Defesa Contra Continuation Bets

janeiro 30, 2011
Retirado de pokerdicas.com

Todos sabem que a continuation-bet (c-bet) é uma parte importante da estratégia do Poker. É uma ferramenta bem conhecida e aplicada pela maioria dos jogadores em algum momento. Como muitos aplicam c-bets, é fundamental saber como se defender. Mas…

O que é continuation bet?

Para quem ainda não sabe, trata-se da aposta feita no flop após você ter dado raise antes do flop. Ao se deparar com uma c-bet, tenha em mente que a maioria dos flops erram a maioria das mãos, principalmente em potes com somente 2 jogadores. Mas para se defender bem é necessário leitura do vilão.

Caso não possua um programa de estatísticas, preste atenção nas mãos em que não estiver envolvido e observe a frequência com que seus adversários aplicam “continuation bets”. Essas c-bets são de que valor? Meio pote, 2/3 do pote, do tamanho do pote? Lembrar esses detalhes fará diferença quando enfrentar esse jogador.

poker chips artigos black pretas fichas

Um bom jogador fará “continuation bet” em pelo menos 50% das vezes em que é o raiser pré-flop, podendo chegar a 75%. Com essa frequência é difícil identificar quando ele tem ou não uma boa mão. Jogadores que fazem c-bets menos que isso geralmente só o fazem se acertam algo, quando possuem um draw forte ou seguram um par feito na mão. Já os que usam esta tática em mais de 75% dos flops, geralmente o fazem com quaisquer duas cartas, tendo acertado ou não.

Para decidir o que fazer, considere a freqüência de “continuation bets” do oponente e o valor da aposta. Por exemplo, caso o oponente tenha 95% de c-bets e sempre aposta o tamanho do pote, não se assuste quando ele fizer o mesmo contra você, pois ele irá fazer. Já se o jogador aplica apenas 25% de “continuation bets”, o ideal é continuar na mão somente se tiver acertado algo forte.

Sendo assim, teremos basicamente três situações no flop.

1.  Acertou bem o flop ou o nuts

O melhor cenário possível. Você terá um maior par com maior kicker, trinca, sequência, flush, etc. Em um pote cheio de oponentes, uma boa opção seria dar call para atrair o call de outros vilões, tornando o pote maior. Um raise provavelmente isolará apenas 1 vilão, e esse não é o objetivo. O call também pode induzir o vilão a blefar ou semi-blefar uma segunda vez (second barrel).

Outra linha é dar raise após uma “continuation bet”. Nesse caso o oponente só continuará na mão se tiver acertado algo como um par ou um draw.

Entre as duas linhas, geralmente a mais recomendada é o call, mas você pode variar entre call e raise dependendo da situação. Exceção ocorre quando bater um A no flop, pois em geral o vilão com par alto estará disposto a colocar muitas fichas no pote, então você pode jogar mais agressivo.

2. Acertou parcialmente o flop ou possui draw forte

Nessas situações a leitura é muito importante. Se o oponente aplica “continuation bets” com frequência, o mais apropriado seria dar call e reavaliar a situação no turn. Caso não apareça nenhuma carta perigosa (scary card) ou o vilão demonstrar fraqueza como dar check, ou uma aposta fraca como 1/3 ou 1/4 do pote, tomar a liderança poderá te dar o pote. Muitos oponentes jogarão check/fold caso não tenham conseguido roubar o pote no flop. Caso você seja pago, ainda terá alguns outs para melhorar a sua mão, podendo reavaliar a situação nas próximas rodadas.

3. Não acertou nada ou possui draw fraco

O mais indicado é optar pelo fold. Considere o call se tiver odds favoráveis, por exemplo se a aposta do oponente for pequena. Outra opção é usar a técnica “float”, que consiste em pagar como um blefe e no turn acelerar o jogo. Mas usar esta estratégia sem nenhuma leitura será prejudicial a longo prazo, por isso o fold é a melhor opção caso não possua odds adequadas.

~

Neste artigo discutimos como agir quando estiver encarando uma continuation-bet do oponente. Saber quando lutar pelas fichas e quando largar vai depender não só das cartas que possui mas principalmente do histórico do oponente, e sua leitura da mão específica.
O mais indicado é optar pelo fold. Considere o call se tiver odds favoráveis, por exemplo se a aposta do oponente for pequena. Outra opção é usar a técnica “float”, que consiste em pagar como um blefe e no turn acelerar o jogo. Mas usar esta estratégia sem nenhuma leitura será prejudicial a longo prazo, por isso o fold é a melhor opção caso não possua odds adequadas.

Anúncios

Low Limits Manual – jogando o pré-flop – pt. III

janeiro 11, 2011

Na parte III do manual de micro limits trataremos das últimas três posições: o Button, o Small Blind e o Big Blind. Além disso, será discorrido um pouco sobre movimentos tais como a donk bet e o squeeze. Para aqueles que desejam dar uma olhada nas primeiras partes, os links estão abaixo:

Pt. I; Pt. II

Button (BTN)

BTN é a posição mais divertida e interessante de se estar. Há mais oportunidade de se dar raise, 3bet, isolar e dar cold call do que em qualquer outra posição. Você irá jogar o seu jogo mais loose no BTN. Seu range de raise no BTN pode ser bem vasto ou bem tight, realmente depende do jogo que você se encontra. é muito possível dar raise 50% das suas mãos no BTN. Vamos adentrar nosso range:

tabela range button btn
Range padrão de mãos do BTN

Este livro inteiro irá tentar ensiná-lo como tomar decisões sozinho, através de uma explicação detalhada e com exemplos. Este range é mto flexível, pode ser ampliado ou diminuido ate 15% dependendo da mesa.

Loose games:

O BTN é tão complicado que eu quero te dar uma diretriz bem straightforward (simples) e deixar você chegar às próprias conclusões de quando um raise no BTN é lucrativo ou não. Qualquer coisa que você daria raise em MP você pode dar raise ou isolar no BTN. As outras mãos irão te por em decisões difíceis em jogos loose. Em jogos loose onde existem muitos limp/calls você quer evitar mãos como 46s ou 89o. E na maior parte do tempo você pode isolar o donk limp/caller com tipo de mãos.K9s ou J9o.

No evento em que a mesa é loose e está limp/foldando com uma frequência decente você pode usar quase todo o range, talvez deixar de fora 2% de mãos, somente o seu botton range (46s-86s, A8-A9o, T6s-Q9s, 54s-76s, A2-A4s etc). Se você prefere algumas mãos e não gosta de outras, está bem, a analise feita anteriormente deve trazer exemplo de como certas mãos são mais fáceis e mais lucrativas de se jogar em certas situações. Se a mesa esta dando muito limp/call ou há multiway flops frequentemente você tem que eliminar algumas mãos, dar raise talvez com um range tight do CO e dar um raise maior. Está okay fazer 6bbs+1bb para cada limper, nesses jogos as pessoas não notarão ou se preocuparão com seu range ou tamanho de aposta.

Tighter Games:

Estes são bem mais interessantes. Assim que o jogo se torna mais tight e há menos limpers ou pessoas limp/fold ou jogando porcamente você pode realmente abrir seu range. O fator mais importante quando se abre do BTN é quão tight os blinds são. A Maioria dos TAGs serão muito tights OOP, isto significa que no botão você pode lucrar dando raise com quase todas mãos suited, qualquer Ax, e offsuit cards medianas (embora, com estas menos do que qualquer outra). A idéia aqui é que jogadores assim irão desistir de 90% das mãos, e mesmo que eles vejam o flop você terá posição. Eu penso que a maior parte dos jogadores tight irão dar limp com small pairs, suited connectors, e mãos do tipo KQ, em EP. Levo isso em conta, esses tipos de mãos são do tipo acerta ou erra, eles irão dar c/f no flop ou tentar jogar uma grande mão, que torna mais fácil pra gente dar b/f se nós estivermos fracos podendo então desistir da mão facilmente e nos permitindo decidir quando queremos jogar pots grandes contra nossos oponentes. Eu sou muito mais inclinado a isolar um jogador weak tight com uma mão marginal, do que um jogador loose/passive.

Stack sizes:

Como maioria das coisas, assim que o tamanho do stack aumenta, aumenta também seu range de open e sua estratégia. Eu acabei de falar: “Eu sou muito mais inclinado isolar um jogador weak tight com uma mão marginal, do que um jogador loose/passive.”. Quando eu estou deep (200BB+) esta equação muda e eu vou preferir jogar contra um jogador loose/passive porque eu sei que todas as minhas mãos do tipo 22+ podem ser realmente pagas por esses caras, e eu também posso cbet/extrair com 1 ou nenhum par de tipos de mãos. Mesma coisa se eu quero abrir contra blinds mais loose, você pode dar raise com o range inteiro de mãos marginais, porque você tem posição e uma mão incomun que tem tremendo potencial e frequentemente irá estar disfarcada. Assim que o stack se torna menor, evita mãos do tipo 64s, e use K8s ou A9o, como elas são o pão e a manteiga do bottom do seu range.

Você deve focar em tentar dar raise quando um jogador mais loose dá limp e há jogadores tights para agir atrás de você (todas essas situações estamos falando sobre mãos marginais, você deve dar raise sempre em todo seu range principal).

Então vamos dizer que um 40/20/1 dá limp em MP, você está no BTN com 57s, ele tem mais ou menos 110BB’s e você o cobre. Os blinds são: um nit e um 29/14 que folda o BB para steal (roubo) (esta é uma estatística que você deve estar usando) você pode, com certeza, dar raise com seu 75s lucrativamente, provavelmente 90BB+ nesta situação (stacks efetivos). No caso de o BB jogar 40% das mãos e o SB é um TAG 20/18, você deve dar raise com essa mão menos frequentemente.

Entenda que essas situações são ficção, poker de verdade numa mesa online é completamente diferente de mesa pra mesa, cada uma é unica, só foque em cada fator. Por exemplo, o jogador mais loose no BB. Ele faz com que você queira dar raise com essa mão menos frequentemente, mas vamos dizer que ele dá limp/fold 90% das cbets, isso o faz mais inclinado a dar raise. Considere todas essas coisa quanto tomando uma decisão, e então ache uma solução (raise ou fold). Por valer a pena, se alguem folda 90% das cbets, eu irei isolá-los muito loose, quase independente de outros jogadores na mão, ao menos que os blinds sejam 2 shorties ou algo dessa natureza.

3betting:

Aqui seu range também é o mais amplo. você quer 3betar no botão muito mais frequentemente do que em qualquer outra posição (vá atrás dos outros em posição, não OOP). Aqui você quer que seu peso seja de 3:2, entao para todas 3 value 3bets, você joga 2 blefes. Esta equação tem um mundo contra de oponentes mais adaptados/espertos que realmente irão te perseguir e te atacar PF e posflop, mas até que um oponente apresente vontade de combater sua estratégia, continua a explorar o seu jogo fraco e mantenha a pressão.

Quando 3betando, você deve primeiro considerar posição, o CO é onde o range do seu oponente é o mais amplo, e é a posição que nós iremos mais 3betar esse jogador. A segunda coisa (mas a coisa mais importante) é o % de mãos que esse jogador dá raise. Isso foi discutido anteriormente, mas a idéia geral e que quanto mais o jogador dá raise, mais nós podemos 3betar, contudo, jogadores que dão muito raise, digamos um 38/26, evite 56s e incline-se a AJo, esse tipo de jogadores verão frequentemente o flop com você, e você quer aparecer com uma mão do tipo par forte. A terceira parte dessa equacao é o hand history. Se um jogador continua foldando para 3bets ou da c/f em todos os flops que ele erra, continue a pressiona-lo. Se um jogador é bom e tem mais tendência a 4bets bluff ou c/r no flop com um draw ou completo blefe, evite blefar muito e incline-se a value 3bets. Qualquer range, peso, princípio, idéia ou estratégia neste livro pode ser manipulado para explorar seu oponente, você so deve analisar o jogo dele e chegar a conclusões de como ele joga, então descobrir como explorar (um exemplo simples: se alguem que 3beta 80%+ das mãos, aqui você dá c/r contra esse jogador com air (blefe) para explorar o fato dele 3betar muito frequentemente com mãos marginais, assim, explore-o e faça dinheiro. Isto também faz com que seja mais dificil de jogar contra você e ajuda suas mãos feitas serem pagas por mãos fracas).

Blinds (BB e SB)

Meu range de raise aqui é mais tight que a maioria, tipicamente 88+, AJs, KQs, AK. (nem mesmo AQo!) já que você se encontra em dificeis situações quando um donk dá limp/call e tem posição, enquanto eles estão somente te colocando em AK. Dê check e ganhe unraised pots, sua mão irá constantemente fazer par melhores, etc. e você ganhará mais do que se você tivesse dado raise. Também, faz com que sua vida seja bem mais fácil, jogando menos pots OOP.

3betting:

vs UTG: Normalmente QQ+ e AK, com um muito raro blefe. Algumas vezes eu somente 3beto KK+ se ele é um jogador tight como 17/14, Eu não sei o que pessoas tem te dito, mas você é permitido a flat call TT-JJ e AQ AK vs UTG dos blinds, Se valer a pena um squeeze, eu irei 3betar mais frequentemente. Eu incluirei também JJ se for um LAG ou algo como 21/19.

vs MP: Mesma coisa que UTG, Eu 3beto JJ+ contra os mais loose, contra LAGs eu incluirei TT. Eu também 3beto AK quase 100% das vezes, e AQ muito mais frequentemente também, provavelmente 50%, dependendo. Também irei começar a incluir mãos porcas como 54s ou T9o.

vs CO: TT+, AQ+, AJs ou KQs algo como metade das vezes, as versões offsuits algo como 30% das vezes. Novamente misturando com mãos ruins aleatórias.

vs BTN: Raramente 99. TT+, AJ e KQ muitas vezes, e um monte de porcaria. Lembre-se, esse range é uma inteira reflexão do meu oponente, quão loose ele é, o que eu estou tentando alcançar. Contra jogadores que dão muito call em 3bets eu incluo KQ e AJ mais frequentemente. Contra jogadores que geralmente foldam para 3b, mais 75s ou 98o.

Ok, agora eu quero introduzir e adicionar duas coisas que eu fui pedido para por e eu desisti da primeira vez:

Squeezing:

Um squeeze é 3betar quando há mais de 1 caller, ou até mesmo quando alguém está isolando um donk (a teoria com ambos é que sua linha parece muito forte e irá obter uma alta taxa de sucesso e lucrar muito. Também, se alguém está isolando um jogador fraco, então ele isola com muitas mãos, das quais a maioria não pode continuar com uma 3bet). Conforme você vai subindo de nível, os outros irão começar a ficar p* quando você squeeza e contra-ataca jogando uma quantidade decente de 4bets. É contra esse tipo de oponente que eu diminuo minha frequencia de 3bet (porque eles pensam que eu squeezo muito mais que eu realmente o faço). Mas, a maioria não sabe o que é um squeeze ou como lidar com ele, mesmo que eles saibam o que é. Aqui estão algumas coisas que você não deve fazer quando “squeeza”.

1. Não squeeze AQ, JJ ou TT ao menos que você irá dar call em um shove/4bet. Você estará rasgando dinheiro ao fazer isso.

2. Não squeeze se o(s) caller(s) tem algo como 10BBs. Eu vejo isso muitas vezes, pessoas squeezam 76s e então o donk com 10-20bb da call com Ax. Denovo, rasgando dinheiro.

3. Não squeeze um raiser UTG tight.

4. Não squeeze se seu oponente é louco e você não vai ficar committed com sua mão, algo como AJ ou 99, algo marginal.

5. Não squeeze 56s, A5s ou T9o, mãos porcas, se você sabe que o overcaller é um donk e irá dar overcall na sua 3bet e causar problemas. FWIW, este é um grande problema OOP e um pequeno problema IP (em posição).

Ball till you fall – Mantenha a pressão até ser pego.

Ou, squeeze até funcionar. Alguns jogadores são tão weak tight que eles não conseguem ajudar a si próprios. Em HU, pessoas falam que abrir todo BTN é matematicamente correto até que seu oponente se ajuste. Mesma coisa aqui, ou qualquer lugar no poker, até que seu oponente lhe de uma razão para não squeezar (por exemplo, 4betting ou dando call e shovando flops) continue squeezando e cbetando. Tome o dinheiro dele se ele quer lhe doar. Isto pode ser aplicado em qualquer lugar, então vamos fazer outra coisa enfatizada:

Até que seu oponente dê uma razão para parar de lhe explorar, continue o explorando. Continue squeezando até que ele façaa algo contra, mantenha value bets até que ele dê raise, mantenha double barreling até que ele de raise no turn, etc.

Se seus oponentes são weaktight (jogadores TAG em 25-200NL), eu provavelmente squeezaria eles em quase todas as situações, com qualquer mão lixo, até que, como nós ja discutimos, eles se ajustem, simplesmente porque parece tao forte e é muito lucrativo. Realmente, você é livre para squeezar qualquer que seja sua “trash hand” favorita, small pairs, Axs, SC’s, 98o ou qualquer outra coisa. Todavia você pode squeezar com AJ ou KQ também.

Squeeze OOP:

Somente se seu oponente é muito fraco e te dá muito credito. Eu diminuo consideravelmente minha frequencia de squeeze (somente um plano de jogo generalizado, eu coloco menos dinheiro OOP) estando nos blinds, basicamente.

Squeeze IP: All fcking day

Nunca bete um squeezed pot no flop ao menos que:

1. Você vai shovar ou crai o turn.

2. Seu oponente folda muito, então o call/shove dele definitivamente significa que você está em maus lençois.

Isso é meio confuso, o que eu não quero que você faça é cbetar em reraised pot se você tem air. Você não tem idéia de como isso é explorável com oponentes difíceis. Está OK em c/f um RR pot com air.

Eu quero continuar essa discussão sobre squeezing numa discussão de 3bet em geral.

Quando você 3beta um jogador e recebe um call, você deve saber mais ou menos o que ele tem. Nunca 3bete bluff um donk OOP (um loose, não um weaktight). Eu, tipicamente, sou muito tight nessas situações. Então vamos olhar com que teoricamente, se você 3beta um LAG/TAG, eles podem dar call IP com:

tabela range squeeze call

Range de mãos que podem dar call IP ao seu squeeze.

Claro que eles podem jogar mãos aleatórias que nós não podemos contar, mas geralmente, ao menos que seu oponente esteja fazendo um grande move, estas são as únicas mãos que irá realmente aparecer no range dele. FWIW (No que vale a pena), é provavelmente inclinado a 88+ AJ e KQ.

OOP é um pássaro de cores diferentes. Se um TAG dá call na minha 3bet OOP mais cedo na session ou sem history, eu coloco rapidamente ele em TT+ ou AQ exatamente. Eu cbeto boards K e Axx, por outro lado, eu c/f se eu tenho air IP. Mais ou menos como eu falei sobre squeezing, é, basicamente, 3betting no geral. Ao menos que seu oponente desista de muitos cbets, você, absolutamente, não está permitido a cbetar flop em um RR pot e c/f o turn. Para ser honesto, seus oponentes irão normalmente flat call o flop com pares fracos ou float com overs talvez, mesmo assim, quando vem o turn, é 100% ok double barrel bluff no turn. Pense  como você joga contra 3bets de outros. Também pense logicamente (usando a lógica). Olhe para o range de call de cbets no flop e range de call de cbets no turn, um é muito maior que o outro.

Última coisa que eu quero dizer sobre 3betting é:

Eu 3beto TT-KK e o flop vem Axx, o que eu faço? Bem, se você tem reads com que o seu oponente da flatcall você pode ajustar, mas betar sem reads (aka “blefe”) é normalmente a melhor opção porque muito frequentemente seu oponente irá o colocar em teste e eu vejo muitos posts de jogadores cometendo erros OOP onde eles checkam KK em um Axx e deixam de ganhar muito value. Basicamente, sem history e reads, você deve dar bet/fold.

Donk betting (leading):

Esta é uma parte muito interessante do jogo, muitos poucos jogadores o fazem. Eu não faço muito, mas há certas situações que são muito importantes. A razão que eu não faço muito é porque pessoas cbetam MUITO no geral, então c/r é tipicamente melhor. Mas nem sempre. Não donkbete sem uma razão, tenha um propósito.

Geralmente c/c um weak flush draw, como 65s em QJ8ss não é lucrativo, c/r deve ser lucrativo, mas, novamente, não é assim tão simples. Basicamente, não é nada de errado em dar lead (antecipar) no flop com sua mão. A coisa boa em dar lead nesse board, com essa mão, é que nós podemos facilmente b/f, e desde que nosso oponente não tenha idéia do nosso range de lead (até nós construirmos uma extensa history). Nos seus olhos nos podemos ter qualquer coisa, então nós podemos estar certos de que estamos mortos se ele der raise. A primeira vez que eu dou lead contra alguém, eu normalmente terei algumas mãos fracas. O que eu nunca farei é dar lead em qualquer draw/mão feita e c/f o turn. Algumas vezes eu decido em dar lead com KQ em Axx ou T9 em K86 ou algo parecido, mas vamos dizer que eu tenha 98s com um BDFD (backdoor flush draw) em Kxx, é melhor você acreditar que eu estarei betando o flop E o turn, não importa qual seja o turn. Eu realmente não acho que você deve dar lead com mãos feitas fortes sem uma boa razão, como uma history de que seu oponente sempre o coloca em mãos fracas (ele viu você b/f quando deu lead ou foi pro showdown com segundo par ou algo parecido). Por outro lado, eu sempre faço com semi-bluffs. “Ball till you fcking fall”. Algumas vezes dou lead com KQ em Kxx ou algo parecido, especialmente se há FD, planejando em b/c o flop e crai turn em um turn que não traga uma 3a carta pra flush. C/c alguns oponentes não é errado, só lembre-se que você esta no topo de seu range contra loose/bons jogadores que você provavelmente tem que ver 2 e normalmente 3 streets se você der c/c. O que você não deve fazer é dar lead com 99 em J77 ou 77 em K42 ao menos que seu oponente é ruim e fará a mão ser jogada facilmente porque bons jogadores irão ver direito através disso (até TAGs médios conseguem bater essa estratégia) porque é tão transparente como vidro. Se seu oponente respeita seu lead por algum motivo, vá em frente, mas lembre-se, tem que betar o flop E o turn, não importa qual seja.

Parte IV


Entendendo pot odds

janeiro 4, 2011

Definição:

POT ODDS é a relação que existe entre a quantidade de dinheiro existente no pote e a quantidade de dinheiro necessária para pagar uma aposta e continuar com o direito de poder ganhar a mão. Essa relação é expressa através da divisão do valor a ser pago pelo valor do pote.

Exemplo:

Antes do FLOP existe $20 no pote. Após o flop seu oponente aposta all in de $10. Para continuar na mão, você tem que pagar. Seus pot odds são 10:30 (valor a ser pago, dividido por pote total). Simplificando, temos que o pot odds é de 1:3 (leia-se um para três).

Para que servem POT ODDS?

Através dele é possível calcular a porcentagem de vezes que você tem que ganhar o pote para justificar a sua ação.

matusow wsop odds poker artigos

Como calcular isso?

Para calcular a % de vezes que precisamos ganhar para que uma situação seja breakeven (0x0), basta dividirmos a quantia que temos que pagar pelo valor do pote após o nosso call.

Pegando o exemplo anterior: O pot tem $30 e temos que pagar $10. Ou seja, estamos recebendo 1:3. Para acharmos a porcentagem de vezes que temos que ganhar para justificar o call, dividimos $10 por($30 + $10) = $10/$40 = ¼ = 0,25. Se multiplicarmos por 100, teremos a porcentagem de 25%.

Resumindo o cálculo:

* Ache os odds que você está recebendo (1:3).
* Divida a primeira casa pela soma da segunda + primeira (1 / 3+1)
* Multiplique o valor encontrado por 100.
* O resultado será a % de vezes que temos que ganhar para que o call seja breakeven (25%)

Como se aproveitar dessa informação?

Neste post nós explicamos o conceito de equidade. Sabendo nossa equidade, podemos comparar com os pot odds oferecidos e então concluir se o movimento a ser feito será lucrativo ou não.

Vamos expandir o exemplo proposto no início desse tópico:
Estamos no flop, sendo nossa mão Th9h (dez e nove de copas). O flop possui Ah 7c 5h nos dando um flush draw e um runner runner straight draw.

O pote tinha $20, nosso oponente foi all in de $10, totalizando um pot de $30. Temos que pagar $10 em $30 do pote, que significa 1:3, ou seja, temos que ter pelo menos 25% de equidade para o call ser lucrativo.

Nós já sabemos qual é a nossa mão e qual é o flop, agora precisamos saber qual é a mão de nosso oponente. Obviamente não temos como adivinhar, mas, de acordo com a ação dele podemos estimar o range que ele possui, ou seja, a gama de mãos que ele pode ter.

No exemplo em questão, vamos assumir que o oponente é um jogador incrivelmente tight e medroso. Ele só iria all in no flop com o maior par ou mãos melhores.

Uma vez definido o range dele, podemos agora estipular a nossa equidade. Conforme explicado no artigo sobre equidade, podemos usar a Regra do 4×2 ou o PokerStove.

Utilizando a regra do 4×2, podemos assumir que temos 9 outs para o flush. Não irei adicionar outs para o runner runner straight draw porque também não estou contabilizando as vezes que o oponente vai poder fazer full house ou que pode ter um flush draw maior.

Como temos 9 outs e estamos no flop, multiplicamos 9×4 = 36. Ou seja, nossa equidade é de aproximadamente 36%.

Se colocarmos no PokerStove os ranges aqui estimados, podemos confirmar que teremos cerca de 36% de equidade.

Feito isso, temos as seguintes informações:

* Precisamos de 25% de equidade para pagar o all in no flop.
* Temos 36% de equidade sobre o range do oponente.

Como nossa equidade é maior do que o mínimo necessário, a jogada correta é pagar o all in.

Como fazer a representação inversa, ou seja, de equidade para odds?

1. Divida 100 pelo número da equidade.
2. Subtraia 1 do resultado
3. O resultado será a segunda metade da representação, ao passo que 1 será a primeira metade

Sei que parece complicado, então vamos devagar, utilizando o exemplo anterior:

Divida 100 pelo número da equidade.

Sabemos que temos 36% de equidade. Então devemos dividir 100 por 36. O resultado é aproximadamente 2.78.

Subtraia 1 do resultado

2.78 – 1 = 1.78

O resultado será a segunda metade da representação, ao passo que 1 será a primeira metade

Primeira metade = 1
Segunda metade = 1.78

POT ODDS = 1 : 1.78

Assim sendo, qualquer aposta que nos oferaça mais do que 1:1,78, é lucrativo pagar quando nossa mão possui 36% de equidade.

Como transformar odds em valores de apostas?

1. Subtrair a segunda metade dos odds pela primeira;
2. Divida o valor do pot (antes da aposta) pelo resultado encontrado.

Exemplo:

Se o pot odds é de 1 : 3 e o POT no flop, antes das apostas é de $20, temos que:

3-1 = 2.
20/2 = 10.

Assim sendo, para termos 1:3 em um pot de $20, a aposta do oponente tem que ser de $10.


Psicologia no Poker

janeiro 3, 2011
Retirado do Clube do Poker

Quanto mais competitivo se torna o poker, maior é a necessidade de achar fraquezas em áreas onde outros jogadores não costumam olhar.

A psicologia é uma dessas áreas, porque o número de jogadores que a desprezam ainda é maior do que o número daqueles que realmente dão valor. Não faz muito tempo que os jogadores vencedores não precisavam trabalhar com fatores como tilt, foco, motivação, confiança, etc. Mas isso mudou.

O grande número de jogadores, associado ao material de qualidade sobre poker disponível hoje em dia, exige que você explore um lado não muito visado do poker para ter vantagem sobre seus oponentes: o lado mental.

phil hellmuth wsop poker artigos poquer online live

Melhorar seu lado mental no jogo acontece conforme você melhora suas técnicas e habilidades. Tudo se resume a elaborar uma estratégia baseada em informação de qualidade, e como o lado psicológico nem sempre é tão obvio, a seguir listarei 6 (de muitos) importantes fatores onde a psicologia é importante em seu jogo.

1. Situações de Tilt

O dinheiro jogado fora por jogadores em tilt é um lugar estranho para achar oportunidades, mas pode ser um dos melhores, caso você saiba como tirar vantagem dele. Poucos são os jogadores que notam que erros realizados durante o tilt, sejam eles estratégicos ou mentais, na verdade não são causados pelo tilt. O tilt apenas revela os erros. É como se o tilt destroçasse as defesas de seu jogo, deixando visíveis e vulneráveis os seus pontos.

Quando você entra em tilt, o excesso de emoção derruba sua habilidade de pensar; conseqüência de uma reação natural presente no cérebro de todas as pessoas do planeta. O fato de você perder a capacidade de pensar corretamente é a razão pela qual o tilt é um problema tão grande.

Sem pensar direito, as terríveis decisões que você faz durante o tilt mostram os piores hábitos/decisões de seu jogo. Mesmo que essas terríveis jogadas pareçam óbvias e básicas para o seu atual nível de jogo, cair nelas mostra que você ainda não as dominou completamente.

Claro que o melhor é não cair no tilt, mas enquanto você não se “blinda” 100% contra isso, fique atento aos seus erros… e também aos dos oponentes, quando eles entrarem em tilt.

2. Jogando mais mesas e mais horas do que possível

Se o máximo de peso que você consegue levantar são 150 libras, seria suicídio tentar levantar 250 libras; mesmo assim é comum vermos jogadores tomarem atitudes parecidas com essa, jogando mais mesas e horas do que realmente pode. Claro que pode parecer razoável para você jogar 4 horas quando você só pode jogar 2, ou jogar 12 mesas quando só pode jogar 7. Mesmo assim você não deve fazer essas loucuras. Talvez uma vez ou outra, quando as estrelas se alinharem perfeitamente (um dia com clima perfeito, com seu jogo fluindo bem e as mesas cheias de fish), porém isso requer muito trabalho mental.

Pense nisso como um treino ou malhação. Então, comece com o que você “aguenta”, e com o passar do tempo vá adicionando mais mesas e horas em seu jogo. Se em média suas sessões duram 2 horas, depois de uma ou duas semanas, comece a adicionar 10~15 minutos a partir da terceira semana. Quando estiver confortável, adicione outros 10~15 minutos.

Mantenha o ritmo e em um ou dois meses você estará jogando de 3 a 4 horas. O mesmo é aplicado ao número de mesas.

3. Variância acontece

A questão não é se a variância aparecerá, porque ela vai aparecer! A questão é como reagir a ela. Seja em uma grande seqüência de bons resultados ou terríveis jogos, o principal problema da variância é que ela afeta a sua confiança. Com bons resultados você pode se sentir o deus do poker, já com péssimos resultados você pode se sentir exatamente o contrário.

A razão pela qual a confiança está perfeitamente alinhada com seus resultados é a forma como você avalia a qualidade de seu jogo: Baseado nos resultados. Claro, dinheiro e resultados são o que mais importa – mas é sua habilidade que produz esses resultados a longo prazo e é nela que você deve focar.

Para fazer a mudança de foco – priorizar as habilidades ao invés dos resultados – você precisa avaliar a qualidade de seu jogo depois das sessões. Não é preciso de muito, cerca de 15 minutos é o suficiente. Em dias onde você perdeu, mas notou durante a revisão da sessão que jogou de forma correta, fique feliz! Você diminuiu suas perdas, e isso é uma grande vitória.

4. Fazendo progresso

Melhorar seu jogo raramente será feito de forma linear. É parecido como um carro com problema de motor: muitas paradas e partidas, arrancando às vezes e ocasionalmente ficando completamente parado. Deixando a variância de lado, seu progresso não deve ser dessa maneira. Tendo conhecimento do processo de melhora você pode manter sua curva de aprendizagem movendo-se sempre para cima, minimizando as subidas e descidas bruscas.

Pela maior competitividade de hoje, o trabalho duro não é mais suficiente para conseguir esse progresso. Você tem que ser mais esperto e mais eficiente. Este é um assunto que renderia um livro inteiro, mas eu gostaria de ressaltar alguns coisas:

1 – Dar um passo para frente e um passo para trás – É assim que ocorre o progresso. Cada passo para trás é uma chance de provar que seus pontos fracos melhoraram. E cada passo para frente é uma chance de provar que seus pontos fortes estão ainda melhores.

2 – Liste seus erros (estratégicos e mentais), e analise depois das sessões. Assim você poderá focar na melhoria de cada um deles. Faça isso consistentemente, alguns meses depois você poderá ver uma grande melhoria no seu jogo.

3 – Revise todas as mãos que você encontrou problemas, não só as que você ganhou ou perdeu mais. Marque-as quando acontecerem, assim você poderá encontrá-las facilmente depois da sessão.

5. Cria sua “zona”

O clima perfeito para o jogo não aparece do nada. Ele ocorre por uma boa razão. A “zona” – o lugar de extremo foco, presença perfeita, e grande jogo .

Para alcançar este “nirvana” do poker você precisa remover qualquer coisa que retire sua atenção. Todo tipo de distração (internet, telefone, tv, etc) e também o tilt. É mais fácil falar do que fazer, mas se fosse fácil à recompensa para seu jogo não seria tão grande.

Você também precisa se preparar para isso. Para que a você chegue nesta zona com consistência você precisa focar sua mente apenas no poker. Comece a trabalhar sua mente antes de começar a jogar, assim você já estará nesta zona quando as cartas forem dadas. Para mais informações nesse sentido, recomendamos dar uma lida neste artigo.

6. Fazendo Moving Up.

Subir de stacks não deve ser tratado com desespero. Algo como “vencer ou morrer”. O objetivo é estabilizar seu jogo no novo nível assim como você fez no nível anterior. Esta sutil diferença tornará você mais agressivo ao tentar alcançar o novo nível e automaticamente aumentará o prazo para a expectativa de sucesso de sua subida. Estes dois fatores reduzem a pressão. E como você não está apenas tentando alcançar bons resultados imediatamente nesse novo limite, seu foco estará em melhorar suas habilidades o suficiente para competir com os jogadores regulares, e assim você realmente irá aprender mais rápido.

Então, ao invés de apenas subir de nível e torcer para se dar bem lá, considere os seguintes pontos:

1 – Identifique fraquezas que não eram prioridades nos níveis mais baixos

2 – Estude outros jogadores para aprender a maneira como eles jogam

3 – Jogue menos mesas para ter maior foco.

4 – Mantenha-se agressivo e focado em melhorar suas habilidades.

Preocupando-se apenas com sua habilidade, o lucro virá naturalmente.


Quando usar o “check” em cash game

janeiro 3, 2011
Escrito por David Eli – Clube do Poker

Todos os jogadores de poker sabem que é preciso prestar muita atenção em seus oponentes, mas nem todos são capazes de usar toda a informação conseguida.

patrik antonius poquer online poker artigos wsop tourney

Considere essas duas mãos, de um jogo com limites $1/$2, contra um vilão cujos stats sugerem que ele seja bem tight. Na primeira mão eu tinha As-Jc e a mesa foldou até mim no small blind. Eu aumentei para $7, esperando que ele foldasse na maior parte das vezes. E mesmo que ele pagasse, eu poderia flopar uma boa mão ou ganhar com um c-bet.

Ele pagou e o flop veio 8s-7d-2c. Eu apostei $8, esperando que ele foldasse pequenos pocket pairs, assim como cartas figuradas e alguns ases. Entretanto ele pagou. Neste ponto eu imaginei que ele tivesse um par, com uma mão como 9-8 suited, um straight draw, com uma mão como Ts-9s ou 6s-5s, um overpair como 9-9 tentando controlar o pote ou uma trinca em slowplay.

O turn é o 2h. Apostar novamente é sim uma opção, uma vez que você pode ganhar valor, ou expulsar, um draw. Entretanto a maior parte do range do vilão consiste em mãos como pares ou mãos melhores. Sendo assim eu dou check e o vilão dá check behind.

O river é o 3c, outra carta em branco. O meu check no turn me impossibilita de mostrar força com credibilidade, então sou forçado a dar check e esperar que meu Ace high vença. O vilão deu check behind e mostrou Js-8h, ganhando o pote com top pair. Há duas lições nesta mão:

1 – Este oponente não é tão tight quanto eu pensei, pois J-8 off é uma mão certa de ser foldada por muitos jogadores tights nesta situação.

2 – O vilão não fez sequer uma pequena aposta. A mão dele é muito boa no river, por exemplo, mesmo assim ele checkou.

Observação e lucro

Algumas órbitas depois eu tive uma chance de usar minhas informações. Novamente eu estava no small blind, a mesa rodou em fold e eu apostei $7 com Ah-Qc. O Big blind deu call. O flop trouxe 6c-6s-2c. Novamente eu apostei $8 e ele pagou. Isto me permite colocá-lo em um pocket pair, um ocasional monstro, e um bom range de outras mãos que estão em draw ou apenas em float.

O turn é um offsuit T. Novamente eu dou check, porque será difícil foldar um par com esta carta e certamente ele não foldará um monstro. Além do mais, eu tenho um plano contra o range de float dele, que não requer uma aposta neste turn. Depois que eu dei check, ele apostou $20, o que é bom. Eu imaginei, dada a última mão, que ele irá dar check behind com um pocket pair ou até mesmo com um T.

Estas mãos compõem a maioria das mãos que está me vencendo: O resto de seu range são trincas ou mãos melhores e blefes. Seu range é polarizado, e porque há relativamente poucas mãos monstro, eu pago. O river é o 9d – outra carta branca. Eu dou check de novo e dessa vez ele aposta $50.

Agora eu tenho ainda mais confiança em minha mão: Mesmo que ele apostasse o T no turn, ele jamais apostaria de novo no river. Eu pago, e ele mostra A-7off. Uma análise cautelosa de uma mão me permitiu ganhar este bom pote.


Tamanho correto do raise Pré-Flop

janeiro 2, 2011
Escrito por Pokey – Fórum twoplustwo
Traduzido por ABCdoPKR – Fórum MaisEV
Adaptado por Yuri Utumi – Poker Artigos

Porque é tão importante seguir a regra de raise padrão pré-flop de 4BB + 1BB/limper – quatro big blinds mais um big blind por limper? Limper são aqueles que simplesmente completam o big blind antes de ver o flop, não aumentam nem desistem, apenas dão call.

Aumentar pré flop (raise) utilizando a regra do 4xBB+1/limper é muito bom para jogar um pote HU (heads up) depois do flop, o que, na maioria das mãos, é o número ideal de oponentes. O problema de abrir raise pré flop sem seguir um padrão é que você precisa ter – em um jogo de poker – como objetivo principal, a distinção de suas mãos; enganar seus oponentes e deixá-los perdidos em relação ao que você tem.

pocket kings fichas poker artigos

Raises vindos de você não podem significar, para os outros jogadores, que você está com AA, KK ou AK. Adotar uma estratégia padrão para raise pré-flop é muito importante para que seus oponentes não saibam quais duas cartas você tem na mão e, consequentemente, você terá action(action é quando seus oponentes te dão ação, jogam fichas no pote contra você) tanto pré flop, quanto pós flop. Isso é o que você deseja quando possue uma mão como AA, KK etc.

Por outro lado, não dar raise com suas mãos boas e adotar a estratégia de entrar sempre de limp, mesmo com monstros (com o objetivo de distinguir a mão) é um grande erro: “it’s MUCH easier to win after raising than after limping” – é muito mais fácil ganhar depois de aumentar do que caso você entre de limp. Isso porque após o flop o pote já estará grande e, mesmo com uma mão média, seu oponente não vai querer foldar e vai pagar até o river. Por isso, evite blefar; valorize suas mãos boas, seus oponentes já pagam com qualquer lixo, blefar não se faz necessário.

O valor de 4xBB+1BB/limper pode ser explicado pois se você sempre der raise de 8xBB (por exemplo), um valor muito alto, seu oponente pode se defender adotando uma estratégia de jogo muito eficiente para essa situação; tornando o próprio estilo de jogo mais conservador, diminuindo o range de mãos, e jogando apenas monstros. Você estará basicamente arriscando muito para ganhar pouco (total de blinds é 1,5 big blinds, o que tem no pote até o momento é o small blind e o big blind, sendo que o small blind é metade do big blind), um oponente oportunista, inteligente, pode, facilmente, se aproveitar disso.

Por outro lado, se você aumenta menos do que 4xBB+1/limper pré flop, você não exerce pressão suficiente nos seus oponentes e vai acabar jogando muitos potes com mais de duas pessoas (multiway). Isso é terrível, especialmente fora de posição (OOP – out of position), e vai te fazer perder muito mais mãos do que você, jogando de maneira padrão, perderia. Quanto menos jogadores no pote, mais sua mão tem valor e mais facilmente você poderá blefar. Você vai comprometer muito mais dinheiro até descobrir que está vencido (beaten) por mãos como um straight ou dois pares, quando o pote for multiway.

Se vocâ dá raise de 2xBB e quatro te pagam, o pote será de aproximadamente 10 big blinds, sendo que caso você tenha acertado top pair, sua aposta deverá ser em torno de 7 big blinds – sendo que top pair não é mais uma mão tão forte contra três ou quatro jogadores e, por isso, um pote grande multiway é tudo que você deve evitar. Se 2 pagarem no flop, o pote no turn terá mais de 31BB(10+21), e você realmente estará numa situação complicada para um top pair, mesmo sendo TPTK (top pair top kicker). Não ache que seu par mais alto (top pair) contra dois ou três jogadores é uma boa mão, porque não é!!! Muitas vezes você irá perder para flush, straight, full house, trinca, quadra, ROYAL FLUSH – ou você acha que essas mãos não acontecem nunca? – fique esperto, tentem adivinhar o que seus oponenste têm, não olhem somente para suas duas cartas (Calma, isso você isá adquiria com o tempo, ninguém nasce sabendo adivinhar a mão do oponente. Isso se chama leitura de mãos, e é adquirido com prática e estudo do jogo. Para você se aprofundar nesse tema, a Poker Artigos disponibiliza um excelelente artigo: “Guia de Leitura de Mãos“).

Teoricamente, seria muito bom se pudessemos aumentar muito com mãos boas e aumentar menos com mãos médias. Infelizmente, nossos oponentes tem uma ridícula idéia de que eles querem ganhar nosso dinheiro, além disso, eles tem o terrível hábito de observar como nós jogamos, adptando-se ao nosso padrão de jogo. Se nosso raises pre flop indicarem a força de nossas mãos, estamos oferecendo a eles uma quantidade imensurável de informação. Como resultado disso, todas nossas apostas antes do flop devem ser do mesmo tamanho e seguir um padrão, independente de serem roubos de blinds com lixo ou apostas por valor (value bets) com AA. É a partir da mudança de seu jogo que você começa a ler seus oponentes, veja quando eles cometem esse erro – que vocês não mais irão cometer – de aumentar mais com mãos boas e menos com mãos ruins.

Aumente sempre 4xBB + 1BB/limper!

OBS: Esse artigo, como tudo no poker, não trás respostas absolutas para o modo “correto” de jogo no pré-flop. Assim, podemos encontrar uma excelente crítica e inovação sobre o tema em pensamentos posteriores, como aqui.


Guia de leitura de mãos 5/5

dezembro 31, 2010

Na última parte do nosso guia de leitura de mãos iremos entender a influência de sua imagem na mesa e, consequentemente, na atitude dos seus oponentes. Todas as outras partes do Guia podem ser encontrados abaixo:

Parte 1; Parte 2; Parte 3; Parte 4;

5. Conheça a imagem

“Imagem” é como os outros jogadores da mesa percebem VOCÊ. Contra alguns oponentes isso será o mais importante mandamento. Contra outros, isso não vai importar nem um pouco. Tudo depende do quão atento é seu oponente em particular. Como começamos a entender nossa imagem?

Somente se preocupe com pensadores do 2º nível: para alguns de vocês essa é a primeira vez que tem contato com o pensamento em 3º nivel. O 1º nível está perguntando, “qual a minha mão”? O 2º nível esta perguntando “qual a mão do meu oponente?”. O 3º nível está perguntando “o que meu oponente acha que seja minha mão?”. Obviamente 3º nível é irrelevante contra um pensador do 1ºnivel. Entretanto a maioria dos oponentes vão fazer pelo menos o mínimo esforço para adivinhar sua mão, então contra seus melhores oponentes entender sua própria imagem será importante. Quando você tem um completo idiota que nunca olha nada além de sua propria mão , não se preocupe com imagem – você só vai disperdiçar tempo e esforço.

james akenhead poker poquer artigos online

Suas cartas só afetam sua imagem quando você as MOSTRA. Nas últimas 5 mãos diretas você teve AA, KQ (flopou trinca), QQ, JT (flopou straight) e 55(flopou trinca).Você ganhou todas as 5 mãos antes do showdown e você nunca mostra suas mãos sem ser forçado a fazê-lo. Reconheça que agora sua imagem na mesa é absolutamente uma MERDA. Sim, você teve mãos boas. Com certeza suas mãos foram monstros. Claro, sua seleção de mãos preflop é tight. Nada disso importa. Todos os seus oponentes te viram dar raise em toda mão. Eles duvidam de você, e vão ficar de saco cheio da sua atitude e vão te encarar. Essa NÃO é a hora de dar uma de engraçadinho com QJs ou 33 – essa é a hora de jogar o poker mais tight que você conhece. Alternativamente, se cada uma das 5 mãos foram ao showdown e você mostrou à mesa seus mega-monstros, sua equidade de fold vai ser MAIOR que o normal, porque as pessoas vão começar a acreditar que você não se envolve em uma mão a não ser que você tenha boas mãos. Esteja ciente disso.

Histórico recente importa mais que historico antigo. Pouquíssimos dos seus oponentes realmente tem Poker Tracker. Como resultado, a imagem deles de você será determinada por suas observações pessoais. A maioria das pessoas tem uma memória relativamente curta, então concentre-se mais em suas ações nas últimas 2 órbitas. Se sua imagem de mesa caiu por terra e seus blefes foram pegos várias vezes seguidas, fique mais tight e dê fold nas próximas 2 órbitas – nesse curto período de tempo você vai reconstruir a maior parte de sua imagem na mesa e você pode então voltar a praticar suas “perversões”. Inversamente, se você tem estado numa mesa pelas últimas 3 horas jogando um jogo 12/8 mas você se envolveu em 10 das ultimas 12 mãos, as pessoas vão pensar em você como um maníaco, e te dar raise com qualquer tipo de lixo. É a história recente que conta, então lembre-se de como suas 2 últimas órbitas foram para a mesa.

Histórico pessoal conta mais que histórico de mesa. Um jogador pode não lembrar que você blefou o MP pra fora da mão dele 5 vezes seguidas mas, ele VAI se lembrar que você blefou ELE uma vez há uma hora atrás. As pessoas tem uma memória muito maior pra mãos em que se envolveram pessoalmente. Se você roubou as blinds de um jogador 3 vezes nas últimas 4 órbitas, ele vai se lembrar e vai contra atacar com qualquer mão razoavelmente forte .Sua equidade de fold no roubo vai ser particularmente BAIXA contra ele, mas não vai ser baixa contra outros jogadores da mesa.

Os oponentes vão geralmente supor que suas lines sempre vão significar a mesma coisa. Se você apostar 3/4 do pot numa river scare card com o nut flush, na próxima vez que você estiver num pot contra ele e o river vier com uma 3-flus h(que você não tem) aposte 3/4 do pot! Sua equidade de fold vai ser tremenda! Alternativamente, se a flush card TE AJUDOU, aposte uma quantia DIFERENTE – empurre todas as suas fichas no pot, ou aposte 1/2 pot ou faça outra coisa. Quando você quer um call, não faça a mesma coisa que você fez quando ele viu que você tinha o nuts. Quando voêc quer um fold, por outro lado, faça exatamente o que você fez na última vez que ele te viu com o nuts. As pessoas se lembram dessas coisas.