Psicologia no Poker

janeiro 3, 2011
Retirado do Clube do Poker

Quanto mais competitivo se torna o poker, maior é a necessidade de achar fraquezas em áreas onde outros jogadores não costumam olhar.

A psicologia é uma dessas áreas, porque o número de jogadores que a desprezam ainda é maior do que o número daqueles que realmente dão valor. Não faz muito tempo que os jogadores vencedores não precisavam trabalhar com fatores como tilt, foco, motivação, confiança, etc. Mas isso mudou.

O grande número de jogadores, associado ao material de qualidade sobre poker disponível hoje em dia, exige que você explore um lado não muito visado do poker para ter vantagem sobre seus oponentes: o lado mental.

phil hellmuth wsop poker artigos poquer online live

Melhorar seu lado mental no jogo acontece conforme você melhora suas técnicas e habilidades. Tudo se resume a elaborar uma estratégia baseada em informação de qualidade, e como o lado psicológico nem sempre é tão obvio, a seguir listarei 6 (de muitos) importantes fatores onde a psicologia é importante em seu jogo.

1. Situações de Tilt

O dinheiro jogado fora por jogadores em tilt é um lugar estranho para achar oportunidades, mas pode ser um dos melhores, caso você saiba como tirar vantagem dele. Poucos são os jogadores que notam que erros realizados durante o tilt, sejam eles estratégicos ou mentais, na verdade não são causados pelo tilt. O tilt apenas revela os erros. É como se o tilt destroçasse as defesas de seu jogo, deixando visíveis e vulneráveis os seus pontos.

Quando você entra em tilt, o excesso de emoção derruba sua habilidade de pensar; conseqüência de uma reação natural presente no cérebro de todas as pessoas do planeta. O fato de você perder a capacidade de pensar corretamente é a razão pela qual o tilt é um problema tão grande.

Sem pensar direito, as terríveis decisões que você faz durante o tilt mostram os piores hábitos/decisões de seu jogo. Mesmo que essas terríveis jogadas pareçam óbvias e básicas para o seu atual nível de jogo, cair nelas mostra que você ainda não as dominou completamente.

Claro que o melhor é não cair no tilt, mas enquanto você não se “blinda” 100% contra isso, fique atento aos seus erros… e também aos dos oponentes, quando eles entrarem em tilt.

2. Jogando mais mesas e mais horas do que possível

Se o máximo de peso que você consegue levantar são 150 libras, seria suicídio tentar levantar 250 libras; mesmo assim é comum vermos jogadores tomarem atitudes parecidas com essa, jogando mais mesas e horas do que realmente pode. Claro que pode parecer razoável para você jogar 4 horas quando você só pode jogar 2, ou jogar 12 mesas quando só pode jogar 7. Mesmo assim você não deve fazer essas loucuras. Talvez uma vez ou outra, quando as estrelas se alinharem perfeitamente (um dia com clima perfeito, com seu jogo fluindo bem e as mesas cheias de fish), porém isso requer muito trabalho mental.

Pense nisso como um treino ou malhação. Então, comece com o que você “aguenta”, e com o passar do tempo vá adicionando mais mesas e horas em seu jogo. Se em média suas sessões duram 2 horas, depois de uma ou duas semanas, comece a adicionar 10~15 minutos a partir da terceira semana. Quando estiver confortável, adicione outros 10~15 minutos.

Mantenha o ritmo e em um ou dois meses você estará jogando de 3 a 4 horas. O mesmo é aplicado ao número de mesas.

3. Variância acontece

A questão não é se a variância aparecerá, porque ela vai aparecer! A questão é como reagir a ela. Seja em uma grande seqüência de bons resultados ou terríveis jogos, o principal problema da variância é que ela afeta a sua confiança. Com bons resultados você pode se sentir o deus do poker, já com péssimos resultados você pode se sentir exatamente o contrário.

A razão pela qual a confiança está perfeitamente alinhada com seus resultados é a forma como você avalia a qualidade de seu jogo: Baseado nos resultados. Claro, dinheiro e resultados são o que mais importa – mas é sua habilidade que produz esses resultados a longo prazo e é nela que você deve focar.

Para fazer a mudança de foco – priorizar as habilidades ao invés dos resultados – você precisa avaliar a qualidade de seu jogo depois das sessões. Não é preciso de muito, cerca de 15 minutos é o suficiente. Em dias onde você perdeu, mas notou durante a revisão da sessão que jogou de forma correta, fique feliz! Você diminuiu suas perdas, e isso é uma grande vitória.

4. Fazendo progresso

Melhorar seu jogo raramente será feito de forma linear. É parecido como um carro com problema de motor: muitas paradas e partidas, arrancando às vezes e ocasionalmente ficando completamente parado. Deixando a variância de lado, seu progresso não deve ser dessa maneira. Tendo conhecimento do processo de melhora você pode manter sua curva de aprendizagem movendo-se sempre para cima, minimizando as subidas e descidas bruscas.

Pela maior competitividade de hoje, o trabalho duro não é mais suficiente para conseguir esse progresso. Você tem que ser mais esperto e mais eficiente. Este é um assunto que renderia um livro inteiro, mas eu gostaria de ressaltar alguns coisas:

1 – Dar um passo para frente e um passo para trás – É assim que ocorre o progresso. Cada passo para trás é uma chance de provar que seus pontos fracos melhoraram. E cada passo para frente é uma chance de provar que seus pontos fortes estão ainda melhores.

2 – Liste seus erros (estratégicos e mentais), e analise depois das sessões. Assim você poderá focar na melhoria de cada um deles. Faça isso consistentemente, alguns meses depois você poderá ver uma grande melhoria no seu jogo.

3 – Revise todas as mãos que você encontrou problemas, não só as que você ganhou ou perdeu mais. Marque-as quando acontecerem, assim você poderá encontrá-las facilmente depois da sessão.

5. Cria sua “zona”

O clima perfeito para o jogo não aparece do nada. Ele ocorre por uma boa razão. A “zona” – o lugar de extremo foco, presença perfeita, e grande jogo .

Para alcançar este “nirvana” do poker você precisa remover qualquer coisa que retire sua atenção. Todo tipo de distração (internet, telefone, tv, etc) e também o tilt. É mais fácil falar do que fazer, mas se fosse fácil à recompensa para seu jogo não seria tão grande.

Você também precisa se preparar para isso. Para que a você chegue nesta zona com consistência você precisa focar sua mente apenas no poker. Comece a trabalhar sua mente antes de começar a jogar, assim você já estará nesta zona quando as cartas forem dadas. Para mais informações nesse sentido, recomendamos dar uma lida neste artigo.

6. Fazendo Moving Up.

Subir de stacks não deve ser tratado com desespero. Algo como “vencer ou morrer”. O objetivo é estabilizar seu jogo no novo nível assim como você fez no nível anterior. Esta sutil diferença tornará você mais agressivo ao tentar alcançar o novo nível e automaticamente aumentará o prazo para a expectativa de sucesso de sua subida. Estes dois fatores reduzem a pressão. E como você não está apenas tentando alcançar bons resultados imediatamente nesse novo limite, seu foco estará em melhorar suas habilidades o suficiente para competir com os jogadores regulares, e assim você realmente irá aprender mais rápido.

Então, ao invés de apenas subir de nível e torcer para se dar bem lá, considere os seguintes pontos:

1 – Identifique fraquezas que não eram prioridades nos níveis mais baixos

2 – Estude outros jogadores para aprender a maneira como eles jogam

3 – Jogue menos mesas para ter maior foco.

4 – Mantenha-se agressivo e focado em melhorar suas habilidades.

Preocupando-se apenas com sua habilidade, o lucro virá naturalmente.


Etiqueta no poker live (e também no online)

janeiro 3, 2011
Escrito por RaSZi – pt.PokerNews

Quando terminamos uma refeição num restaurante, colocamos os talheres do lado direito no fundo do prato. Isto é um exemplo de etiqueta, e como tudo na vida, também existe etiqueta no poker.

Muitos jogadores, nomeadamente os que jogam por divertimento, não sabem que existem algumas ‘regras’ de etiqueta no poker. Não se pode realmente atribuir-lhes culpas e destes jogadores apenas temos de aceitar, como recompensa da acção que eles trazem. De profissionais apenas se pode esperar que todos se tratem com respeito nas mesas. Isto é mais uma excepção do que uma regra. Muitas vezes as pessoas não se apercebem que certas acções nas mesas são muito desrespeitosas. Vou começar com a pior das formas.

etiqueta mesa poker artigos poquer live online

NÃO use o celular enquanto estiver na mesa!

Slowroll

Slowrolling significa que é o último a agir na mão e espera algum tempo para fazer o call quando não há mão nenhuma que lhe possa ganhar, ou seja, tem nuts. Alguém vai all in e outro tem AK na seguinte board T-J-5-8-Q, seca. Não há forma de perder a mão nem de conseguir mais dinheiro no pote, mas continua a perder tempo antes de fazer o call, embora não haja forma de perder a mão. Isto é muito baixo. Porque está a dar a ideia ao seu adversário que ele pode ganhar a mão. Mas para quê fazer isto? Não pode perder a mão, e não ganha nada em perder tempo. Há quem diga que faz parte do jogo psicológico, mas é uma das piores coisas que se pode fazer. Não altera nada e perde todo o respeito dos jogadores da mesa.

Outra forma de slowroll é esperar antes de mostrar a mão num showdown. Imagine que faz call a outro jogador no river com AJ numa board A-J-6 -5-T, seco, e o adversário mostra A9 . A carta no river foi perigosa e apenas fez call á aposta do adversário, por isso ele tem de mostrar a mão primeiro. O que vejo frequentemente é o jogador com AJ a bater com a mão na mesa, a olhar novamente as cartas e a abanar a cabeça. Neste momento está a dar a entender ao seu adversário que tem a melhor mão. Algumas vezes fazem de conta que vão fazer muck das cartas e depois viram-nas no último momento. Imediatamente perco o respeito por um jogador destes e atiro as minhas fichas na sua direcção.

Celebrações

Celebrar a mão vencedora deve ser feita com moderação. Ponha-se no lugar do adversário e imagine o sentimento de ter perdido a mão. Se perde uma mão e o adversário começa aos saltos a gritar “YEAH!” e a comemorar com os amigos, isso vai deixá-lo irritado. Não me interprete mal, não há nada de errado em ficar satisfeito por ganhar a mão. Ganhar uma mão importante num torneio e dobrar as fichas é motivo para celebrar. Mas há formas e formas de o fazer, simplesmente diga “boa” ou feche o pulso em sinal de contentamento.

Se os seus Ases aguentaram numa mão importante ou num grande pote, é normal sentir uma sensação de libertação de stress, mas ninguém quer ver um tipo em cima da cadeira a gritar de alegria. Mais ninguém na sala quer saber se ganhou uma mão. Manter as celebrações modestas é ainda mais importante se acabou de ganhar com a pior mão. Se ganhar [Kc} contra depois de all in preflop, não se ponha aos gritos a dizer que é o melhor. Eu próprio não quereria chamar á atenção depois de ter colocado as minhas fichas no pote com a pior mão e depois ter tido apenas sorte. Mais uma vez, em consideração ao adversário, mantenha-se calmo. Dizer “desculpa” também não ajuda, porque sabe tão bem como ele, que não está arrependido de ter ganho a mão. O melhor a fazer é cumprimentar o adversário e dizer “Tive muita sorte”. Algo que não deve fazer, é começar a falar com o adversário. “O que querias que eu fizesse, eu tinha KK.” Desculpas de alguém que apenas teve sorte, que não tinha outra opção, são extremamente irritantes. Isto traz-nos outra forma de más maneiras á mesa… de poker.

Discursos

Comentários no final de uma mão também devem ser evitados. Algo que está muito em voga no presente, mas que é extremamente rude é um jogador dizer “Ship it” depois de ganhar uma mão. Se está a jogar online e diz isso para si, então não está a ofender ninguém. Mas quando está num casino, dizer coisas como “ship it” ou “manda a massa” depois de ganhar um grande pote é extremamente rude. Como se o adversário não estivesse a tentar o melhor para ganhar o pote.

Como já disse anteriormente, vir com desculpas pode ser muito irritante. Se teve sorte num pote onde entrou com a pior mão, mantenha-se calado e fique contente por ter ganho a mão. “Que querias que fizesse, eu tinha um As?” ou “E depois, também já tiveste sorte” são exemplo de situações onde a resposta é “Porque no te callas!”. Respeite o adversário e fique contente por ter ganho o pote. Outra importante forma de etiqueta é não comentar numa mão onde não está envolvido. Não dê dicas sobre o que foldou, ou que acha que os outros jogadores têm. Cada um tem de jogar as mãos por si, e os jogadores no pote são os únicos que devem falar sobre o pote. Não diga coisas como, “Wow, tinhas um trio ou algo parecido?” depois de um jogador ter feito raise. Na realidade, não lhe diz respeito, por isso espere até ao showdown se quiser comentar a mão. Mesmo que esteja envolvido numa mão, mas contra mais que um adversário, é bastante rude começar a falar e a fazer perguntas a um deles. Se quiser ser respeitado numa mesa de poker, tem de demonstrar o mesmo respeito pelos outros jogadores. Fazer slowroll a outros jogadores, e tratá-los mal, vai definitivamente afectar na forma como os outros o vão tratar a si. Se alguém me fizer um slowroll, pode ter a certeza que no próximo showdown vou virar o meu nuts com um grande sorriso nos lábios e vou ficar a contemplá-lo como forma de provocação. Esta pessoa não merece ser respeitada, e vou mostrar-lhe que o comportamento dele é irritante e de baixo nível. Por isso certifique-se que joga com respeito aos seus adversários e tente pôr-se na posição deles em algumas situações. Se perder uma mão com apenas 2 outs a última coisa que quer ver é um tipo a dançar em cima da cadeira e rir-se de si. Por isso, também não o faça.


Guia de leitura de mãos 5/5

dezembro 31, 2010

Na última parte do nosso guia de leitura de mãos iremos entender a influência de sua imagem na mesa e, consequentemente, na atitude dos seus oponentes. Todas as outras partes do Guia podem ser encontrados abaixo:

Parte 1; Parte 2; Parte 3; Parte 4;

5. Conheça a imagem

“Imagem” é como os outros jogadores da mesa percebem VOCÊ. Contra alguns oponentes isso será o mais importante mandamento. Contra outros, isso não vai importar nem um pouco. Tudo depende do quão atento é seu oponente em particular. Como começamos a entender nossa imagem?

Somente se preocupe com pensadores do 2º nível: para alguns de vocês essa é a primeira vez que tem contato com o pensamento em 3º nivel. O 1º nível está perguntando, “qual a minha mão”? O 2º nível esta perguntando “qual a mão do meu oponente?”. O 3º nível está perguntando “o que meu oponente acha que seja minha mão?”. Obviamente 3º nível é irrelevante contra um pensador do 1ºnivel. Entretanto a maioria dos oponentes vão fazer pelo menos o mínimo esforço para adivinhar sua mão, então contra seus melhores oponentes entender sua própria imagem será importante. Quando você tem um completo idiota que nunca olha nada além de sua propria mão , não se preocupe com imagem – você só vai disperdiçar tempo e esforço.

james akenhead poker poquer artigos online

Suas cartas só afetam sua imagem quando você as MOSTRA. Nas últimas 5 mãos diretas você teve AA, KQ (flopou trinca), QQ, JT (flopou straight) e 55(flopou trinca).Você ganhou todas as 5 mãos antes do showdown e você nunca mostra suas mãos sem ser forçado a fazê-lo. Reconheça que agora sua imagem na mesa é absolutamente uma MERDA. Sim, você teve mãos boas. Com certeza suas mãos foram monstros. Claro, sua seleção de mãos preflop é tight. Nada disso importa. Todos os seus oponentes te viram dar raise em toda mão. Eles duvidam de você, e vão ficar de saco cheio da sua atitude e vão te encarar. Essa NÃO é a hora de dar uma de engraçadinho com QJs ou 33 – essa é a hora de jogar o poker mais tight que você conhece. Alternativamente, se cada uma das 5 mãos foram ao showdown e você mostrou à mesa seus mega-monstros, sua equidade de fold vai ser MAIOR que o normal, porque as pessoas vão começar a acreditar que você não se envolve em uma mão a não ser que você tenha boas mãos. Esteja ciente disso.

Histórico recente importa mais que historico antigo. Pouquíssimos dos seus oponentes realmente tem Poker Tracker. Como resultado, a imagem deles de você será determinada por suas observações pessoais. A maioria das pessoas tem uma memória relativamente curta, então concentre-se mais em suas ações nas últimas 2 órbitas. Se sua imagem de mesa caiu por terra e seus blefes foram pegos várias vezes seguidas, fique mais tight e dê fold nas próximas 2 órbitas – nesse curto período de tempo você vai reconstruir a maior parte de sua imagem na mesa e você pode então voltar a praticar suas “perversões”. Inversamente, se você tem estado numa mesa pelas últimas 3 horas jogando um jogo 12/8 mas você se envolveu em 10 das ultimas 12 mãos, as pessoas vão pensar em você como um maníaco, e te dar raise com qualquer tipo de lixo. É a história recente que conta, então lembre-se de como suas 2 últimas órbitas foram para a mesa.

Histórico pessoal conta mais que histórico de mesa. Um jogador pode não lembrar que você blefou o MP pra fora da mão dele 5 vezes seguidas mas, ele VAI se lembrar que você blefou ELE uma vez há uma hora atrás. As pessoas tem uma memória muito maior pra mãos em que se envolveram pessoalmente. Se você roubou as blinds de um jogador 3 vezes nas últimas 4 órbitas, ele vai se lembrar e vai contra atacar com qualquer mão razoavelmente forte .Sua equidade de fold no roubo vai ser particularmente BAIXA contra ele, mas não vai ser baixa contra outros jogadores da mesa.

Os oponentes vão geralmente supor que suas lines sempre vão significar a mesma coisa. Se você apostar 3/4 do pot numa river scare card com o nut flush, na próxima vez que você estiver num pot contra ele e o river vier com uma 3-flus h(que você não tem) aposte 3/4 do pot! Sua equidade de fold vai ser tremenda! Alternativamente, se a flush card TE AJUDOU, aposte uma quantia DIFERENTE – empurre todas as suas fichas no pot, ou aposte 1/2 pot ou faça outra coisa. Quando você quer um call, não faça a mesma coisa que você fez quando ele viu que você tinha o nuts. Quando voêc quer um fold, por outro lado, faça exatamente o que você fez na última vez que ele te viu com o nuts. As pessoas se lembram dessas coisas.


Guia de leitura de mãos 4/5

dezembro 31, 2010

Na quarta parte da série aprenderemos a como interpretar as ações dos vilões a partir dos seus padrões de apostas e através das suas stats (VPIP, PFR e AF). As três primeiras partes do Guia de leitura de mãos pode ser encontradas logo abaixo:

Parte 1; Parte 2; Parte 3;

4. Conheça o hand history.

Aqui estamos discutindo como aquela mão em particular foi jogada: quem apostou, quando e quanto?Comece a procurar por padrões de apostas, já que pessoas diferentes vão ter padrões diferentes.

 

fichas poquer poker artigos coloridas

O que uma aposta pode nos contar?

Alguns problemas gerais:

Check-raises: Quando um oponente dá raise, ele está mandando a mensagem que sua mão é poderosa. Ele sabe que você está apostando e ele não se importa. E mais, ele estava confiante o bastante pra arriscar que voê desse check atrás em sua busca por mais $ no pot. Esse tipo de aposta em geral vai significar uma das 3 coisa: ou seu oponente estava monstruosamente forte e estava fazendo slowplay numa rodada anterior, ou a última carta o ajudou de alguma forma, ou ele está blefando numa situação em que ele pensa que pode te assustar a ponto de fazê-lo dar fold. Como regra geral, confie em check-raises de jogadores passivos. Completamente. Se você não tem um monstro escondido (e eu digo MONSTRO com letra maiúscula) você deve foldar para esse raise. As pessoas frequentemente perguntam “eu posso alguma vez escapar de pocket aces?”. Essa deve ser uma situação onde a fuga é simples. Outra regra geral é que quanto mais agressivo um jogador for, mais provável de que o check-raise seja um blefe. Eu diria que em um oponente que a Agressao média (AF) é de pelo menos 2, você não precisa se preocupar com um “check-raise semi-blefe”; ecom um AF de pelo menos 4 você não deve se preocupar com um check-raise blefe. As pessoas são muito rápidas em colocar em colocar um jogador em um blefe quando ele dá check-raise; eu acredito que esse evento seja muito mais raro do que as pessoas pensam.

Um pequeno lembrete: check-raises no flop estão muito mais propensos a serem blefes ou mãos fracas que check-raises em QUALQUER outra street. No flop, as pessoas vão frequentemente adotar uma linha de check-raise contra um cara que dá c-bet constantemente, mesmo com mãos como “bottom pair, no kicker” porque eles sabem que seu oponente vai frequentemente ter puro air. Então: um check raise no flop geralmente significa “Eu posso derrotar A-high”, mas um c/r em uma rodada posterior significa: “Eu posso derrotar VÔCE!”

Check-calls: essa jogada é altamente especifica a cada jogador. Contra um calling station passivo significa “Eu tenho 2 cartas. Olha! Espadas são bonitas. Eu gosto de torta”. Contra um jogador tight e moderadamente agressivo isso frequentemente significa “estou em um draw”. Contra um jogador altamente agressivo isso frequentemente significa: “Eu tenho um monstro e vou deixar vc apostar até a morte”. Check-calls são precursores de check-raises em rodadas posteriores de jogadores muito agressivos.d e jogadores muito passivos, eles só precedem mais check-calls.

Donkbets: uma “donkbet” é quando alguem que NÃO tem a lead faz uma aposta inesperada. Por exmplo, se um jogador deu call no seu raise pré-flop mas então lidera contra você no flop, isso seria uma donkbet. Similarmente, se um jogador da call na sua aposta no flop mas então lidera no turn, isso também seria uma donkbet! Nesse estágio uma donkbet deveria ser interpretada como se dissesse “essa carta me ajudou”. Quanto mais passivo for seu oponente, mais direta é a interpretação. Quando um jogador passivo vem à vida numa 3º carta de straight, 4º carta de flush, um par na mesa, ou outra carta estranha e randômica, você deve esperar que essa carta tenha melhorado a mão dele. Não espere que isso signifique que ele tem o nuts: eu já vi jogadores passivos fazerem uma aposta do nada numa quarta heart unicamente porque ela deu a ele 2 pares. Por outro lado, jogadores muito agressivos amam fazer donkbets em scary cards. Esse é um blefe mais barato que um check-raise mas funciona frequentemente nesses limites, e muitos jogadores agressivos vão tirar vantagem de um A no turn ou uma 3º/4º flush, ou um par no bordo para tentar ganhar o pot. Fique ligado nisso.

Checks Inesperados: um jogador que tem apostado firmemente na mão e inesperadamente pára de apostar e passa a dar check. O que isso significa? Bem, uma interpretação óbvia é que ele estava blefando e agora desistiu da mão. A maioria dos jogadores são straight forward (diretos) o bastante pra que seja esse o caso. Contra um oponente médio-agressivo, isso vai frequentemente ser uma boa oportunidade para apostar com qualquer 2 cartas, já que sua equidade de fold vai estar saindo pelo teto.Outra situação comum é quando um jogador flopa uma mão decente – digamos top par numa board T-high e então desacelera quando o turn traz um K. Eles estão preocupados com o overpair e então pararam de apostar. Isso não significa que necessariamente estão prontos para dar fold. Alguns jogadores mudam do bet/raise para o check/call até o showdown. Entretanto quando um jogador agressivo para de ser agressivo, isso geralmente é um sinal de que sua situação não é tão perigosa como você pensou que fosse. Cuidado com o oponente hiper-agressivo quando ele inesperadamente dá check, ESPECIALMENTE se ele der check-call numa scary card. Por alguma razão,esses jogadores tomam a filosofia “forte = fraco, fraco = forte” ao pé da letra e vão frequentemente apostar com pouco, ou nada mas imediatamente dar slowplay no momento em que inverterem uma mão. Assista seus oponentes cuidadosamente para ver se o check no turn geralmente significa que eles estão desistindo ou se geralmente estão preparando uma armadilha.

Bet-Check-Bet: Uma line de 3 rodadas estranha mas muito comum é “aposta o flop, dá check atrás no turn, aposta no river” onde o oponente deu check/call em todo o caminho. Contra um oponente agressivo, a river bet é frequentemente o que chamamos de “desperation bluff” (blefe do desespero). A mão não tem valor no showdown então o vilão aposta na esperança de que você vá foldar a melhor mão. Já que você mostrou pouca, ou nenhuma força através da mão eles sentem que tem uma grande equidade de fold (o que é verdade), e eles agora estão atacando em uma última tentativva de roubar o pot. Entretanto, você precisa ficar atento de como é a board. Outro raciocínio comum atrás dessa line é que a aposta no flop foi feita com nada, o turn deu a seu oponente uma draw e o river ou completou o draw ou não. Se um draw óbvio completou no final, você realmente precisaria saber mais sobre seu oponente antes de decidir se é um blefe ou não. Dar call contra alguns oponentes vai ser extremamente +EV mesmo com bottom pair, contra outros oponentes vai ser -EV com qualquer coisa a menos que um monstro. De novo, observe seus oponentes e coloque notes no que suas lines significam.

Última Parte!


Mario Theme – Full tilt Poker

dezembro 31, 2010

Tema do Mário para FTP composto de table, card e background mod e feito pelo usuário Fladdermouse – fórum 2p2. Muito legal!

mario poker artigos online ftp theme mod poquer

Download!

 

Não sabe como instalar? Que tal ler nosso tutorial de instalação?


Torneios multi-table, Sit-and-go’s ou cash games?

dezembro 31, 2010
Escrito por Marcelo Yamashita Salles – Como Jogar Poker

O que são torneios multi-table, torneios sit-and-go e cash games?

Torneios multi-table são torneios que reúnem de dezenas a milhares de jogadores de uma vez. Tem data e hora marcada para acontecer. Para você ganhar dinheiro é preciso resistir e terminar entre os finalistas. Já os torneios sit-and-go (SNG) são torneios que costumam ter no máximo 10 jogadores, sem data nem hora marcada. Assim que a mesa tiver 10 jogadores sentados, a disputa começa. Normalmente a premiação fica para os três primeiros colocados. Cash games são mesas de no máximo 10 jogadores em que se disputa o Texas Hold’em a qualquer hora. Os jogadores podem entrar e sair da mesa quando quiserem. Não há hora para o jogo terminar. Diferente dos torneios, nos cash games, as fichas têm o mesmo valor em dinheiro. Os blinds também são fixos e não sobem com o tempo, ao contrário do que ocorre nos torneios.

dario minieri wsop poker artigos poquer online mtt chip leader

Dario Minieri no World Series of Poker 2007

Torneios x cash games = sobrevivência x dinheiro

A primeira e principal diferença é que nos torneios você não irá atrás das fichas acima de tudo, mas tomará decisões que o permitam chegar o mais longe possível. No cash game, você ganha ou perde dinheiro a cada mão que joga, mas nos torneios você já entra perdendo (isto é, você já gastou com o buy-in de inscrição) e só ganha se terminar entre os últimos jogadores restantes. Você ganha se sobreviver, em outras palavras. No cash game seu objetivo é conseguir o máximo possível de dinheiro, e isso permite que você tome algumas decisões arriscadas, mas estatisticamente corretas e com grande potencial de lucro. Nos torneios, nem sempre vale a pena se arriscar, mesmo que a decisão seja correta do ponto de vista matemático. Principalmente nas fases iniciais, o melhor é geralmente evitar o risco, mesmo que isso signifique abrir mão de um grande pote. Veja dessa forma: nos torneios o lucro vem da sobrevivência, no cash game o lucro vem da melhor decisão pote a pote.

Outras diferenças: tempo, variância, estratégia de jogo

Tempo – Outra grande diferença é o tempo de jogo para conseguir lucrar. Nos torneios você é obrigado a jogar até o fim para conseguir entrar na zona de premiação. Nos cash games, você pode sair a hora que quiser e pode lucrar já na primeira mão que jogar.

Variância – Variância é quantidade de dinheiro que você pode ganhar ou perder em uma sessão. De modo geral, os torneios apresentam uma variância menor que os cash games, já que a perda é limitada pelo buy-in e o valor que você ganha na faixa de premiação já está determinado. Nos cash games, os ganhos não têm limite e as perdas também podem ser maiores.

Estratégia de jogo – Cada jogo tem sua própria particularidade e forma de vencer. Essas são três formas de No Limit Hold’em que, apesar de terem basicamente as mesmas regras, exigem estratégias próprias para que o jogador se dê bem em cada uma delas. Os princípios são os mesmos, mas há particularidades que devem ser levadas em conta.

Os torneios não são todos iguais: MTT vs. SNG

Os torneios são diferentes dos cash games, certo. Mas os torneios também são diferentes entre si. Os torneios SNG são um jogo bem diferente dos torneios MTT. Para começar, os SNG são normalmente jogados com 6 a 10 pessoas, em uma mesa. Os MTT são jogados com dezenas a centenas (e pode passar de mil) jogadores. O tempo de jogo envolvido no SNG é muito menor. Em geral, você leva de meia hora a uma hora para entrar na zona de premiação de um torneio SNG. Em um torneio MTT online, você costuma levar de duas a quatro horas. Se for um torneio ao vivo, o tempo é maior e pode levar um, dois ou mais dias para que o jogo acabe. A variância é maior – muito maior – nos MTT. Nos torneios SNG você ganha ou perde pouco, e a faixa de premiação fica para 30% dos jogadores. Nos MTT, por outro lado, o valor investido é maior e a faixa de premiação fica para cerca de 10% dos participantes. Isso quer dizer que conseguir entrar na premiação do MTT é muito mais difícil, mas quem consegue ganha muito. Por isso a variância é maior.

Os cash games não são todos iguais: full ring vs. 6-max

O cash game também se apresenta em duas formas mais comuns: o full-ring, que tem 9 ou 10 jogadores por mesa, e o 6-max que tem no máximo seis jogadores por mesa. Essas duas formas são bem distintas de cash game. Você irá pagar os blinds mais vezes no 6-max, e com menos jogadores na mesa, irá acabar soltando mais seu jogo. O full ring favorece um jogo mais tight, mas o 6-max é Hold’em loose, porque se não jogar os blinds irão acabar com seu stack. O estilo de jogo da mesa também é muito diferente: ela é bem mais agressiva que uma mesa full ring. Pelo fato de os blinds rodarem a mesa mais rapidamente, os jogadores valorizam muito o roubo de blinds. A variância também é maior no 6-max, você ganha e perde mais que em uma mesa full ring.

Qual é o mais lucrativo? Qual você deveria jogar?

Os torneios SNG e o cash game 6-max são a forma mais lucrativa de poker. São neles que você deve procurar se focar para fazer crescer seu bankroll. O cash game 6-max permite que você ganhe muito dinheiro rapidamente. Nele, as fraquezas dos seus adversários ficam mais aparentes, e o fato de ser um jogo mais loose, em que você joga mais mãos por hora, faz com que o 6-max seja a escolha ideal para você lugar em cima dos seus adversários. No entanto, se você irá explorar as fraquezas dos seus adversários com mais facilidade, o mesmo vale para eles. As suas fraquezas estarão mais expostas no 6-max, e se você não tomar cuidado poderá perder muito dinheiro – e bem rápido. O SNG, por sua vez, apresenta menor variância que o 6-max e é mais “seguro” para quem está começando. Você consegue ter um controle melhor dos riscos e de quanto poderá perder e ganhar. O SNG também é uma boa opção para reconstruir seu bankroll caso você tenha tido uma série ruim no cash. Escolha uma das duas para começar, mas não deixe de aprender e praticar a outra. Em pouco tempo você irá perceber a diferença no bankroll (aprenda como contruir seu Bankroll do zero aqui).


Guia de leitura de mãos 3/5

dezembro 31, 2010

No terceiro mandamento do artigo sobre leitura de mãos iremos entender a influência do bordo na imagem que nós passamos aos nossos oponentes e, principalmente, a decifrar as possíveis combinações que podem ocorrer com vilões com determinados tamanhos de range. As partes anteriores do guia podem ser encontradas a seguir:

Parte 1; Parte 2;

 

3. Conheça o bordo.

Flops tem “texturas” diferentes, e essas texturas podem ser mais ou menos assustadoras, dependendo de sua mão e do range de seu oponente. Mais importante, pessoas diferentes respondem diferentemente a texturas de bordo diferentes. Numa board cheia de draws, se um loose agressive esta dando check-call você pode esperar que ele tenha o quase-nuts, mas se um loose e passive está dando check-call você pode esperar que ele tenha… bem, qualquer coisa!! O que afeta a textura da board? Bom vamos começar com o flop.

Suits: flops podem vir “rainbow” ( 3 naipes diferentes), “two suited” (2 de um naipe e 1 de outro) ou “monocromático” (todas as 3 com o mesmo naipe). Quanto mais “suited” for um flop, maior a mão os oponentes vão precisar pra dar call. Entretanto, perceba que muitos oponentes hiperagressivos vão estar mais propensos a apostar, dar check-raise ou float (dar call-light no flop com a intenção de roubar o pot no turn) tanto com um draw ou com um puro blefe ou um semi-blefe (draw) nesses tipos de board. Se vc é o primeiro a agir, você frequentemente pode roubar essses pots por um aposta razoavelmente pequena (2/3 do pot); se você toma call, cuidado com a flush draw! Um pouquinho de matemática: vamos supor que o flop venha com 3 espadas e você tem um espadas em sua mão. As odds de que seu oponente tenha flopado um flush pronto são 3,3% e as odds de que ele tenha flopado um flush DRAW são 15,8%. Se você flopou uma mão sólida (digamos TPTK) NÃO ENTRE EM PÂNICO E COMECE A DAR CALLS!!! Aposte e proteja sua mão contra o draw que é 4,75 mais provável que o flush pronto que te mataria. Além disso, se seu oponente realmente tem uma segunda-melhor mão, ele vai estar mais propenso a pagar uma aposta no flop monocrômico do que te pagar num turn que tenha 4 espadas (assumindo que ele não tenha uma). Aposte enquanto sua mão é a melhor e cobre bem dele se tentar completar o draw. Assim, se a board tem 3 espadas e você tem uma em sua mão os odds de seu oponente ter 2 espadas cai para 2,6% e os odds de ele ter 1 espade cai para 14,4% então as odds que seu oponente esteja num draw de flush são 5,6 vezes maiores que as odds de que ele tenha flopado o monstro. Aposte e proteja!

Conectividade: aqui estamos falando sobre quantas cartas para um straight uma board pode ter. Um flop monocrômico J-T-9 é MUITO mais perigoso que um flop monocrômico J-7-2. Sempre esteja ciente dos straight draws – eles são uma mina de ouro pra o jogador de poker “economizador” porque muitas pessoas deixam ele escapar. Quando o flop vem A-K-Q, o jogador com JTs acabou de levar o stack com o raiser pré-flop com AK. Quando a board é conectada, você precisa ficar esperto com as 2 possibilidades separadas: seu oponente pode ter 2 pair e seu oponente pode ter um open-ended straight draw. Frequentemente, 2 pares é a coisa mais assustadora, porque sua mão-fraca-mas- feita está contra um draw muito específico. Um straight draw pode se tornar um monstro quase imbatível, mas ele tem que CHEGAR LÁ primeiro. Em small stakes, muitos jogadores vão jogar passivamente um draw, dando check/call com um draw na esperança de completar, mas vão jogar agressivamente com 2 pares. Seus oponentes mais fortes vão jogar AMBAS as mãos fortemente. Quando alguém te dá raise numa mesa razoavelmente conectada você precisa decidir se ele esta provavelmente no draw ou se, ao contrário,eles floaparam um monstro. Então você vai proceder baseado na força de sua mão em relação ao range que você pensa que é provavel para esse oponente. Assim como uma suited board uma board conectada pode frequentemente ser usada como uma poderosa ferrramenta de blefe-ou semi-blefe. Digamos que seu oponente 30/11/3 dá raise prá-flop de MP e você call em posiçao com 33. Heads-up o flop vem 7-6-5, esse é REALMENTE um bom flop para se atacar agressivamente, considerando os stats do seu oponente, o raise torna overcards muito mais provável do que o normal,então os odds de que esse flop tenha completamente errado seu oponente são mais altos que o normal. Um raise no flop ou um float podem se tornar extremamente valiosos para você. Nessa análise eu estou ignorando seu inside straight draw – é virtualmente inútil, já que é altamente improvável de acontecer e tambám improvável de ser pago significativamente pelo vilão e mesmo assim ter a melhor mão. Não. Eu estou falando que esse flop é bom para você porque é improvável de ter melhorado a mão do seu oponente significativamente. Colocando a pressão necessária, você deve ganhar esse pot bem frequentemente SEM TER de chegar a um showdown.

Valor da High Card: seus oponentes adoram jogar cartas altas. Claro, você passou da fase de dar call em raises com KJo e A9o (Você JÀ passou dessa fase né?) mas eles não. Jogando essas mãos facilmente dominadas, vai se provar muito caro para seus oponentes não atentos, mas entenda essa regra geral: um flop que é pesado de cartas altas é muito mais propenso de ter se conectado com seus oponentes do que um flop que não tem muitas cartas altas. Se um A cair num bordo em um multi-way pot e eu não tenho PELO MENOS AQ, eu geralmente estou fora da mão. Não há nada que os oponentes amem mais que jogar Aces, e quando o flop vem com um Ace, seus oponentes vão se agarrar a esses A como se fossem feitos de ouro sólido. Pior ainda, um par de Ases com um kicker J (ou pior) vai estar enrascado a não ser que esse kicker se conecte ao board também. Pense sobre isso:

Digamos que vc tenha AJ em um board A-high. A próxima carta mais alta é um T. Se outro jogador tiver um A, quais são as odds para que a mão dele derrote a sua? Bem, AK e AQ obviamente lhe tem out-kicked e o improvável AA lhe tem dizimado.

Entretanto, existem 4 OUTROS Aces que te derrotam – aqueles que fizeram 2 pares. Isso significa que vc está atrás, tão frequentemente atrás quanto a frente nessa situação , e isso supondo que seu oponente tenha “só” um A! Você adiciona a isso os outros 2 pares randômicos e sets e sua mão vai ganhar no showdown menos da metade das vezes. Pior ainda, muitos oponentes vão entender a mensagem e foldar seus Ases com kickers fracos, mas não estão propensos a foldar qualquer mão que derrote você. As chances são de que se você, de algum modo, criar um grande pot, você vai estar mais propenso a estar para trás. Resumindo, proceda com grande cautela em A-high boards, mesmo se você tem um AK-high boards são bem perigosas também porque os oponentes mais looses vão jogar muitos kings especialmente suited-kings. Q’s e J’s são menos perigosos como a carta alta de um jogador mas MUITO perigosa como a carta BAIXA. Alguém disposto a jogar KJo preflop nunca foldará essa mão com um J-high flop.

Reconheça que os odds de seu oponente ter errado o board são maiores em boards de cartas baixas, e muito menores em boards de cartas altas. Isso é especialmente verdade se a board tem mais de 1 high card. Uma grande exceção a essa regra: se você DEU RAISE pré-flop – não desista quando o flop vier com uma high card, especialmente se essa carta é um A. Essa é uma chance fantástica de se roubar o pot. Estatisticamente falando, virtualmente qualquer oponente que vc poderia enfrentar tem uma chance menor de 50% de chance de ter um A nessa situação, mas se você apostar o flop eles vão pressupor que vc tenha um. Uma continuation bet standart vai ganhar o pot uma fração surpreendentemente grande do tempo. Se eles derem raise, fold e mova-se pra próxima mão.

Boards com Par: geralmente uma board com par é motivo de celebração. Por quê? Porque com uma board sem par existem nove cartas separadas no baralho não-visto que pode ter dado a alguem um par… Entretanto, com uma board COM PAR esse número cai para somente 5 cartas. Em outras palavras, agora é 50% menos provável que um oponente tenha feito uma mão boa o suficiente para continuar. Você deveria usar isso contra eles se for razoável para você assim fazê-lo. Perceba que se você deu limp pré-flop e o bordo é AAK, você pode usualmente dar check-fold, porque seu oponente não vai acreditar que você tem uma mão boa.

Entretanto se você deu raise pré-flop e o bordo vem 884, uma aposta em um pot heads-up é virtualmente OBRIGATÓRIO: seu oponente vai entender que perdeu, assumir que você tem um pocket pair e foldar ainda mais frequentemente do que foldaria para uma continuation bet típica. Boards com pares são perfeitos para a continuação da agressão pré-flop. Ademais, entenda que a maioria dos jogadores agressivos sabem disso, entao se você estiver em um pot que alguém deu raise e você tem um monstro escondido, considere um slowplay como um flop check-raise ou mesmo um check/call flop, “check/call flop, check/raise turn”.Seus alvos agressivos vão mandar uma c-bet muito frequentemente, entao vc pode pegar um blefe e ganhar um pot maior do que ganharia de outra forma. Obviamente, isso vai ser específico do oponente em questão, mas mantenha os olhos abertos para tais oportunidades.

No turn e no river, problemas similares com conectividade, naipes, cartas altas, e pares no bordo vão continuar, e vão definir a “Textura” do bordo. Como regra geral,um oponente vai continuar em boards altamente coordenados quando ele tiver uma mão forte ou um draw forte, mas um oponente loose pode continuar com tão pouco quanto top pair. Um oponente agressivo pode apostar esses boards perigosos com um draw, um combination draw (straight + flush) ou um par + draw, e mesmo apostar esses boards em um puro blefe. Um oponente passivo apostando um board perigoso, tem uma boa mão – esses caras raramente apostam seus draws. Agora, pra começar a juntar tudo isso, vamos nos mover para a 4ª  regra.