mas o artigo já esta enorme e não quero escrever um livro.

No geral veja as dicas que mais se encaixam no seu estilo de jogo e nos stakes que você joga, para assim fazer os ajustes necessários quando for jogar deep stack. E nunca esqueça o principal quando for jogar cash game, que é ir colocando o oponente em um range de mãos e jogando de forma a maximizar seu lucro ou minimizar sua perda contra o range dele. Os potes “monstros” em deep stack sao construído com vários bets, e com isso você terá muito mais informação pra colocar o oponente num range pequeno de mãos, nunca esqueça que isso é o principal.


Jogando Deep Stack 1/2

fevereiro 3, 2011
Escrito por RoyalSalute – Fórum MaisEV

Introdução

Este artigo aborda conceitos para se jogar deep stack NL Holdem, e nele dou também algumas dicas de ajustes para se adaptar a um jogo mais deep. O artigo é voltado no geral pra cash game, que é aonde encontraremos jogos bem deep.
As dicas e conceitos que eu cito são frutos da experiencia que eu adquiri jogando deep stack alguns meses no Absolute Poker, de bastante pesquisa, principalmente no forum do 2plus2 e de algumas discussões com grandes jogadores brasileiro de cash game. Não temos aqui o “ultimate guide for deep stack”, mas um artigo com um conteúdo que acredito que pode ser aproveitado por alguns jogadores .


Quando eu digo deep stack em cash game, estou me referindo a potes em que os jogadores envolvidos tem 200 ou + big blinds. Essa situação é muito comum principalmente no jogo LIVE, onde o buy in máximo da mesa costuma ser mais do que os 100BB “padrao” do online. No online a situação mais comum para ter que jogar deep stack é quando você esta em uma session há um bom tempo e já esta com um bom lucro, e enfrenta outros jogadores na mesma situação, com mais de 1 buy in “pra frente”. Hoje a maioria dos sites também oferecem mesas deep stack, como o Full Tilt poker que frequentemente tem mesas deep rolando.

A grande vantagem de jogar deep stack é estar aproveitando ao máximo a vantagem que você pode ter sobre algum oponente. Quanto mais deep você estiver jogando um pote contra um fish, melhor, pois você conseguirá extrair o máximo dele. Outro ponto é que poucos jogadores se ajustam bem quando um jogo começa a ficar muito deep stack, a maioria continua jogando como se estivesse jogando um jogo entre 50-100BB. Fora isso, a parceirada dos jogos LIVE costuma ser um “sonho”. Sabendo se ajustar nas ocasiões que você se encontrar deep stack aumentará sua vantagem sobre os outros jogadores.

Vou dividir o artigo em 2 partes, 1º falarei sobre o principal conceito de deep stack: “Posição > all”, e como isso influencia no modo geral de jogar, incluindo o pré-flop. Depois falarei um pouco sobre raised pots, 3bet pots e 4bet em deep stack.

Quanto mais deep, mais importante a posição e menos as cartas.

Pode parecer até conselho de iniciante, mas é de longe o conceito mais importante ao se jogar deep stack e vou bater várias vezes nessa tecla: Quando se joga deep stack posição importa MUITO.

Se você está jogando com 20BB, AA vai ser uma mão forte em qualquer posição enquanto que 56s só será útil pra steal. Já com 100BB 56s se torna uma mão bem mais interessante. A diferença de “força” entre um AA e o 56s vai diminuindo a medida que estamos cada vez mais deep, e em contrapartida a força de sua posição na mesa vai aumentando quanto mais deep.

Algumas coisas que fazem posição importante em deep stack e vc deve estar atento:

– Com posição você tem muito + pot control.

Quanto mais deep normalmente maiores as apostas nas últimas streets, e salvar uma aposta ou conseguir value em outra vai ser vital pro seu balanço no final da session.

– Draws jogam melhor em posição.

Deep stack vc raramente vai estar fazendo um move no flop com draws (digo um raise all in no bet de um oponente ou bet-3bet/push). Isso porque diferente do jogo entre 50-100 BBs, na maioria das vezes o pote normalmente será pequeno em relação a quantidade que você e o oponente ainda podem apostar. E por isso quando estamos deep se torna mais complicado jogar draws fora de posição, quando você joga agressivamente e toma um call você fica muitas vezes em situação chata no turn/river, tento que optar muitas vezes por desistir da mão ou lançar 2barrels/3barrels bem caros.

Em contrapartida com posição você poderá pegar free cards quando achar necessário, fazer um semi-blefe quando sentir fraqueza (geralmente é mais fácil fazer um semi-blefe depois de um check do oponente do que sendo o 1º a falar, e também tem o fato dos jogadores quando estão fora de posição e deep stack jogarem bem weak as mãos, sendo mais fáceis de dar outplay), e você consegue extrair mais quando acertar sua draw.

– Deep stack vc nao costuma ficar pot commited antes do turn/river.
Em deep stack quase sempre os jogadores vao ter bastante “pra trás” pra jogar todas as streets, e o turn e o river sao streets que um bom jogador costuma ter um edge maior ainda sobre fishs do que no flop. E esse edge é sempre maior jogando em posição.

Unraised / raised pots (raise normais de 3-5BB)

Aqui o pote ainda é pequeno e vale a velha máxima: Potes grandes são para mãos monstros. Não se afunde com Overpairs e TPTK. AK, AQ por exemplo tem muito valor quando floparem trips ou um straight, mas com TPTK vc normalmente não vai conseguir muito, e se for fundo na mão provavelmente perderá um bom pote. Jogue cautelosamente essas mãos quando flopar um top pair em um pote que ainda não está grande. Não precisa jogar weak, e sim com inteligencia, tomando cuidado contra jogadores + tights e tentando controlar o tamanho do pote quando possível.

Tenha um pouco de cautela quando acertar um draw baixo com suited conectors. Um exemplo é com 56s acertar um board com 789 ou acertar um flush. Claro, se quando você acertar sua mão (independente da street), já tiver 100BBs no pote vc não vai conseguir evitar de colocar +100BBs, mas se vc acertar a mão quando o pote estiver muito pequeno você tem que tomar cuidado… potes grandes deep stack costumam acontecer entre best hand vs 2nd best, e quando vc acerta um draw baixo não se esqueça que você está com 2nd best hand.

Por isso AXs ganha valor. Normalmente jogos deep sao um pouco + loose pois a relação do quanto vc ta investindo pré-flop pro quanto potencialmente o pote pode chegar é menor, e AXs é uma mão que fica mais jogável em potes com muitos jogadores. Todo caso o grande motivo de AXs ganhar valor é que vc estará buscando um draw pro nuts, e pode ganhar um pote monstro se outro jogador também acertar o flush. Em posição é mais fácil extrair o máximo dos jogadores, principalmente contra jogadores bons que dariam fold em um flush médio/baixo se encontrassem alguma resistência depois de formar o flush no board. Quando eles estão fora de posição e acertam um draw ficam em posição complicada, check/call e perder valor? bet/fold sabendo que podem enfrentar um blefe? Quando estão em posição vc tem uma decisão mais chata… arriscar um check-raise ou já apostar? Check-raise pode perder valor, e apostando o oponente com draw baixo estaria bem dando apenas um call pois saberia que um raise em muitas situações teria pouco valor. Esse exemplo é apenas pra justificar que é mais fácil extrair em posição, e a importância de jogar mãos com potencial de draws em posição em deep stack.

Tome um pouco mais de cuidado com set vs set quando vc tiver um bottom set. É difícil foldar um set, mas quando vc joga muito deep em potes aonde não tivemos raise ( ou apenas 1 raise normal pf), tem situações que o fold é a melhor jogada. Eu tomaria um pouco de cautela em multiway pots com board dry e com muita action. Se vc tem um par de 4 por exemplo em um flop 48T rainbow e encontra muita action já no flop eu pensaria 2x antes de continuar na mao. Eu nao teria tanto medo de comprometer 100BB nesse pote, mas não iria comprometer 300BB por exemplo quando está claro que alguém tem 88 ou TT. Mesmo com uma draw ou outra pense bem, pois poucos players jogam draws muito agressivamente quando estao deep stack. Contra um NIT mesmo em HU também tome cuidado, se um nit deu um raise PF e vc com 33 encontrou um flop A93, pense bem se encontrar muita resistência, tem nits que claramente não vão por todo $ no flop com AK e não dariam raise pré-flop com A9, portanto pode ser uma situação que é melhor recuar.

Segunda Parte


Estratégia básica para Rush Poker

fevereiro 1, 2011
Retirado do fórum twoplustwo
Traduzido por Danilo Telles – MaisEV

A idéia básica do Rush Poker é que após uma mão ser finalizada ou o jogador resolver descartá-la, ele será instantaneamente levado para uma mesa aleatória, onde será colocado em um assento também aleatório.

Para acelerar ainda mais o jogo, não é necessário esperar a ação chegar até o jogador para desistir de uma mão, bastando apenas apertar o botão “Quick Fold” para ser movido para outra mesa.

A maior diferença entre os jogos comuns é que por estar sempre mudando de mesa, você não tem muitas leituras do seu oponente, então é necessário diversos ajustes, vamos a eles:

1) SEJA EXPLORÁVEL. Esta é a chave para tudo. Da mesma forma que nós não temos grandes leituras dos oponentes, eles também não tem leituras nossas. Normalmente, até mesmo os fishes entendem rapidamente (pois só estão jogando uma mesa) se nós apostarmos 1/2 do pote em cada c-bet em que não acertarmos o flop e o pote em todas as c-bets que acertarmos . Não mais. Então jogue de maneira terrivelmente explorável onde você aposta muito com mãos fortes e pouco com seus blefes e mãos fracas.

No pré-flop, nós agora podemos fazer nossos steals do button 3bb, ou até mesmo 2.5bb quando temos mãos fracas como 68s e 4bb ou até mesmo maior quando temos mãos com um bom valor. Nossas c-bets deve ser quase o pote sempre que for por valor e consideravelmente menos quando forem blefes. Dar c-bets de 1/3 do pote com o board A83r, que é super “dry” não é problema nenhum quando temos 9Ts e apostar o pote quando temos AQ é ótimo.

2)ROUBAR BLINDS. O jogo fica MUITO tight. Já que qualquer um pode apenas clicar o botão de fold e ter uma nova mão, as pessoas, inclusive o fish, tem a tendência da foldar milhões de vezes. Esta é uma verdade pré-flop, mas também é uma verdade pós-flop. Isto tornou o jogo a epítome do weak tight e nós sabemos exatamente como combater isto: roubar muitos blinds. Podemos abrir muito nosso range de SB/BTN/CO e até mesmo midlle position. Enquanto muitos vêem uma mão como Kxs ou Q7o ou qualquer que seja como um fold instantâneo no BTN, nós devemos esperar e ver se chega em fold até nós para definitivamente roubar. A maior parte do tempo as pessoas no SB e BB não estão mais na mesa e foldaram instantaneamente 10 segundos atrás. Então roube ainda mais do que o normal. Da mesma maneira, esta mentalidade weak tight parece que se estende ao flop, pois cbets ganham um impulso adicional no valor, então você deve fazer muitas c-bets lights pequenas, em posição ou não.

3)VALOR. O que é interessante é que as pessoas que estão jogando agora mesmo, parecem estar cometendo a maioria de seus erros pós-flop. Se vê tão poucos flops que quando alguém finalmente acerta um par alto no flop, simplesmente não deixam passar. Eu fiquei completamente chocado pelo montante de call downs light que vi, com relação a um jogo normal de NL25 ou NL50. O resultado, eu creio, é que second barrels de fato ganham um pouco menos de valor do que em um jogo normal, mas este pouco valor a certa altura ganha mais valor. Desde que não nos preocupemos com o equilíbrio ou metagame ou qualquer que seja o valor em double barreling contra regulares, para “equilibrar” nosso jogo e tentar ajudar a chegar à ação mais tarde, está tudo acabado.

Assim como o jogo normal, a idéia básica é sempre ir atrás de valor, valor, valor. E por causa desta mentalidade passiva, os escapes do jogo e a habilidade de jogar de maneira explorável, podemos alcançar grande valor só com pote, pote, shove mão após mão, quando fazemos TPTK ou dois pares ou qualquer coisa dependente do board. Não hesite em ir atrás de valor, mesmo se for pouco.

4) LEITURA. Infelizmente nossa leitura é reduzida, mas nós podemos ainda assim conseguir muitas boas leituras. Primeiro e mais importante é tamanho do stack. Se as pessoas não estão entrando com stack completo, elas são fish, de um jeito ou de outro, é apenas um fato. Nós podemos presumir que eles são mais loose passive do que a média e devemos ir em busca de mais valor e menos blefes contra esses jogadores. Da mesma forma, se alguém tem um stack realmente grande, geralmente é um bom jogador. Normalmente um bom regular tem algumas mesas onde ele dobrou, algumas mesas onde ele perdeu dinheiro e está com buy-in máximo, portanto é difícil dizer pelo tamanho do stack se o cara é bom… ele pode ser e apenas não ter vencido nada ainda. Entretanto agora, por causa do jogo correr tão rápido, com tantas mãos, os bons jogadores aumentam seus stacks muito rápido. Essa é a mesma idéia de conhecer o tamanho de stack “médio” de um multitabler e usar isto como um indicador. Então grandes stacks – bom, stacks pequenos – mau.

Outras boas leituras são leituras do tamanho da aposta, tais como, pessoas dando limp pré-flop, ou dando raise não-padrão do tamanho do pote do flop padrão, como minibetting ou com miniraise ou qualquer outro. O timing conta, o nome conta, etc. Vocês já sabem tudo isso, mas a questão é que antes nosso HUD nos diria que o cara é fish e perguntaríamos como lidar com o que descobrimos. Agora estamos usando tells para determinar que o cara é um fish, mais provavelmente que se encaixa no perfil padrão de um fish como loose passive que supervaloriza par alto, e então tirar vantagem disso, baseado em suas indicações limitadas. No entanto, vocês sabem que, se temos um cara que não entra com buy-in máximo e dá limp, as chances dele ser um fish loose passive são tais que não precisamos de HUD para confirmar isto.

Além disso, quando for para roubar, devemos tomar o tempo necessário para olhar para os jogadores à nossa volta, especificamente o tamanho do stack. Se tivermos dois short nos blinds, não queremos aumentar com 46s. Se tivermos dois fullstacks provavelmente devemos. Leve o tempo necessário para avaliar a situação, espere chegar em fold até você com aquelas mãos lixo, e tome a decisão de roubar ou não que será mais lucrativa do que apertar o botão de FOLD e esperar para ver AA na próxima mão.


Jogando agressivamente no Turn

janeiro 31, 2011
Escrito por Phil shaw
Traduzido pela Universidade do Poker

A maioria dos jogadores do No Limit Holdem moderno, particularmente estes que aprenderam online, são familiarizados com linhas como three bet light e continuation bet. Estas estratégias prevalecem especialmente quando o jogo rola nas agressivas mesas 6-max, jogos short handed e HU. Three betar com frequência permite ajustar-se contra jogadores que abrem com um range muito amplo, e c-betar é obviamente uma ferramenta para levar potes quando você acha que o oponente errou o flop, ou ele pensa que você acertou.

turn queen card burn carta queimando poker poquer
Entretanto, conforme você sobe de níveis, a maioria dos jogadores não usam essa linha, e tem meios de contra atacá-la. Por exemplo, se tornou comum o four-bet light, e contra atacar jogadores que c-betam com frequência aumentando de forma light ou aplicando floats no flop. Por isso não podemos c-betar qualquer pote contra jogadores inteligentes, mas também não podemos só aplicar check e desistir.

Para continuar a levar os potes e dificultar a vida dos oponentes, você precisa continuar a aplicar agressão no turn depois de ter mostrado força no flop. Isto significa continuar com blefes ou semi-blefes contra jogadores que possivelmente estejam em float contra você, ou dar check-raise contra jogadores que tentam levar o pote no turn. Isso também significa apostar por valor de forma mais leve em situações onde você tem uma dinâmica agressiva contra o vilão. Isso balanceará seu jogo, e irá torná-lo em um jogador difícil de combater. Mas o poker não é tão simples, e deve-se considerar alguns cenários onde você pode se encontrar e em que sua escolha de jogo pode ser baseada em outras variáveis.

Ponto chave:
Ser agressivo no turn é vital em cash games com poucos jogadores, onde há um grande aumento pré-flop e agressão no flop com muito mais jogadores contra atacando o agressor pré-flop.

Posição é Tudo

A situação mais comum é quando você aumenta antes do flop e é pago por outro jogador, tanto no pré flop quanto no flop. Neste ponto, você precisa considerar sua posição – Tanto na sua mesa quanto em relação aos outros jogadores, a textura do flop e a carta do turn, bem como as tendências de seu oponente. Se você aumentou em posição inicial, então obviamente você é capaz de ter uma mão forte nesta situação e isso deve ditar seus passos.

Se o bordo é auto ou não coordenado, então você deve apostar tanto no flop quanto no turn em muitas situações. Mas se ele for baixo ou cheio de draws, talvez você tenha que desistir depois de uma aposta (ou, sequer aposte no flop). Você deve também estar mais inclinado a blefar quando estiver em posição ou quando scare cards aparecerem no turn, já que ambos os fatores estão a seu favor.

Entretanto, se você aumentou em posição final e foi pago no flop, sua posição em relação ao jogador que pagou é muito importante. Poucos jogadores seguirão contra você fora de posição no flop, sem nenhuma mão, quando você é o último a falar e assim sendo se eles pagarem, provavelmente tem algo.

Mas você precisa ter em mente que muitos jogadores vão lhe pagar pré-flop e no flop com mãos como pares médios, quando o bordo for baixo com uma única overcard. Sendo assim, você deve estar disposto a aplicar um double ou até mesmo triple barrel contra eles, quando cartas ruins aparecerem.

Se, no entanto, você está fora de posição no pós flop, tendo aumentado em posição final, suas jogadas se tornam muito mais dependentes de seu oponente.

Em stakes altos, e contra jogadores fortes você deve assumir que não conseguirá se safar, levando potes com c-bet frequentemente. Você se encontrará muitas vezes em situações complicadas no turn contra jogadores que estão inclinados a pagar continuation bets em posição com um range amplo, incluindo monstros, draws, mãos marginais e floats.

Assim, sua estratégia no turn precisa ser igualmente balanceada se você está fora de posição, e você precisa estar bem atento à sua imagem e as tendências de seus oponentes. Quando você aumenta em posição média ou final você não precisa necessariamente ter uma mão forte, e por causa disso – e pelo range aberto de seu oponente – a textura do bordo se torna importante. Sua estratégia deve variar entre double barrel, apostar leve por valor e check-raise, para evitar que seus oponentes apostem quando você der check com outras cartas de seu range. Se seus oponentes não presumirem suas ações, eles não conseguirão explorá-lo.

Ponto Chave:
É muito importante ter uma análise diferente do jogo, baseada na sua posição e na textura do bordo, antes de tomar uma decisão no turn. Fora de posição, sua jogada se torna muito mais dependente de seu oponente.

Jogando potes re-aumentados

Outra situação onde jogadores intermediários enfrentam problemas é em potes re-aumentados quando suas c-bets são pagas no flop. Novamente, é importante balancear seu range para tais ações, já que muitos jogadores aplicam c-bets com muita frequência em potes re-aumentados, esperando levá-los.

Entretanto, jogadores inteligentes reconhecem esse range aberto para three-bets e continuation bet frequentes, e assim, é preciso ocasionalmente dar check no flop. Esta é uma jogada normal uma vez que seu range será mais forte do que em um pote aumentado apena uma vez.

No turn, é preciso começar a ação com uma c-bet atrasada, se você deu check no flop, ou considerar suas opções se apostou e foi pago. Obviamente, em um cenário mais avançado, os stacks serão importantes, já que você pode comprometer uma boa fatia dele em uma aposta no turn. Você quer fazer apostas que possam lhe colocar em situações de all-in no river, sem comprometer-se em pagar um all in no turn.

Você deve procurar boas situações para isso, caso vá blefar, como bordos secos, com pares ou com Ás como carta alta, onde é difícil que você mesmo tenha um draw caso seja contra atacado. Você não deve apostar em situações onde não é comum receber um fold, como em bordos bem coordenados ou em um turn que possa ter melhorado mãos marginais, dando a elas o gut-shot ou outros outs.

Obviamente seus oponentes em stakes mais altos usarão táticas similares contra você e assim sendo você precisará fazer ajustes. Pode fazer isso foldando mãos marginais fora de posição no flop, que não podem enfrentar apostas no turn ou podem enfrentar péssimas cartas. Você pode também pagar mais light em posição, contra opoentes que gostam de aplicar double barrels bluffs ou apostar em scare cards com frequência. Você deve também estar preparado para apostar alto ou ir all in no turn com draws em situações onde seu oponente está inclinado a apostar e depois foldar uma grande parte do seu range para raises. Lembre-se, a agressão no turn é uma ferramenta valiosa, e você precisa usá-la.

Ponto Chave:
Em potes re-aumentados, você precisa variar seu jogo e algumas vezes dar check, já que muitas c-bets podem te colocar em situação complicada.


Defesa Contra Continuation Bets

janeiro 30, 2011
Retirado de pokerdicas.com

Todos sabem que a continuation-bet (c-bet) é uma parte importante da estratégia do Poker. É uma ferramenta bem conhecida e aplicada pela maioria dos jogadores em algum momento. Como muitos aplicam c-bets, é fundamental saber como se defender. Mas…

O que é continuation bet?

Para quem ainda não sabe, trata-se da aposta feita no flop após você ter dado raise antes do flop. Ao se deparar com uma c-bet, tenha em mente que a maioria dos flops erram a maioria das mãos, principalmente em potes com somente 2 jogadores. Mas para se defender bem é necessário leitura do vilão.

Caso não possua um programa de estatísticas, preste atenção nas mãos em que não estiver envolvido e observe a frequência com que seus adversários aplicam “continuation bets”. Essas c-bets são de que valor? Meio pote, 2/3 do pote, do tamanho do pote? Lembrar esses detalhes fará diferença quando enfrentar esse jogador.

poker chips artigos black pretas fichas

Um bom jogador fará “continuation bet” em pelo menos 50% das vezes em que é o raiser pré-flop, podendo chegar a 75%. Com essa frequência é difícil identificar quando ele tem ou não uma boa mão. Jogadores que fazem c-bets menos que isso geralmente só o fazem se acertam algo, quando possuem um draw forte ou seguram um par feito na mão. Já os que usam esta tática em mais de 75% dos flops, geralmente o fazem com quaisquer duas cartas, tendo acertado ou não.

Para decidir o que fazer, considere a freqüência de “continuation bets” do oponente e o valor da aposta. Por exemplo, caso o oponente tenha 95% de c-bets e sempre aposta o tamanho do pote, não se assuste quando ele fizer o mesmo contra você, pois ele irá fazer. Já se o jogador aplica apenas 25% de “continuation bets”, o ideal é continuar na mão somente se tiver acertado algo forte.

Sendo assim, teremos basicamente três situações no flop.

1.  Acertou bem o flop ou o nuts

O melhor cenário possível. Você terá um maior par com maior kicker, trinca, sequência, flush, etc. Em um pote cheio de oponentes, uma boa opção seria dar call para atrair o call de outros vilões, tornando o pote maior. Um raise provavelmente isolará apenas 1 vilão, e esse não é o objetivo. O call também pode induzir o vilão a blefar ou semi-blefar uma segunda vez (second barrel).

Outra linha é dar raise após uma “continuation bet”. Nesse caso o oponente só continuará na mão se tiver acertado algo como um par ou um draw.

Entre as duas linhas, geralmente a mais recomendada é o call, mas você pode variar entre call e raise dependendo da situação. Exceção ocorre quando bater um A no flop, pois em geral o vilão com par alto estará disposto a colocar muitas fichas no pote, então você pode jogar mais agressivo.

2. Acertou parcialmente o flop ou possui draw forte

Nessas situações a leitura é muito importante. Se o oponente aplica “continuation bets” com frequência, o mais apropriado seria dar call e reavaliar a situação no turn. Caso não apareça nenhuma carta perigosa (scary card) ou o vilão demonstrar fraqueza como dar check, ou uma aposta fraca como 1/3 ou 1/4 do pote, tomar a liderança poderá te dar o pote. Muitos oponentes jogarão check/fold caso não tenham conseguido roubar o pote no flop. Caso você seja pago, ainda terá alguns outs para melhorar a sua mão, podendo reavaliar a situação nas próximas rodadas.

3. Não acertou nada ou possui draw fraco

O mais indicado é optar pelo fold. Considere o call se tiver odds favoráveis, por exemplo se a aposta do oponente for pequena. Outra opção é usar a técnica “float”, que consiste em pagar como um blefe e no turn acelerar o jogo. Mas usar esta estratégia sem nenhuma leitura será prejudicial a longo prazo, por isso o fold é a melhor opção caso não possua odds adequadas.

~

Neste artigo discutimos como agir quando estiver encarando uma continuation-bet do oponente. Saber quando lutar pelas fichas e quando largar vai depender não só das cartas que possui mas principalmente do histórico do oponente, e sua leitura da mão específica.
O mais indicado é optar pelo fold. Considere o call se tiver odds favoráveis, por exemplo se a aposta do oponente for pequena. Outra opção é usar a técnica “float”, que consiste em pagar como um blefe e no turn acelerar o jogo. Mas usar esta estratégia sem nenhuma leitura será prejudicial a longo prazo, por isso o fold é a melhor opção caso não possua odds adequadas.


Nível mental de pensamento

janeiro 25, 2011
Escrito por Andrew Brokos – Thinking Poker
Traduzido por Herick_BR – Fórum MaisEV

Um importante aspecto de um jogo de poker vencedor é a adaptação ao level (nível) no qual seu oponente está pensando. Muitos jogadores sérios de poker entendem isso na teoria mas tem problemas de aplicar na prática. Este mês, eu quero falar sobre quais os levels de pensamento e como eles devem influenciar seu jogo.

Quando me refiro aos levels de pensamento no poker eu me refiro à profundidade na qual um jogador está pensando sobre dada situação e os fatores que ele está considerando. Estes níveis podem ser divididos como se segue:

Level 1O que eu tenho? Este jogador pensa sobre a força absoluta da mão ao invés da força relativa. Ele aposta, paga, folda ou dá raise baseado somente nas duas cartas que segura sem ligar para fatores situacionais como quais as mãos possíveis de derrotarem-no, o que seu oponente pode ter, ou o que ele representa. O tamanho das suas apostas ou o tempo de suas decisões também tendem a ser proporcionais à força da sua mão. Somente os jogadores completamente horríveis são pensadores puramente de Level 1, embora muitos jogadores fracos se revertam à esse nível em certas situações.

Level 2– O que ele tem? Este jogador tenta ler o que seu oponente tem e depois joga sua própria mão de acordo com a leitura. Se ele blefa é porque suspeita que sua mão seja a pior e não porque representou consistentemente uma mão forte nas streets anteriores. Quando ele aposta por valor no river é porque sua mão é forte em relação ao board e ao range do seu oponente e não em relação à força do range que ele representou. A maioria dos jogadores pensam no Level 2 a maior parte do tempo.

Level 3– O que ele pensa que eu tenho? Estes jogadores são cientes não somente do que eles têm, mas também do que eles representam. Eles pensam dinamicamente sobre o range de mãos do oponente baseados em como ele jogou à luz das informações que eles sabem que eles deram ao adversário sobre a própria mão. Eles irão perceber, por exemplo, que você não apostou ou aumentou quando haviam muitas possibilidades de sequência ou flush no board e, portanto, lhe darão menos créditos por uma mão grande. Eles farão também thin values bets quando eles sabem que demonstraram fraqueza e blefar quando demonstraram força mais cedo na mão. Muitos jogadores vencedores de stakes médios são primordialmente pensadores de Level 3.

Level 4– O que ele pensa que eu penso que ele tem? Os pensadores de nível 4 são oponentes verdadeiramente cheios de truques, que entram na sua mente sobre sua jogada à luz da informação que você tem sobre ele e sua mão e também a informação que você sabe que deu a ele sobre sua mão. O melhor exemplo que posso pensar sobre esse jogador é o que folda um par para seu bet no river depois do seu check e call o flop e o turn e todos os draws óbvios não bateram no river. Se o seu raciocínio é que você pensa que ele pensa que você está blefando e portanto não iria blefar mas fazer um thin bet value, então ele está empregando o níve Level 4 de pensamento.

Você pode imaginar a progressão a partir daqui e como intricado os jogos de raciocínio podem alcançar entre dois jogadores de alto nível. Porém, poucos jogadores empregam o Level 4 e acima com sucesso regularmente, em parte porque frequentemente não é necessário.

Um call de Level 3

Essa mão ocorreu durante uma partida online de heads-up com blinds 3/6 e stack efetivo de $600. Meu oponente, um bom mas não ótimo jogador, deu raise pra $18 no botão e eu paguei com Kc6c do BB. O flop veio 9h 6d 4c, me dando o segundo melhor par e um bom kicker além de um back door flush draw. Eu dei check e paguei um bet de $28.

Um 7c melhorou meu flush draw e eu dei check novamente. Meu oponente também deu check e o river foi o 8s. Esta era uma carta ruim, não tanto porque era uma overcard pro meu par, mas porque completava 4 cartas em seqüência no board. Eu dei check novamente e meu oponente bet $70 em um pote de $74.

Porque eu esperava que esse fosse um jogador de Level 2, como até bons jogadores fazem quando chega a hora de apostar por valor no river, eu percebi que ele não faria um thin value bet aqui. Minha jogada passiva tinha representado uma mão fraca de um par que estava muito ameaçada no river. Logo, eu esperava que seu range consistisse de exatamente straights ou blefes. Depois eu conclui que essa era uma carta tão boa para ele blefar que ele apostaria mãos como a Ace-high que teriam algum, mas muito pouco valor no showdon, uma vez que minha mão parecia muito com um par pequeno.

Esse foi um pensamento de Level 3 da minha parte: Eu considerei da força sua sua mão e também o tipo de mão que eu representava. Um jogador Level 4 poderia me explorar aqui dando value bet em algo como dois pares. No entanto, eu não achava que esse jogador era capaz disso. Eu paguei o bet e ele me mostrou 4h 2h. Como eu suspeitava, ele tinha aplicado um cálculo suficiente nas possíveis mãos que eu tinha para perceber que um par não era suficiente para ganhar o pote, mas somente um blefe. Ele estava usando a lógica do Level 2 com seu bet no river, e pensando um level à frente dele, eu tomei a decisão correta.

Overthinking

Agora vejamos o que acontece quando eu tento aplicar o Level 3 contra um pensador de Level 1. Esta mão também ocorreu num heads up $3/$6, $600 de stacks efetivos, mas contra um oponente muito mais fraco.
Eu aumentei para $18 com 8c 7h no botão, e meu oponente fez um re-raise para $36, o qual eu paguei. O flop veio 7s 5s 5d. Ele deu check e eu também, um pouco suspeito pelo tiny re-raise pre-flop.

O turn foi um 8h. Ele deu bet $45, e eu paguei. O river foi um 9d, e ele bet $120 num pote de $162.
Nesse ponto, eu fiz duas suposições erradas sobre meu oponente. A primeira é que seu mini pre-flop re-raise viria quase sempre de cartas maiorias como um grande par ou um Ás grande. Logo, eu não estava particularmente preocupado sobre meu oponente ter 5, 6 ou 9 na sua mão. O segundo que o tamanho do bet no river seria ou uma grande mão, provavelmente trips ou melhor, ou um blefe, mas que nunca seria uma mão de força média como um overpair. Eu paguei e perdi para 9c3c.

Contra um pensador de Level 2, a suposição seria razoável. Mas aqui, eu agora acredito que meu oponente estava operando no nível 1, pelo menos no river– Eu não tenho idéia do que ele estava pensando pré-flop. Ele apostou forte porque tinha top pair, e não deu a mínima pra o tipo de mão que representava, quais as possibilidades do board, ou o que eu teria ou com o que poderia pagá-lo.

Porque eu pensei em excesso na situação, no entanto, ele alcançou o mesmo resultado de um jogador de Level 4 malandro. Ele encontrou um bom spot pra fazer um value bet representando um blefe quando na verdade tinha top pair, uma mão nada plausível com suas ações nas streets anteriores.

Conclusão

Eu escolhi focar esse artigo em decisões no river porque elas eliminam a complexidade dos implied odds, implied odds reversos, semi-blefem, controle de pote e proteção da mão que fazem parte das decisões nas streets anteriores. O jogo no river é puramente um jogo de raciocínio onde nós precisamos descobrir o processo mental que envolve blefes, calls e value bets.

Eu declarei mais anteriormente que poucos jogadores empregam o Level 4 ou maior, e isto é em parte porque não é freqüentemente necessário. Seu objetivo deve ser pensar um e somente um level acima do level que seu oponente esta pensando.

Jogadores melhores se adaptarão mais rapidmanete a você, mas se não se adaptou de maneira certa, então um oponente fraco pode ser tão tricky quanto um bom oponente. Se você está um nível atrás, então estão passando a perna em você.

Mas se você está mais de um level na frente, então você está dando muito crédito ao seu oponente e está overthinking (pensando além do ponto) certas situações.
Uma vez que há muito mais jogadores ruin que bons por aí, o último é um problema mais comum. Este é também, graças a Deus, um problema mais fácil de consertar.