Nível mental de pensamento

janeiro 25, 2011
Escrito por Andrew Brokos – Thinking Poker
Traduzido por Herick_BR – Fórum MaisEV

Um importante aspecto de um jogo de poker vencedor é a adaptação ao level (nível) no qual seu oponente está pensando. Muitos jogadores sérios de poker entendem isso na teoria mas tem problemas de aplicar na prática. Este mês, eu quero falar sobre quais os levels de pensamento e como eles devem influenciar seu jogo.

Quando me refiro aos levels de pensamento no poker eu me refiro à profundidade na qual um jogador está pensando sobre dada situação e os fatores que ele está considerando. Estes níveis podem ser divididos como se segue:

Level 1O que eu tenho? Este jogador pensa sobre a força absoluta da mão ao invés da força relativa. Ele aposta, paga, folda ou dá raise baseado somente nas duas cartas que segura sem ligar para fatores situacionais como quais as mãos possíveis de derrotarem-no, o que seu oponente pode ter, ou o que ele representa. O tamanho das suas apostas ou o tempo de suas decisões também tendem a ser proporcionais à força da sua mão. Somente os jogadores completamente horríveis são pensadores puramente de Level 1, embora muitos jogadores fracos se revertam à esse nível em certas situações.

Level 2– O que ele tem? Este jogador tenta ler o que seu oponente tem e depois joga sua própria mão de acordo com a leitura. Se ele blefa é porque suspeita que sua mão seja a pior e não porque representou consistentemente uma mão forte nas streets anteriores. Quando ele aposta por valor no river é porque sua mão é forte em relação ao board e ao range do seu oponente e não em relação à força do range que ele representou. A maioria dos jogadores pensam no Level 2 a maior parte do tempo.

Level 3– O que ele pensa que eu tenho? Estes jogadores são cientes não somente do que eles têm, mas também do que eles representam. Eles pensam dinamicamente sobre o range de mãos do oponente baseados em como ele jogou à luz das informações que eles sabem que eles deram ao adversário sobre a própria mão. Eles irão perceber, por exemplo, que você não apostou ou aumentou quando haviam muitas possibilidades de sequência ou flush no board e, portanto, lhe darão menos créditos por uma mão grande. Eles farão também thin values bets quando eles sabem que demonstraram fraqueza e blefar quando demonstraram força mais cedo na mão. Muitos jogadores vencedores de stakes médios são primordialmente pensadores de Level 3.

Level 4– O que ele pensa que eu penso que ele tem? Os pensadores de nível 4 são oponentes verdadeiramente cheios de truques, que entram na sua mente sobre sua jogada à luz da informação que você tem sobre ele e sua mão e também a informação que você sabe que deu a ele sobre sua mão. O melhor exemplo que posso pensar sobre esse jogador é o que folda um par para seu bet no river depois do seu check e call o flop e o turn e todos os draws óbvios não bateram no river. Se o seu raciocínio é que você pensa que ele pensa que você está blefando e portanto não iria blefar mas fazer um thin bet value, então ele está empregando o níve Level 4 de pensamento.

Você pode imaginar a progressão a partir daqui e como intricado os jogos de raciocínio podem alcançar entre dois jogadores de alto nível. Porém, poucos jogadores empregam o Level 4 e acima com sucesso regularmente, em parte porque frequentemente não é necessário.

Um call de Level 3

Essa mão ocorreu durante uma partida online de heads-up com blinds 3/6 e stack efetivo de $600. Meu oponente, um bom mas não ótimo jogador, deu raise pra $18 no botão e eu paguei com Kc6c do BB. O flop veio 9h 6d 4c, me dando o segundo melhor par e um bom kicker além de um back door flush draw. Eu dei check e paguei um bet de $28.

Um 7c melhorou meu flush draw e eu dei check novamente. Meu oponente também deu check e o river foi o 8s. Esta era uma carta ruim, não tanto porque era uma overcard pro meu par, mas porque completava 4 cartas em seqüência no board. Eu dei check novamente e meu oponente bet $70 em um pote de $74.

Porque eu esperava que esse fosse um jogador de Level 2, como até bons jogadores fazem quando chega a hora de apostar por valor no river, eu percebi que ele não faria um thin value bet aqui. Minha jogada passiva tinha representado uma mão fraca de um par que estava muito ameaçada no river. Logo, eu esperava que seu range consistisse de exatamente straights ou blefes. Depois eu conclui que essa era uma carta tão boa para ele blefar que ele apostaria mãos como a Ace-high que teriam algum, mas muito pouco valor no showdon, uma vez que minha mão parecia muito com um par pequeno.

Esse foi um pensamento de Level 3 da minha parte: Eu considerei da força sua sua mão e também o tipo de mão que eu representava. Um jogador Level 4 poderia me explorar aqui dando value bet em algo como dois pares. No entanto, eu não achava que esse jogador era capaz disso. Eu paguei o bet e ele me mostrou 4h 2h. Como eu suspeitava, ele tinha aplicado um cálculo suficiente nas possíveis mãos que eu tinha para perceber que um par não era suficiente para ganhar o pote, mas somente um blefe. Ele estava usando a lógica do Level 2 com seu bet no river, e pensando um level à frente dele, eu tomei a decisão correta.

Overthinking

Agora vejamos o que acontece quando eu tento aplicar o Level 3 contra um pensador de Level 1. Esta mão também ocorreu num heads up $3/$6, $600 de stacks efetivos, mas contra um oponente muito mais fraco.
Eu aumentei para $18 com 8c 7h no botão, e meu oponente fez um re-raise para $36, o qual eu paguei. O flop veio 7s 5s 5d. Ele deu check e eu também, um pouco suspeito pelo tiny re-raise pre-flop.

O turn foi um 8h. Ele deu bet $45, e eu paguei. O river foi um 9d, e ele bet $120 num pote de $162.
Nesse ponto, eu fiz duas suposições erradas sobre meu oponente. A primeira é que seu mini pre-flop re-raise viria quase sempre de cartas maiorias como um grande par ou um Ás grande. Logo, eu não estava particularmente preocupado sobre meu oponente ter 5, 6 ou 9 na sua mão. O segundo que o tamanho do bet no river seria ou uma grande mão, provavelmente trips ou melhor, ou um blefe, mas que nunca seria uma mão de força média como um overpair. Eu paguei e perdi para 9c3c.

Contra um pensador de Level 2, a suposição seria razoável. Mas aqui, eu agora acredito que meu oponente estava operando no nível 1, pelo menos no river– Eu não tenho idéia do que ele estava pensando pré-flop. Ele apostou forte porque tinha top pair, e não deu a mínima pra o tipo de mão que representava, quais as possibilidades do board, ou o que eu teria ou com o que poderia pagá-lo.

Porque eu pensei em excesso na situação, no entanto, ele alcançou o mesmo resultado de um jogador de Level 4 malandro. Ele encontrou um bom spot pra fazer um value bet representando um blefe quando na verdade tinha top pair, uma mão nada plausível com suas ações nas streets anteriores.

Conclusão

Eu escolhi focar esse artigo em decisões no river porque elas eliminam a complexidade dos implied odds, implied odds reversos, semi-blefem, controle de pote e proteção da mão que fazem parte das decisões nas streets anteriores. O jogo no river é puramente um jogo de raciocínio onde nós precisamos descobrir o processo mental que envolve blefes, calls e value bets.

Eu declarei mais anteriormente que poucos jogadores empregam o Level 4 ou maior, e isto é em parte porque não é freqüentemente necessário. Seu objetivo deve ser pensar um e somente um level acima do level que seu oponente esta pensando.

Jogadores melhores se adaptarão mais rapidmanete a você, mas se não se adaptou de maneira certa, então um oponente fraco pode ser tão tricky quanto um bom oponente. Se você está um nível atrás, então estão passando a perna em você.

Mas se você está mais de um level na frente, então você está dando muito crédito ao seu oponente e está overthinking (pensando além do ponto) certas situações.
Uma vez que há muito mais jogadores ruin que bons por aí, o último é um problema mais comum. Este é também, graças a Deus, um problema mais fácil de consertar.


Low Limits Manual – jogando o river – pt. VIII

janeiro 21, 2011

A última parte do manual de low limits vai tratar de todas as possibilidades que podemos vislumbrar no river, além disso irá comentar rapidamente sobre alguns aspectos pessoais, como jogador de poker, que devemos prestar atenção para alcançar o sucesso na carreira de poker como um todo. As partes antecedentes podem ser encontradas abaixo:

Pt. I; Pt. II; Pt. III; Pt. IV; Pt. VPt. VI; Pt. VII;

River play

Triple Barreling

A. Triple barrel é uma ciência complicada. você deve saber com quais tipos de mãos seu oponente está levando até o river e quais mãos podem dar call frente um shove (ou pot sized bet) e quais não podem. Eu quero começar dizendo que, sem history ou com history limitada de river play, shovar o river é a melhor jogada como blefe, e betar algo como $300 into $350 e deixar $100 ou algo pra trás é o melhor para extrair value (as pessoas interpretam isso como uma maneira barata de se executar um blefe e ficam assustadas em um shove).

Então, quais são as boas situações para dar triple barrels? Simplesmente depende do range que você coloca em seus oponentes. Minha favorita situação de triple barrel é o board seco AKx ou só Axx, onde basicamente nosso oponente é um jogador fraco ou um donk e você sabe que ele tem AT-A2 e não pode dar call em 3 streets com TPWK.

Também, ao dar call rapidamente no flop, normalmente ajuda porque você sabe exatamente o que eles tem. Então vamos dizer que você abre no BTN e alguém dá limpcall, o flop vem A92r, você beta 8bbs into 11bb, ele dá call. O turn é um 3-K e não é um 9, provavelmente bete 22-25bbs into 27bbs. River é denovo outro tijolo, provavelmente shove, ao menos que você tenha algo extra sobrando, que no caso, você deve dar uma PSB. Você vai se surpreender quão frequentemente você recebe folds.

Outro cenário comum é, digamos que um jogador loosish dá limp em MP-CO, você isola e o flop é KQx, você dá cbet, ele call, turn é X, você beta denovo, ele call. River é outro tijolo, denovo aqui, eu shovaria, a mão mais forte que ele pode esperar para ir para showdown é KJ, e ele simplesmente não irá fazer isso muito frequentemente. Há jogadores que são spewboxes e irão fazer isso, então só faça notes e explore os demais.

Raising

1. Bluffing: Eu decidi separar c/r e raising porque no turn, você deve saber qual é o seu plano para o river, se X aparece. Por exemplo:

22/19 opens em MP, ele é agressivo. Você dá call com T9dd no BTN.

Flop J84ssd. Ele cbets, você call.

Turn é 2d [o turn aqui pode ser qualquer carta que não dobre e board e não seja espadas]. Ele atira uma second barrel, você call. (Eu devo deixar claro que se o turn é uma espadas, esse jogador provavelmente irá b/f no turn muito frequentemente, então eu daria raise e, dependendo dos stacks e minha mão, eu daria call em um shove).

River é qualquer espadas. Vamos dizer, stacks efetivos no river são 80bbs. O pot é algo em torno de 60bbs, e a aposta é de, digamos, 30-40bbs, este é um grande spot para bluffshove (especialmente se você tem notes que ele é capaz de b/f situações como essa), porque ele odeia dar check, porque ele sabe dar call é pior, e ele não quer abrir mão da iniciativa, então ele beta pretendendo foldar para um raise, então nós jogamos nossa mão como jogariamos um small flush draw.

Eu quero falar sobre c/r no river por um minuto. Na maior parte do tempo, isto é algo que vocês nunca irão fazer, simplesmente porque é, normalmente, um conceito muito complicado e são situações que requerem algum tipo de history ou razão para você jogar sua mão assim. Somente para propósito de aprendizado, o que você nunca irá fazer aqui é balancear, é sá FPS (fancy play syndrome) e spew. Quando você está no nível que você quer fazer isso para balancear, você saberá, e se você está lendo isto, você ainda não sabe. Eu não irei a fundo sobre c/r river bluffing, eu só quero dizer que:

A. você precisa descobrir que tipo de mão o oponente tem, e você precisa chegar a conclusão que ele está tomando a linha bet/fold porque…

B. ele pensa que você irá dar c/r em uma mão que tem sentido, algumas mãos feitas que ele pensa que você pode ter.

Dito isto, vamos ver uma outra situação de bluff. Eu não irei falar muito sobre donkbet no river porque não é algo que eu faço, mas eu sinto que deve ser usado.

$3/$6 – No Limit Hold’em

Seat 1: X ($1,303.50)
Seat 2: X ($659.20)
Seat 3: X ($801)
Seat 4: Very Good LAG ($848)
Seat 5: X ($2,355.80)
Seat 6: Fees ($671)
X posts the small blind of $3
Fees posts the big blind of $6
The button is in seat #4

*** HOLE CARDS ***

Dealt to RealMonies [Kc Qs]
X folds
X folds
X folds
Very Good LAG raises to $21
X folds
Fees calls $15

*** FLOP *** [Jd 4c Td]

Fees checks
Very Good LAG bets $30
Fees calls $30

*** TURN *** [Jd 4c Td] [3h]

Fees checks
Very Good LAG bets $77
Fees calls $77

*** RIVER *** [Jd 4c Td 3h] [7d]

Fees bets $175

Esta mão exemplifica algumas keys sobre jogar poker. Primeiro de tudo, eu tinha um plano e sabia o que eu estava fazendo. Eu dei call no turn simplesmente porque eu sabia que eu poderia blefar em qualquer ouros. Eu também sei que meu oponente tinha a capacidade de dar fold em uma mão forte como 2p ou set porque ele esta ciente de que o que ele tinha é a mesma coisa que um par fraco porque ele só ganha de um blefe. De qualquer modo, o tema aqui é, desde que str8 draws são bem escondidos você pode alterar seu range e blefar com eles como você tivesse um flush draw e completou.

Value

Value raising o river IP é realmente straightforward. Ou você completou sua mão ou você estava tentando fazer com que seu oponente betasse denovo e agora é hora de dar raise por value. Vamos olha 2 spots:

(6 max) – $3/$6 – No Limit Hold’em

Seat 1: X ($204.05)
Seat 2: X ($600)
Seat 3: X ($588.60)
Seat 4: STD TAG ($781.45)
Seat 5: Fees ($1,358.10)
Seat 6: X($999.35)
STD TAG posts the small blind of $3
Fees posts the big blind of $6
The button is in seat #3

*** HOLE CARDS ***

Dealt to Fees [2d 7d]
X folds
X folds
X folds
STD TAG raises to $21
RealMonies raises to $74
STD TAG calls $53
*** FLOP *** [5h 6h 4d]
STD TAG checks
Fees checks
*** TURN *** [5h 6h 4d] [8c]
STD TAG bets $110
Fees calls $110
*** RIVER *** [5h 6h 4d 8c] [9s]
STD TAG bets $215
Fees raises to $1,174.10, and is all in

Aqui, nós decidimos em dar check behind nosso str8 draw em um RR pot. Nós fizemos nosso str8 no turn e nosso oponente deu lead. O board é bem scary agora, significa que, ao menos que nosso oponente tenha um set ou algum tipo de 2p (ambos são dificeis de ele ter aqui) nós, realmente, não iremos ganhar nada ao dar um raise aqui. Então, nós esperamos pelo river e então nós o colocamos em uma decisão mais fácil por causa de pot odds. (Este quadro de lógica quer dizer que no river as pessoas  blefam menos porque é dificil betar grande o suficiente para expulsar seu oponente do pot. Mantenha isto em mente quando você beta e recebe um raise no river). O river não mudou muita coisa, ao menos que nosso oponente tenha 99 ou 98, mas nós demos para ele outra chance de blefar o pot, também outra chance de dar um vbet, desde que ele, obviamente, folde todos os bluffs, nós o colocamos em um spot dificil com qualquer mão feita, e, esperamos que ele erre e dê call. O que eu quero dizer aqui é que não tem razão para dar raise no turn porque nós não temos que proteger nossa mão e nós queremos outra bet do nosso oponente com estes stacks, então o melhor é dar call e esperar o river.

Vamos olhar para uma situação que eu descrevi anteriormente, jogar sets em boards secos.

Você dá call com, vamos dizer, 22 no BTN. Digamos que um jogador TAG 20/15 abriu UTG.

Stacks efetivos: 100BB;

O flop vem J52r. (9 bbs)

Ele cbet 7bbs, você call.

Turn é 7 (qualquer tijolo) (23 bbs)

Ele atira second barrel 18bbs, você call.

River é 4 (qualquer tijolo denovo) (59 bbs)

Ele beta qualquer coisa, você shove. (FWIW, se ele der check eu shovo, se ele shova, eu, obviamente, dou call). No river, se ele betar denovo, ele raramente irá ter um triple barrel bluff, mais normalmente ele tem JKs+, e será dificil foldar com odds muito muito boas. Uma vez que você se estabilizou contra este jogador, que você dá slowplay em sets em boards secos, você deve jogar sets fast em boards secos (ajustando, se tornando tricky).

Ok, agora vamos supor que nós temos A5s.

Damos flatcall do BB em um open do BTN

Nosso oponente cbet em T42ss, nós decidimos dar c/c.

O turn é um tijolo que não dobra o board, nós damos c/c denovo.

O river nos acerta, qualquer espadas, então a decisão é: ou dar lead ou c/r.

Seu standard aqui deve ser: bete alguma quantia que você acha que irá receber um call. Eu normalmente beto 60-70% do pot, algumas vezes menos, algumas vezes mais, dependendo do meu oponente, isto é algo que você tem que descobrir com o tempo. Quais situações merecem um c/r?

O único cenário que eu dou c/r neste spot é contra:

A. pessoas que eu sei que dão thin value bets.

B. pessoas que eu sei que podem atirar 3rd barrel em scary card.

C. pessoas que eu acho que são muito agressivas e spewy (fwiw, algumas vezes eu dou lead 20% do pot para induzir um raise).

Se estes critérios não se enquadram, você não irá falhar no seu c/r MUITO!

———————-

Por fim, algumas recomendações finais que englobam tudo que vimos no manual e o jogo de poker como um todo.

Mentalmente: Poker irá, algumas vezes, o levar a downswings de 10 BI, ou pior. Assim que você faz o move up, pior se torna. Mas é standard e irá acontecer algumas vezes por mês. Você DEVE continuar positivo moralmente e reconhecer que a única coisa que o impede é você mesmo, não deixe o downswings tirar o melhor de você, esteja ciente de que você é winner nestes jogos, não importa o quais sejam seus resultados imediatos, se você continuar com cabeça fria e jogando solidamente. Eu realmente não consigo me estressar muito, EM TEMPO, SEUS RESULTADOS O ALCANÇAM, e estes resultados dependem somente de você. Eu já perdi $8k em 20k mãos antes de jogar 3/6 NL, jogando 4-6 mesas, sem fazer algo horrivelmente incorreto. Eu mantive minha cabeça, meus amigos me apoiaram, e eu tive um upswing de 20 BI em 6k mãos logo após esse doentio downswing. Isto não teria acontecido se eu não estivesse ciente de que eu estava passando por variância normal e que a única coisa que me seguraria pra longe de ganhar tudo novamente, era eu mesmo.

Saúde: Eu não como corretamente, mas eu deveria, assim como você. Eu não sei nada sobre comer corretamente, mas tentei fazê-lo. E, por Deus, se exercite todos os dias. Exercitar-se é muito dificil nas primeiras tentativas, mas depois você irá querer fazer e até gostará. Compre um ipod e você estará bem.

Upswings: Jogue quantas horas for possível quando você está em um upswing. é igualmente importante quanto evitar jogar enquanto tiltado, jogar enquanto ganhando.

Tempo da session. Eu normalmente jogo 2 horas e faço um break, entao não jogo o resto do dia. O que funcionar para você, só não se sinta como se você tenha que jogar 5 horas por dia no mesmo horário e então você não pode dividir ou esta é a melhor maneira, faça o que você acha que maximize seu foco.

MTTbling. Você nunca se tornará melhor jogando mais do que 4 mesas. Jogar 6-8 você irá fazer decisões robóticas boas se você é um vencedor. Jogar mais de 8 irá fazer com que você tome decisões robóticas medíocres. Se você quer, na long run, se tornar melhor e fazer mais dinheiro, jogue 4 mesas ou menos.

 

 

OBS: é importante ressaltar que esse é um artigo “antigo” para os padrões atuais (2011) e por isso é passível de muitas críticas quanto aos ranges aqui escolhidos e quanto às decisões tomadas em alguns spots. Todavia essa deficiência temporal não tira o mérito de todo o ensinamento aqui passado. Eu (Yuri Utumi) entendo que para qualquer iniciante esse é um manual chave e deve ser lido e relido constantemente durante a carreira nos micro e low stakes.

 


Tornando-se um grinder

janeiro 15, 2011
Escirto por Jared Tendler
Trraduzido por Clube do Poker

Dusty “Leatherass” Schimidt é um dos grandes “grinders” do mundo online, e constantemente perguntam à ele como é possível jogar tanto poker (Mais de 1 milhão de mãos por ano! E mais de 7 milhões nos últimos 4 anos).

Pergunte à Dusty e você receberá apenas meia resposta. Não que ele esteja escondendo algo, ele apenas não sabe inteiramente como ele consegue. Dusty é como outros grandes esportistas profissionais, com tremenda habilidade, mas sem entender por completo porque são assim.

Se você quer grindar, assim como ele, não é suficiente entender o que Dusty faz hoje, mas também o que ele fez para chegar onde está. Isso não aconteceu do nada, é algo que foi trabalhado dia após dia.

elky grind poker bertrand poquer grospellier
“Elky” – o Starcraft e o Poker tem muito em comum quando o assunto é disciplina.

O grind é uma habilidade reservada aos que tem disposição para trabalhar seu jogo. Não é algo que Dusty, ou qualquer outro, tenha nascido com. Isto foi aprendido.

Aqui vão algumas das características principais que um grinder precisa ter:

1 – Dedicação. Muitos não sabem, mas a habilidade de jogar sessões monstruosas que Dusty tem, veio do golf. Acertar centenas de bolas de golf por dia requer o mesmo nível de dedicação que o poker, e Dusty faz isso desde os 8 anos. Dedicação exige consistência, especialmente quando as coisas vão mal. Seja indo bem ou mal, seja cansado e sem foco, confuso e cheio de dúvidas, ou fazendo move up em stakes e runnando super bem, dedicação significa aplicar-se ao jogo todos os dias, não importa o que aconteça.

2 – Corra atrás. Dusty estava disposto a trabalhar duro pelo seu sonho de ser bem sucedido. Seja o poker ou no golf, quando ele põe algo em mente, ele quer ser bem sucedido ao máximo. Essa determinação fez ele correr atrás de seus sonhos como poucos. Você não precisa mirar o top do highstakes, mas, acima de tudo, precisa correr atrás do que você quer.

3 – Maratona. Grindar requer uma capacidade mental comparável à capacidade física para disputar uma maratona. É importante desenvolver sua mente para que ela se torne capaz disso. Quando Dusty começou a jogar poker, ele já tinha a mentalidade preparada para essas sessões gigantescas. Freqüentemente os jogadores acreditam que grindar é fácil, criam muitas expectativas e acabam caindo muito rápido. Se você criar muitas expectativas tão cedo, sua mente irá quebrar, assim como seu corpo caso você decidisse correr 30 km, quando seu corpo agüentaria apenas 5. Pense em moldar os músculos de seu cérebro baseado no que você pode fazer, não no que você quer fazer. Então, se é fácil para você jogar uma sessão de 90 min., acrescente mais 10 ou 15 minutos. Quando 100 minutos forem fáceis para você, adicione mais 15. Repita este processo.

4 – Pressione a si mesmo. Trabalhar os músculos da mente significa que será preciso pressionar a si mesmo quando estiver cansado, tiltado, distraído, ou qualquer outro motivo que leve a tempos difíceis nas mesas. Poucos notam que esses momentos acontecem quando estamos no processo de aprendizado do grind. Desistir é fácil. Aprender a grindar é difícil. Esforce-se ao máximo, e o grind logo se tornará fácil.

5 – Descansando. Para correr mais longe, você precisa de músculos mais fortes e maiores, para grindar por mais tempo, você precisa de mais neurônios (os músculos do cérebro). Tanto músculos quanto neurônios crescem quando descansamos, não quando treinamos. Se você quer um cérebro maior, você precisa treinar e depois descansar. Descansar significa ter um tempo longe do poker e dormir de forma correta. E, depois de um dia em que você realmente se esforçou nas mesas, descansar ainda mais. Seu cérebro precisará disso.

6 – Automatização. De todas as decisões que Dusty toma na mesa, menos de 3% necessitam de pensamentos mais elaborados. Com 7 milhões de mãos para trabalhar, tiveram poucas situações que desafiaram ele. A maioria foi automática. Decisões que requerem pensamentos elaborados consomem energia mental. Dusty grinda de forma fácil, por que ele sabe poupar sua energia mental, usando apenas uma fração do que a maioria dos jogadores usa. Ele pode jogar mais, jogar mais mesas, jogar mais mãos gastando muito menos energia do que um jogador normal usa. Tomar decisões de forma automática sem jogar 7 milhões de mãos é complexo. Duas dicas para isso são: 1) Mantenha-se continuamente focado em eliminar pequenos erros; 2) Revise decisões difíceis. Você aprenderá muito delas.

7 – Removendo erros mentais. Problemas como tilt, ansiedade, foco, motivação, etc, podem ser postos de lado para grindar, mas apenas por pouco tempo. Fora o estrago que eles podem causar em seu jogo, eles causam uma perda colossal de energia. Se você quer jogar uma quantidade gigante de mãos, eles precisam ir embora.


Mid to High Stakes: Open Your Mind

janeiro 11, 2011
Escrito por Phil Galfond – bluefirepoker.com
Traduzido por Yuri Utumi – Poker Artigos

Então, você chegou a um nível no qual você pode bater consistentemente a NL600. Você já estudou o jogo e colocar em muitas horas da sua vida para chegar onde você está. Parabéns, isso não é fácil. Você dá uma olhada nos jogos de $25/50 e percebe que a maioria dos caras ali leram os mesmos livros e colocaram ainda mais horas de prática no jogo do que você. Eles sabem o que você está pensando. Eles sabem por que você aposta no river. Eles sabem o range de mãos que você dá re-raise pré-flop naquele spot. Eles têm uma resposta prática, condicionada, calculada e padronizada para tudo que você está pensando. Assim como você pode vencê-los?

poker fichas azuis blue chips

Quando você começa a subir de stakes e começa a jogar contra oponentes mais sábios, você tem que abrir o seu jogo. Uma maneira desuperar o jogador padrão, sólido e multi-tabling pro dos limites altos é fazê-lo pensar. Esse jogador é condicionado às mesmas situações todo dia. Você faz um open raise do tamanho do pote do botão. Ele call no BB. Flop é A-Q-5-rainbow. Ele check; você apostar $30 em $44. Ele viu tal cenário (ou um muito semelhante) centenas de vezes, e ele sabe como lidar com isso.

Mas e se você apostar $10 num pote de $44? E se você apostar $87? Ele teria que parar e pensar. Ele estaria em um local desconhecido e provavelmente não iria se sentir confortável. Por que temos de apostar uma determinada quantia em um pote? Em No-Limit Hold’em você tem tantas opções… Por que você tiraria um movimento do seu arsenal? A razão para que você deva fazer jogadass fora do padrão é incentivar os seus adversários a cometer um erro. Por favor, tenha cuidado. A chave para utilizar suas opções bem é saber por que você está fazendo o jogo que você está fazendo. NÃO É simplesmente sair por aí fazendo apostas sem sentido e sem nenhuma razão em todo spot.

Vamos entrar em alguns exemplos. A razão mais simples para fazer um movimento não convencional é objetivada na sua imagem na mesa: afetar o que os seus adversários pensam de você. Meu amigo Craig me disse uma vez sobre uma jogada que ele adora fazer. Três jogadores dão limp antes dele e ele tem 8s Js na última posição. Em vez de dar limp também ou fazer um grande raise, ele dá um mini-raise. Por quê? Assim os seus adversários pensam que ele é um idiota. É uma forma muito barata para enganar sua oposição, e ele vai lucrar mais tarde, à noite, quando aqueles oponentes cometerem erros contra si com base em como eles pensam que “aquele idiota” joga.

Às vezes você pode fazer uma jogada por imagem e receber o bônus de obter informações. Você está jogando $50/100NL Hold’em com stacks de $10k. Você raise para $300 no botão e o BB call. Flop é 9-7-2 com dois ouros, e seu oponente check. você aposta $ 150 em $ 600. Seu oponente call. Agora, você fez várias coisas. Você provavelmente já fez seu oponente pensar que você é burro, e você aprendeu alguma coisa sobre sua mão. Não há quase nenhuma forma que seu oponente pode ter dois pares ou melhor. Em um flop heavy drawy, ele nunca iria apenas dar call com uma mão grande. Ele erguia a proteger e ganhar dinheiro com a mão. Agora você pode usar essa sua informação para blefar a mão mão fraca de seu oponente mais tarde, ou para retardar e obter o máximo valor com sua mão forte. Você também se deu a opção de ver um river de forma muito barata, pois ele provavelmente vai dar cehck no turn também.

Aqui está uma mão grande que joguei recentemente contra um muito bom e muito agressivo pro de high stakes. Estamos jogando $200/400NL four handed. Ele possui $47k e eu tenho-o coberto (tenho mais dinheiro na mesa do que ele). Ele raise no botão e eu dou call no BB com o Ad 8d. Flop K-8-6 rainbow. Eu check, ele aposta o pote ($2600); eu call. O turn, por sua vez, é um 6 off. Eu check e ele beta o pote novamente com $6800. Ele é muito agressivo e que ele iria apostar por valor com KQ em todas as três streets. Ele iria dar check behind no turn, provavelmente, com K-T. Ele poderia betar também o turn, mas às vezes desistir no river com mãos como 9s 7s, 7d 5d, 9-T, e ocasionalmente completar o seu blefe. Eu decidi dar call no turn. O river é um dez. Eu dou check. Ele pensa um pouco e depois aposta $15.200 em $20.400. Agora, para dar call nessa aposta eu tenho que pensar que ele está blefando cerca de 30% das vezes (com base em pot odds). Eu tenho um par de oitos, então tudo que eu posso bater é um blefe.

Então, call ou fold? Escolha um, agora.

Na hora achei que ele não estava blefando 30% das vezes. Talvez como 15-20%, o que não foi o suficiente para dar call. Então, resolvi dar… RAISE! Eu fui all-in com $36.000, deixando-o $21.000 a mais para o call. Então, eu estava arriscando $36k para ganhar $35.6k. Esta jogada tinha que funcionar metade da vezes para se tornar break even. Então, eu ganho aquele pote que ganharia 15-20% do tempo que ele está blefando e, além disso, se ele não está blefando, ele normalmente tem uma mão como KQ ou AA, que temos de fazê-lo largar pelo menos metade das vezes a fim de conseguir algum lucro (perceba que mesmo o call sendo rentável, um aumento poderá ser ainda mais rentável). Fazer alguém largar um overpair parece ser uma tarefa difícil, mas olhe do outro lado: dei call em um flop seco, o turn dobrou o 6 e dei call para uma aposta do tamanho do pote novamente. Não há nenhuma chance de eu dar call numa pot size bet em 2 streets com um draw. Eu tenho que ter uma mão feita (ou seja, um par ou melhor). Agora, quando eu dou raise no river, seu AA só pode bater um blefe. Eu não daria riase no river por valor com um par de reis. Assim, com o que a mão que eu poderia dar call em duas apostas do tamanho do pote e que agora eu precisaria de um blefe para ganhar? Ele pede tempo, usando ele inteiro, e finalmente folda. Eu assumo que era uma mão do tipo AK, e eu acabei ganhando um pote de $52.000.

Um aviso antes de eu ir embora: não vá dar um bluff-rainsing todo river. Seu adversário tem que ser capaz de colocá-lo em uma mão e ainda fazer um grande fold. A mesma coisa vale para fazer apostas estranhas. Saiba que tipo de reação que você está procurando e se o seu adversário irá reagir de alguma forma. Os exemplos que dei estão aqui só para te mostrar como pensar fora da caixa. Eu poderia ter listado centenas de situações onde o pensamento fora do padrão pode ajudar. Considere todas as opções que você tem. Antes de fazer um call ou fold, pense por um segundo se um aumento poderia ser melhor e por quê. Antes de apostar 2/3 do pot, pense no que apostar um quarto do pote pode fazer no seu adversário. Mesmo se você decidir que o jogo “padrão” é melhor, pelo menos agora você está pensando sobre por que você está fazendo isso.

Boa sorte a explorar suas muitas opções.


7 dicas para você elevar o nível do seu jogo

janeiro 7, 2011
Originalmente postado em papodehomem.com.br
Retirado do Blog Quero Ser Shark

Seja você um iniciante ou um jogador mais experiente, as seguintes dicas oferecem alguns caminhos paravocê aprimorar seu jogo.

1. Seja agressivo

Agressividade é o que há. Não conheço um grande vencedor que não seja agressivo.

Existe uma lógica por traz disso: no Texas Hold’em você conseguirá um par ou algo melhor no flop (quando não iniciar com um par na mão) apenas em 1/3 das vezes. Logo, em 2/3 das vezes não teremos nenhum jogo pronto. A mesma regra se aplica ao seu oponente.

Como na maioria das vezes seu oponente não vai ter uma mão sólida, sendo agressivo você poderá ganhar um pote que muitas vezes não merece. No entanto, não seja agressivo de forma irracional: siga uma lógica e pense muito bem no que está fazendo para não ser agressivo nos momentos incorretos.

2. Deixe suas emoções de lado

Se você se deixar levar pelas suas emoções durante o jogo, isso poderá lhe custar muito caro. Poker é um jogo que envolve psicologia, matemática e lógica. Quando um jogador está emocionalmente frustrado na mesa, ele deixa de lado os três pilares do poker. Isso se chama Tilt.

Seu objetivo enquanto jogador deve ser nunca tiltar. Para isso, você tem que se conscientizar de que não importa se você perdeu uma mão em que era favorito, ou se seu péssimo oponente continua ganhando mãos em que ele não merecia ganhar. O que importa é jogar corretamente. Com estabilidade emocional, uma hora o resultado vai surgir.

Contudo, nós não somos robôs: em algum momento a nossa emoção prevalecerá. Quando isso ocorrer, saia da mesa, principalmente se for uma mesa de cash game, na qual cada ficha possui valor monetário. É melhor não jogar do que jogar mal, uma vez que no poker jogar mal significa perder dinheiro a longo prazo.

3. Seja humilde

Saiba que você não é o melhor jogador do mundo.

Provavelmente você não é sequer o melhor jogador da mesa. Tenha consciência disso e você terá um motivo para tentar evoluir. Lembre-se que os piores jogadores acham que são bons e podem ganhar, caso contrário não jogariam.

4. Controle sua banca

Certifique-se de que você possui uma banca grande o suficiente pra suportar as oscilações do poker. Afinal, estamos falando de um jogo com informações incompletas, em que raramente uma mão não possui qualquer chance de ganhar. Assim sendo, você pode jogar corretamente e ainda assim perder. É aqui que entra a já mencionada oscilação.

Pra entender melhor esse termo, tente imaginar uma situação em que estamos jogando cara ou coroa. Toda vez que sair cara, você ganha R$ 1,20. Toda vez que sair coroa você perde R$1,00.

Obviamente é lucrativo pra você participar desse jogo de cara ou coroa. Contudo, se você começar com R$5, a chance de você quebrar (ou chance de ruína) é alta. Agora imagine que você tenha R$100. Dessa vez a chance de ruína é baixa, mas ainda existente. Agora imagine que você tenha R$1.000.000. A chance de ruína aqui é virtualmente inexistente.

Controle de banca é possuir um valor alto o suficiente para que seu risco de ruína seja quase inexistente.

Uma forma conservadora de controle de banca é jogar com no mínimo 50 vezes o valor que você paga pra entrar no torneio ou mesa de cash game. Por exemplo, para jogar um torneio de $11, você tem que ter pelo menos $550 no caixa. Ou, para sentar em uma mesa de cash game em que a entrada máxima é de $50, você tem de possuir pelo menos $2500.

daniel-negreanu

Case você não seja o Daniel Negreanu, comece a jogar nos limites que sua banca e habilidade aguentam

Outro exemplo: você tinha $550 no caixa e estava jogando torneios de $11, mas perdeu vários, de tal maneira que sua banca caiu para $300. Nesse caso, você deve começar a jogar torneios de $6, respeitando a regra de 50 vezes o valor do torneio.

Apenas pra finalizar esse ponto, tenha em mente que o controle de banca parte do pressuposto de que você é um vencedor nos limites que joga. Se isso não for verdade, sua tendência é quebrar.

5. Pense sob diferentes perspectivas

Um erro comum é achar que seu oponente pensa da mesma maneira que você. Tenha em mente que cada um pensa de uma maneira, gerando interpretações distintas para situações idênticas.

Com isso em mente, seu objetivo na mesa é desvendar o raciocínio do seu oponente, entender como ele pensa e usar essa informação contra ele sempre que for apostar. Se conseguir isso, é uma questão de tempo para o dinheiro sair do bolso dele em direção ao seu.

6. Não jogue como você vê na TV

Atualmente existem diversos programas de poker na televisão. Eu adoro assisti-los, mas é essencial ter em mente que não se deve jogar diversas mãos que mostram ali.

Não é que os jogadores que estão ali são ruins, mas temos que nos lembrar que na TV existem edições. Os produtores selecionam apenas mãos em que houve ação para mostrar ao público. Isso significa que se um jogador ficar uma hora sem jogar nenhuma mão e subitamente resolver jogar uma mão fraca por causa da sua imagem de jogador fechado, o público pode interpretar que ele sempre joga aquela mão fraca, pois não está ciente do contexto da mesa que fez o jogador decidir jogá-la.

Nos filmes, por outro lado, a tendência é mostrar que os jogadores fazem os melhores jogos possíveis com grande frequência. Isso está longe de acontecer. Se você só for jogar quando tiver mãos incrivelmente fortes, você provavelmente vai perder todo seu dinheiro antes de ter a chance de pegar uma mão dessas.

7. Estude o jogo

Pra se tornar um grande jogador é necessário suar muito. O número de jogadores que não se dedicam e alcançam o sucesso é incrivelmente menor do que você deve imaginar. Por isso sempre busque novas fontes de informação, sempre discuta mãos e nunca feche sua cabeça para novas ideias e teorias.

A seguir, listei alguns livros de poker que são interessantes na minha opinião. Em geral, livros apresentam alguns conceitos importantes, mas também apresentam teorias falhas ou ultrapassadas. Leia os livros e procure absorver somente o que lhe parecer interessante.

Super System

Super System II

The Theory of Poker

Harrington on Hold’em (todos os 3 volumes)

Harrington on Cash Games (dois volumes)

Professional No-Limit Hold’em I

Elements of Poker (meu favorito)

Apesar de citar livros nesse post, quero deixar claro que os mesmos não são essenciais pra sua evolução, mas são uma boa fonte de teoria. Se você não pode ou não quer ler esses livros, procure fontes alternativas.

Existem fóruns de poker online com excelentes discussões. O maior do mundo é o TwoPlusTwo e o maior do Brasil é o MaisEV. Existem também excelentes blogs de estratégia.


Reciprocidade: A Causa do Lucro no Poker 2/3

janeiro 4, 2011

A segunda parte desse trecho do livro “Elements of Poker” tratará dos principais pontos a serem observados e estudados no poker liver (“poker de mesa”). Para conferir a primeira parte deste excelente artigo, clique nesse link.

“Meu segredo é guardar segredos.”

Eu jogo poker baseado na necessidade de saber. Eu preciso saber o que meus oponentes estão pensando. Eu preciso saber o que eles estão sentindo. E eu preciso saber com que cartas estão jogando. Enquanto isso, eu preciso que eles saibam o menos possível sobre mim. Eu chamo isso de guerra de informação.

A guerra de informação é lutada em duas frentes – enviar e receber. Para vencê-la, mande menos informação do que eles transmitem, enquanto recebe mais informação do que eles recebem. Ao controlar essas diferenças, você controla o fluxo de informação. É aí que deve procurar por ouro recíproco.

phil ivey wsop poker artigos online

Na internet, a guerra de informação é lutada em um vasto território feito de softwares de estatísticas, tells de tempo, chat, fóruns e mais. O poker fora da internet ocorre em uma mesa, então eu chamo de poker de mesa (table poker). O poker de mesa sempre vem com visões, sons, cheiros e tells e é como uma orgia eterna de troca de informação. O resto deste artigo será sobre reciprocidade de informação no poker de mesa.

Músculos

Pense no corpo humano como um dispositivo de comunicação que usa músculos para divulgar informação. Não é sempre óbvio quem está no comando do controle dos músculos. Às vezes nós estamos, e às vezes eles estão. Quanto controle você mantém sobre seus músculos, mais controle você tem sobre a reciprocidade de informação.

Face

Humanos tem duas vezes mais músculos faciais do que qualquer outro animal. A explicação favorita é que em algum ponto no passado, aumentos na musculatura facial fizeram nossos ancestrais melhores que seus vizinhos na comunicação silenciosa. Os melhores comunicadores tinham uma vantagem na sobrevivência, e em fazer sexo, e isso é um jackpot genético. Então em algum momento um gene deu à mãe natureza uma escolha, e mais músculos na face foram naturalmente selecionados.

Agora, muitas gerações e mutações depois, nós temos estes 40 músculos na nossa face, todos designados para enviar sinais silenciosos, e não podemos desplugá-los. Tudo o que podemos fazer é tentar convencê-los a ficarem quietos quando precisarmos, pelo bem do time. Durante uma mão de poker, o cérebro pode dizer “Caramba!” e então, quando a face estiver prestes a dizer a mesma coisa, o cérebro irá sussurrar com urgência “Espere! Shhh! Não mova um músculo!”

E quando isso acontece, nós vemos a poker face. A poker face é uma reação instintiva à situações em que o cérebro diz ao corpo para parar de enviar informação. Ouro recíproco vai para quem for melhor em agir instintivamente de propósito.

Mãos

Para o jogo ser jogado, fichas e cartas devem se mover, e mãos humanas devem movê-las. E onde há movimento, há informação. Às vezes uma pequena mexida na mão me dirá algo. Às vezes será a maneira com que mexem as fichas, outras a maneira com que mexem as cartas, outras vezes será a maneira com que dão check, e às vezes não será quase nada, mas sempre haverá algo.

Mas o movimento com as mãos que mais me passa informação, de longe, é quando um oponente mostra as cartas quando não deveria.

Boca

Aqui nós temos uma coleção de músculos e partes que enviam informação não somente usando expressões, mas também sons. E não somente qualquer som velho. Palavras. Sentenças. Informação de alto nível. Isso é uma ótimo notícia para o minerador de reciprocidade já que não há regras que exigem que os músculos da boca se movam enquanto joga poker. Você tem o direito de permanecer calado.

Meus professores

Eu não posso te dizer que mais quieto é universalmente mais lucrativo do que mais barulhento. Eu não posso dizer que a inércia vence o movimento. Eu não posso te dizer menos é sempre mais. Mas eu posso te contar uma história.

Eu costumava embaralhar fichas até minhas mãos doerem. Minhas pernas pulsavam tanto que tinham padrões previsíveis como um carro porcamente alinhado. Eu havia me enfiado em um cassino por meses ou anos de uma vez e falava tanto na mesa que eu era um comitê de boas vindas, capitão da mesa e tradutor de garçonete ao mesmo tempo. E com todo esse movimento e toda essa fala, eu ainda conseguia pagar mina comida e meu aluguel com os ganhos do poker porque eu ainda estava muito a frente dos meus oponentes na guerra de informação, por causa do que eu não fazia, e do que não dizia, e quando.

Eu não mostrava mãos. Eu não falava sobre mãos. Eu escondia alegria e desapontamento. Quando se trata de informação, eu era um livro aberto sobre tudo, exceto poker. Eu aprendi a jogar dessa forma porque sempre que eu ia para Vegas, no começo, eu encontrava dois tipos de jogadores: os que eu tinha medo e os que eu não tinha. Naturalmente eu prestava mais atenção nos jogadores que eu tinha mais medo. A coisa mais interessante que todos eles tinham em comum era aquela incrível maneira de olhar como se não dessem a mínima. E isso me deixava morrendo de medo. Então eu copiei eles e aprendi suas habilidades. E quanto mais eu fazia o que eles faziam, mais eu percebia que o que eu aprendi com os meus professores foi como jogar o que eu chamo de “sexta street.”

Sexta Street

A sexta street começa quando as apostas param. A sexta street é quando os jogadores relaxam, que é o que pagam para não fazer. Reciprocidade.

A sexta street é quando estátuas se tornam fontes. Enquanto jogam o turn e o river, os jogadores estão estóicos, fazendo o melhor para dar a menor quantidade de informação possível. E então, tão logo as apostas parem, suas partes começam a se mover, distribuindo informação sobre seus pensamentos, seus sentimentos e suas cartas. A sexta street é quando os jogadores abaixam a guarda, como se de repente fosse seguro revelar segredos confidenciais para o inimigo. É como se ele nem soubessem que a guerra ainda continua.

No rio da informação, a sexta street é uma fonte confiável para procurar por ouro.

Mum Poker

Uma corrida armamentista militar resulta em bombas maiores e bunkers mais grossos. Uma corrida armamentista zoológica resulta em caças com camuflagem esquisita e predadores que podem vê-los de qualquer maneira. A guerra da informação no poker é uma corrida armamentista, e se alguém quiser levá-la para seu natural extremo – e eu levei – eu jogaria um estilo de poker que chamo de “mum poker” – e eu jogo.

Por fora, mum poker é a tradicional poker face, estendida por todo o corpo e mantida até a sexta street. Por dentro mum poker é não reclamar, não culpar, não arrepender. Mum poker é inércia. Mum poker é prontidão. Se você quer ir até o fim com isso, você pode pensar em mum poker como sendo o zero absoluto, a cessação do movimento. É conhecido em teoria, e para sempre aproximável, e ainda assim inatingível.

Ou você pode pensar em mum poker como sente e cale a boca.

Hoje, quando eu jogo poker puramente por lucro, eu jogo mum poker. Eu uso um boné de baseball, sem óculos de sol, e sem rótulos. Eu raramente faço contato visual. Eu não falo a menos que falem comigo, e mesmo assim, eu não reajo a questões ou comentários sobre poker. Eu descobri que quanto menos informação eu enviar, mais eu foco no jogo. E quando estou focado no jogo, eu envio menos informação. Quando eu emprego o mum poker, eu luto por ouro recíproco em ambas as frentes da guerra de informação simultaneamente.


Psicologia no Poker

janeiro 3, 2011
Retirado do Clube do Poker

Quanto mais competitivo se torna o poker, maior é a necessidade de achar fraquezas em áreas onde outros jogadores não costumam olhar.

A psicologia é uma dessas áreas, porque o número de jogadores que a desprezam ainda é maior do que o número daqueles que realmente dão valor. Não faz muito tempo que os jogadores vencedores não precisavam trabalhar com fatores como tilt, foco, motivação, confiança, etc. Mas isso mudou.

O grande número de jogadores, associado ao material de qualidade sobre poker disponível hoje em dia, exige que você explore um lado não muito visado do poker para ter vantagem sobre seus oponentes: o lado mental.

phil hellmuth wsop poker artigos poquer online live

Melhorar seu lado mental no jogo acontece conforme você melhora suas técnicas e habilidades. Tudo se resume a elaborar uma estratégia baseada em informação de qualidade, e como o lado psicológico nem sempre é tão obvio, a seguir listarei 6 (de muitos) importantes fatores onde a psicologia é importante em seu jogo.

1. Situações de Tilt

O dinheiro jogado fora por jogadores em tilt é um lugar estranho para achar oportunidades, mas pode ser um dos melhores, caso você saiba como tirar vantagem dele. Poucos são os jogadores que notam que erros realizados durante o tilt, sejam eles estratégicos ou mentais, na verdade não são causados pelo tilt. O tilt apenas revela os erros. É como se o tilt destroçasse as defesas de seu jogo, deixando visíveis e vulneráveis os seus pontos.

Quando você entra em tilt, o excesso de emoção derruba sua habilidade de pensar; conseqüência de uma reação natural presente no cérebro de todas as pessoas do planeta. O fato de você perder a capacidade de pensar corretamente é a razão pela qual o tilt é um problema tão grande.

Sem pensar direito, as terríveis decisões que você faz durante o tilt mostram os piores hábitos/decisões de seu jogo. Mesmo que essas terríveis jogadas pareçam óbvias e básicas para o seu atual nível de jogo, cair nelas mostra que você ainda não as dominou completamente.

Claro que o melhor é não cair no tilt, mas enquanto você não se “blinda” 100% contra isso, fique atento aos seus erros… e também aos dos oponentes, quando eles entrarem em tilt.

2. Jogando mais mesas e mais horas do que possível

Se o máximo de peso que você consegue levantar são 150 libras, seria suicídio tentar levantar 250 libras; mesmo assim é comum vermos jogadores tomarem atitudes parecidas com essa, jogando mais mesas e horas do que realmente pode. Claro que pode parecer razoável para você jogar 4 horas quando você só pode jogar 2, ou jogar 12 mesas quando só pode jogar 7. Mesmo assim você não deve fazer essas loucuras. Talvez uma vez ou outra, quando as estrelas se alinharem perfeitamente (um dia com clima perfeito, com seu jogo fluindo bem e as mesas cheias de fish), porém isso requer muito trabalho mental.

Pense nisso como um treino ou malhação. Então, comece com o que você “aguenta”, e com o passar do tempo vá adicionando mais mesas e horas em seu jogo. Se em média suas sessões duram 2 horas, depois de uma ou duas semanas, comece a adicionar 10~15 minutos a partir da terceira semana. Quando estiver confortável, adicione outros 10~15 minutos.

Mantenha o ritmo e em um ou dois meses você estará jogando de 3 a 4 horas. O mesmo é aplicado ao número de mesas.

3. Variância acontece

A questão não é se a variância aparecerá, porque ela vai aparecer! A questão é como reagir a ela. Seja em uma grande seqüência de bons resultados ou terríveis jogos, o principal problema da variância é que ela afeta a sua confiança. Com bons resultados você pode se sentir o deus do poker, já com péssimos resultados você pode se sentir exatamente o contrário.

A razão pela qual a confiança está perfeitamente alinhada com seus resultados é a forma como você avalia a qualidade de seu jogo: Baseado nos resultados. Claro, dinheiro e resultados são o que mais importa – mas é sua habilidade que produz esses resultados a longo prazo e é nela que você deve focar.

Para fazer a mudança de foco – priorizar as habilidades ao invés dos resultados – você precisa avaliar a qualidade de seu jogo depois das sessões. Não é preciso de muito, cerca de 15 minutos é o suficiente. Em dias onde você perdeu, mas notou durante a revisão da sessão que jogou de forma correta, fique feliz! Você diminuiu suas perdas, e isso é uma grande vitória.

4. Fazendo progresso

Melhorar seu jogo raramente será feito de forma linear. É parecido como um carro com problema de motor: muitas paradas e partidas, arrancando às vezes e ocasionalmente ficando completamente parado. Deixando a variância de lado, seu progresso não deve ser dessa maneira. Tendo conhecimento do processo de melhora você pode manter sua curva de aprendizagem movendo-se sempre para cima, minimizando as subidas e descidas bruscas.

Pela maior competitividade de hoje, o trabalho duro não é mais suficiente para conseguir esse progresso. Você tem que ser mais esperto e mais eficiente. Este é um assunto que renderia um livro inteiro, mas eu gostaria de ressaltar alguns coisas:

1 – Dar um passo para frente e um passo para trás – É assim que ocorre o progresso. Cada passo para trás é uma chance de provar que seus pontos fracos melhoraram. E cada passo para frente é uma chance de provar que seus pontos fortes estão ainda melhores.

2 – Liste seus erros (estratégicos e mentais), e analise depois das sessões. Assim você poderá focar na melhoria de cada um deles. Faça isso consistentemente, alguns meses depois você poderá ver uma grande melhoria no seu jogo.

3 – Revise todas as mãos que você encontrou problemas, não só as que você ganhou ou perdeu mais. Marque-as quando acontecerem, assim você poderá encontrá-las facilmente depois da sessão.

5. Cria sua “zona”

O clima perfeito para o jogo não aparece do nada. Ele ocorre por uma boa razão. A “zona” – o lugar de extremo foco, presença perfeita, e grande jogo .

Para alcançar este “nirvana” do poker você precisa remover qualquer coisa que retire sua atenção. Todo tipo de distração (internet, telefone, tv, etc) e também o tilt. É mais fácil falar do que fazer, mas se fosse fácil à recompensa para seu jogo não seria tão grande.

Você também precisa se preparar para isso. Para que a você chegue nesta zona com consistência você precisa focar sua mente apenas no poker. Comece a trabalhar sua mente antes de começar a jogar, assim você já estará nesta zona quando as cartas forem dadas. Para mais informações nesse sentido, recomendamos dar uma lida neste artigo.

6. Fazendo Moving Up.

Subir de stacks não deve ser tratado com desespero. Algo como “vencer ou morrer”. O objetivo é estabilizar seu jogo no novo nível assim como você fez no nível anterior. Esta sutil diferença tornará você mais agressivo ao tentar alcançar o novo nível e automaticamente aumentará o prazo para a expectativa de sucesso de sua subida. Estes dois fatores reduzem a pressão. E como você não está apenas tentando alcançar bons resultados imediatamente nesse novo limite, seu foco estará em melhorar suas habilidades o suficiente para competir com os jogadores regulares, e assim você realmente irá aprender mais rápido.

Então, ao invés de apenas subir de nível e torcer para se dar bem lá, considere os seguintes pontos:

1 – Identifique fraquezas que não eram prioridades nos níveis mais baixos

2 – Estude outros jogadores para aprender a maneira como eles jogam

3 – Jogue menos mesas para ter maior foco.

4 – Mantenha-se agressivo e focado em melhorar suas habilidades.

Preocupando-se apenas com sua habilidade, o lucro virá naturalmente.