Estratégias para torneios com Monster Fields

janeiro 14, 2011
Escrito por Igor “Federal” – dicasdepoker

Que estratégias usar quando você encara um torneio com milhares de jogadores?

Um grande número de pessoas, quando tem a oportunidade de conversar comigo, quase sempre repete a mesma pergunta: Como você faz para chegar na reta final de um torneio de field enorme? Que estratégia você usa? Qual é a melhor estratégia?
Neste último ano ganhei dois torneios Sunday Million Second Chance do PokerStars, com field de cerca de 1.500 jogadores. Cheguei na mesa final de um Sunday Million do PokerStars, com cerca de 2.600 jogadores. Cheguei em 314º no WSOP Main Event, com quase 9.000 jogadores; depois de jogar durante quatro dias – média de 12 horas por dia. Fiz mesa semifinal do Sunday Million em outra ocasião, com média de 5.000 jogadores. Fiquei em 10º no US$400.000 garantido do FullTilt, com média de 2.500 jogadores.
igor federal torneio poker poquer
Acredito que, para se dar bem em torneios com fields enormes, você tem que adotar basicamente uma destas duas estratégias:
1 – Jogar com muita paciência o tempo todo, esperando o erro dos adversários, e não se envolvendo em confusões desnecessárias.
2 – Jogar muito ativo e agressivo desde o começo, procurando dobrar logo nos primeiros níveis de blind.
Alterno estas duas estratégias constantemente. Na primeira você se manterá vivo dentro do torneio por mais tempo (isso acontecerá na maioria das vezes em que você jogar desse jeito, é claro), já que não irá buscar grandes confusões, não dará grandes blefes, nem pagará grandes apostas em situações em que você não tenha certeza de que esteja ganhando. Estará quase sempre vivo, mas também quase todas as vezes abaixo da média das fichas dos demais jogadores daquele torneio.
Isso facilitará que você fique ITM (In The Money), ou seja, que você busque uma colocação que lhe traga algum retorno sobre o capital investido. Mas, em compensação, dificilmente fará com que você lute pelas primeiras colocações desse torneio, uma vez que essa estratégia exigirá uma reta final over aggressive e com muita sorte para recuperar o campo perdido (no início e meio do torneio) em comparação com aqueles jogadores que resolveram se arriscar desde o princípio.
Não se esqueça: toda vez que dois jogadores se enfrentam apostando todas as suas fichas, um deles cai precocemente, mas o outro dobra seu stack e fica bem maior que os demais. Parece óbvio, mas nunca é demais lembrar. Se alguém caiu… alguém ficou grande. Logo, se você não se envolveu em potes gigantescos, nem arriscou todas as suas fichas de bobeira, você não será eliminado facilmente. Mas também não ficará tão grande quanto alguns outros jogadores.
Para essa estratégia, só jogue mãos fortes (par alto – TT, JJ, QQ, KK, AA ou AKo, AKs, AQs) ou mãos médias em potes baratos e com boa posição (AJ, AT, AXs, qualquer par menor ou suited connectors). Se não bater suas cartas no flop, aceite e não insista. Espere uma melhor oportunidade. Se bater seu par, por mais que tenha um kicker alto, não aumente muito. Ganhe e perca potes pequenos. Só arrisque seu stack com trincas, fulls, seqüências e flushes já formados. Não pague muito caro por drawing hands. Como mãos fortes assim são raras, você tende a ficar com um stack pequeno perto daqueles que estão “enfiando a marimba e arriscando suas fichas a todo momento. Não se importe, siga sua estratégia. Jogando assim, dificilmente você cairá antes de sobrarem 20% a 25% dos jogadores. Isso lhe dará enormes chances de ficar ITM. Mas, como já disse, a tendência é que você seja um dos menores entre os jogadores restantes.
É obvio que, mesmo jogando assim, você pode cair logo no começo, mas será numa mão de exceção, onde você está com seqüência fechada e um outro jogador que está trincado vai all-in. Você paga imediatamente – estando na frente – e uma carta dobra na mesa e “bye bye; full para seu adversário e você vai dormir mais cedo. Da mesma forma você também pode ficar grande, mesmo jogando fechado (tight). Imagine este mesmo exemplo acima, só que nenhuma carta dobra na mesa e você elimina seu adversário e dobra suas fichas. Mas o que pretendo dizer é sobre tendências. Na maioria das vezes você tende a estar vivo, mas tende a estar sempre abaixo da média (average do torneio) e bem abaixo dos líderes.

Para finalizar, essa estratégia exigirá, após ter entrado na faixa de dinheiro, que você seja muito agressivo. Os líderes estarão muito distantes e você terá que recuperar terreno. Você também terá que ter mais sorte que o habitual, pois os jogadores que têm muitas fichas poderão se dar ao luxo de perder alguns potes grandes sem ser eliminados. Já para você, como está menor que os demais, enfrentando blinds bastante altos, qualquer pote perdido será a eliminação.

Pontos positivos dessa estratégia (1):

– Será respeitado como jogador sólido (jogadores loose, mesmo que geniais, demoram mais para serem reconhecidos como bons).
– Na hora em que os blinds subirem, seus raises tendem a ser mais respeitados.
– Terá um índice de ITM espetacular.
Pontos negativos dessa estratégia (1):

– Muitas pessoas dirão que você não sabe jogar, simplesmente é paciente e disciplinado (perceba que existem tanto fãs quanto pessoas que não apreciam o estilo de cada jogador).
– Na hora em que os blinds subirem, só terá um tiro na agulha. Se perder, é eliminado. E mesmo se dobrar, ainda não significa muito. Tem que dobrar e dobrar de novo, no mínimo.
– Terá um índice de ITM espetacular, mas poucas vezes irá buscar a grana alta mesmo – os maiores prêmios encontram-se nas três primeiras colocações.
Já na segunda estratégia você será um dos primeiros a cair ou então ficará bem acima da média dos demais jogadores. “O spada, o sporta. O denti, o ganasa. O merda, o bareta rosa” como diziam os italianos. Para nós: “Ou tudo, ou nada. Ou vai, ou racha”.
Exemplos:
– No primeiro flush draw ou straight draw que aparecer, enfie um caminhão de fichas.
– Recebeu AK e um cara já deu raise na mão – re-raise pesado no adversário e vá para o pau.
– Arrisque metade do seu stack, se for preciso, em um blefe com pote gigante.
– Dê calls duvidosos.
– Bateu seu top pair, enfie ficha sem dó.
Isso irrita os demais jogadores da mesa. Eles sabem que não é possível que você tenha a melhor mão todas as vezes, então eles se irritam e ficam loucos para lhe pegar roubando. Querem ser a polícia da mesa! Pensam: “Ele está roubando e eu não vou deixar. Vou pegar ele na próxima. Eu vou pegar esse ladrão. Isso é tudo o que você quer quando usa uma estratégia como esta; pegar um cara que não aceita e se irrita com esse estilo. Ele ficará propenso a não largar um par dele contra você por nada, pois sabe que a chance de você estar roubando é grande. E é mesmo!!! Então o que vai acontecer é que:
(a) Se você estiver roubando ele vai te pagar com o segundo par da mesa e te eliminar. Ele ainda vai escrever no chat ou falar alguma gracinha, do tipo: “como você joga mal, “você é louco”, ou “falei que iria te pegar”. Simplesmente saia da mesa sabendo que você somente seguiu conscientemente uma estratégia previamente preparada. O que A, B ou C pensam não interessa. Sua lucratividade, essa sim interessa.
(b) Se você estiver “trepado em cima da goiabeira” (trincado, com flush, com straight), ele irá te pagar com uma mão fraca e você eliminará esse adversário, dobrará seu stack e ainda se colocará numa posição muito confortável para jogar o resto do torneio. A partir daí você pode adotar esse estilo até que você chegue a três vezes o seu stack inicial. Uma vez atingido esse objetivo, você passa a jogar confortavelmente, aproveitando-se do desespero dos jogadores com poucas fichas e pressionando aqueles de stacks médios – que terão medo de te enfrentar, pois te acham louco e sabem que você pode apostar tudo a qualquer momento. E eles não estão a fim de te enfrentar, a menos que estejam com muito jogo. Isso facilita para você roubar muitos potes dali para a frente daqueles de stack médio. Você não está mais propenso a fazer loucuras, mas os demais jogadores ainda não sabem disso. Sua estratégia mudou, mas seus adversários podem continuar a pagar você com mãos marginais e você continuar subindo e subindo.
Uma vez que você triplicou, tem agora uma vantagem competitiva considerável, que faz com que você:
– 1/4 das vezes caia do torneio, mesmo estando grande, numa mão catastrófica (perto do ITM ou nas primeiras faixas de grana – dinheiro menor).
– 1/4 das vezes fique nas faixas intermediárias de dinheiro.
– 1/4 das vezes mantenha-se grande quase até o final e pegue um prêmio razoável (mesa semifinal ou equivalente).
– 1/4 das vezes vá buscar uma das primeiras colocações – dinheiro grande de verdade.
Pontos positivos dessa estratégia (2):

– Na hora em que os blinds subirem, você terá muita gordura para queimar e fichas o bastante para pressionar inteligentemente os demais jogadores.
– Poderá se dar ao luxo de, eventualmente na reta final, perder um ou dois coinflips sem ser eliminado. Sua vantagem competitiva será anulada caso isso aconteça, mas você ainda estará vivo no torneio.
– Terá um índice de ITM baixo, mas terá um índice de lucratividade enorme (ROI).
Pontos negativos dessa estratégia (2):

– Muitos te acharão um louco sortudo (metedor de ficha irracional). Eles não sabem que isso é pensado e premeditado. Só te reconhecerão como bom jogador depois que seus resultados se tornarem tão grandes e irrefutáveis que perderão o argumento.
– Se você tentar roubar os blinds, poucos acreditarão em você e o índice de re-raises tende a ser maior que o normal. Esteja preparado para isso.
– Tem que ter muito equilíbrio para adotar essa estratégia, pois muitos acharão que tem um louco por trás dessas atitudes. Mas é necessário exatamente o contrário; é preciso muita concentração para não se confundir no meio do que está fazendo. Se você se confundir, você deixa de parecer um doido e passa a ser um.
Alterne estas estratégias e veja qual delas se adapta mais ao seu estilo pessoal de jogo. Eu me preparei bastante e hoje consigo alternar ambas com muita freqüência, o que dificulta muito para os adversários me lerem. Eles nunca saberão exatamente como te enfrentar, em que estilo ou anotação te incluir. É o que chamam, em inglês, de changing gears (mudando marchas). Para ter uma idéia, nos dois Sunday Million e no WSOP em que joguei, usei a estratégia 1. Já nos dois Second Chance e no 400K Garantido, usei a estratégia 2.

7 dicas para você elevar o nível do seu jogo

janeiro 7, 2011
Originalmente postado em papodehomem.com.br
Retirado do Blog Quero Ser Shark

Seja você um iniciante ou um jogador mais experiente, as seguintes dicas oferecem alguns caminhos paravocê aprimorar seu jogo.

1. Seja agressivo

Agressividade é o que há. Não conheço um grande vencedor que não seja agressivo.

Existe uma lógica por traz disso: no Texas Hold’em você conseguirá um par ou algo melhor no flop (quando não iniciar com um par na mão) apenas em 1/3 das vezes. Logo, em 2/3 das vezes não teremos nenhum jogo pronto. A mesma regra se aplica ao seu oponente.

Como na maioria das vezes seu oponente não vai ter uma mão sólida, sendo agressivo você poderá ganhar um pote que muitas vezes não merece. No entanto, não seja agressivo de forma irracional: siga uma lógica e pense muito bem no que está fazendo para não ser agressivo nos momentos incorretos.

2. Deixe suas emoções de lado

Se você se deixar levar pelas suas emoções durante o jogo, isso poderá lhe custar muito caro. Poker é um jogo que envolve psicologia, matemática e lógica. Quando um jogador está emocionalmente frustrado na mesa, ele deixa de lado os três pilares do poker. Isso se chama Tilt.

Seu objetivo enquanto jogador deve ser nunca tiltar. Para isso, você tem que se conscientizar de que não importa se você perdeu uma mão em que era favorito, ou se seu péssimo oponente continua ganhando mãos em que ele não merecia ganhar. O que importa é jogar corretamente. Com estabilidade emocional, uma hora o resultado vai surgir.

Contudo, nós não somos robôs: em algum momento a nossa emoção prevalecerá. Quando isso ocorrer, saia da mesa, principalmente se for uma mesa de cash game, na qual cada ficha possui valor monetário. É melhor não jogar do que jogar mal, uma vez que no poker jogar mal significa perder dinheiro a longo prazo.

3. Seja humilde

Saiba que você não é o melhor jogador do mundo.

Provavelmente você não é sequer o melhor jogador da mesa. Tenha consciência disso e você terá um motivo para tentar evoluir. Lembre-se que os piores jogadores acham que são bons e podem ganhar, caso contrário não jogariam.

4. Controle sua banca

Certifique-se de que você possui uma banca grande o suficiente pra suportar as oscilações do poker. Afinal, estamos falando de um jogo com informações incompletas, em que raramente uma mão não possui qualquer chance de ganhar. Assim sendo, você pode jogar corretamente e ainda assim perder. É aqui que entra a já mencionada oscilação.

Pra entender melhor esse termo, tente imaginar uma situação em que estamos jogando cara ou coroa. Toda vez que sair cara, você ganha R$ 1,20. Toda vez que sair coroa você perde R$1,00.

Obviamente é lucrativo pra você participar desse jogo de cara ou coroa. Contudo, se você começar com R$5, a chance de você quebrar (ou chance de ruína) é alta. Agora imagine que você tenha R$100. Dessa vez a chance de ruína é baixa, mas ainda existente. Agora imagine que você tenha R$1.000.000. A chance de ruína aqui é virtualmente inexistente.

Controle de banca é possuir um valor alto o suficiente para que seu risco de ruína seja quase inexistente.

Uma forma conservadora de controle de banca é jogar com no mínimo 50 vezes o valor que você paga pra entrar no torneio ou mesa de cash game. Por exemplo, para jogar um torneio de $11, você tem que ter pelo menos $550 no caixa. Ou, para sentar em uma mesa de cash game em que a entrada máxima é de $50, você tem de possuir pelo menos $2500.

daniel-negreanu

Case você não seja o Daniel Negreanu, comece a jogar nos limites que sua banca e habilidade aguentam

Outro exemplo: você tinha $550 no caixa e estava jogando torneios de $11, mas perdeu vários, de tal maneira que sua banca caiu para $300. Nesse caso, você deve começar a jogar torneios de $6, respeitando a regra de 50 vezes o valor do torneio.

Apenas pra finalizar esse ponto, tenha em mente que o controle de banca parte do pressuposto de que você é um vencedor nos limites que joga. Se isso não for verdade, sua tendência é quebrar.

5. Pense sob diferentes perspectivas

Um erro comum é achar que seu oponente pensa da mesma maneira que você. Tenha em mente que cada um pensa de uma maneira, gerando interpretações distintas para situações idênticas.

Com isso em mente, seu objetivo na mesa é desvendar o raciocínio do seu oponente, entender como ele pensa e usar essa informação contra ele sempre que for apostar. Se conseguir isso, é uma questão de tempo para o dinheiro sair do bolso dele em direção ao seu.

6. Não jogue como você vê na TV

Atualmente existem diversos programas de poker na televisão. Eu adoro assisti-los, mas é essencial ter em mente que não se deve jogar diversas mãos que mostram ali.

Não é que os jogadores que estão ali são ruins, mas temos que nos lembrar que na TV existem edições. Os produtores selecionam apenas mãos em que houve ação para mostrar ao público. Isso significa que se um jogador ficar uma hora sem jogar nenhuma mão e subitamente resolver jogar uma mão fraca por causa da sua imagem de jogador fechado, o público pode interpretar que ele sempre joga aquela mão fraca, pois não está ciente do contexto da mesa que fez o jogador decidir jogá-la.

Nos filmes, por outro lado, a tendência é mostrar que os jogadores fazem os melhores jogos possíveis com grande frequência. Isso está longe de acontecer. Se você só for jogar quando tiver mãos incrivelmente fortes, você provavelmente vai perder todo seu dinheiro antes de ter a chance de pegar uma mão dessas.

7. Estude o jogo

Pra se tornar um grande jogador é necessário suar muito. O número de jogadores que não se dedicam e alcançam o sucesso é incrivelmente menor do que você deve imaginar. Por isso sempre busque novas fontes de informação, sempre discuta mãos e nunca feche sua cabeça para novas ideias e teorias.

A seguir, listei alguns livros de poker que são interessantes na minha opinião. Em geral, livros apresentam alguns conceitos importantes, mas também apresentam teorias falhas ou ultrapassadas. Leia os livros e procure absorver somente o que lhe parecer interessante.

Super System

Super System II

The Theory of Poker

Harrington on Hold’em (todos os 3 volumes)

Harrington on Cash Games (dois volumes)

Professional No-Limit Hold’em I

Elements of Poker (meu favorito)

Apesar de citar livros nesse post, quero deixar claro que os mesmos não são essenciais pra sua evolução, mas são uma boa fonte de teoria. Se você não pode ou não quer ler esses livros, procure fontes alternativas.

Existem fóruns de poker online com excelentes discussões. O maior do mundo é o TwoPlusTwo e o maior do Brasil é o MaisEV. Existem também excelentes blogs de estratégia.


Reciprocidade: A Causa do Lucro no Poker 2/3

janeiro 4, 2011

A segunda parte desse trecho do livro “Elements of Poker” tratará dos principais pontos a serem observados e estudados no poker liver (“poker de mesa”). Para conferir a primeira parte deste excelente artigo, clique nesse link.

“Meu segredo é guardar segredos.”

Eu jogo poker baseado na necessidade de saber. Eu preciso saber o que meus oponentes estão pensando. Eu preciso saber o que eles estão sentindo. E eu preciso saber com que cartas estão jogando. Enquanto isso, eu preciso que eles saibam o menos possível sobre mim. Eu chamo isso de guerra de informação.

A guerra de informação é lutada em duas frentes – enviar e receber. Para vencê-la, mande menos informação do que eles transmitem, enquanto recebe mais informação do que eles recebem. Ao controlar essas diferenças, você controla o fluxo de informação. É aí que deve procurar por ouro recíproco.

phil ivey wsop poker artigos online

Na internet, a guerra de informação é lutada em um vasto território feito de softwares de estatísticas, tells de tempo, chat, fóruns e mais. O poker fora da internet ocorre em uma mesa, então eu chamo de poker de mesa (table poker). O poker de mesa sempre vem com visões, sons, cheiros e tells e é como uma orgia eterna de troca de informação. O resto deste artigo será sobre reciprocidade de informação no poker de mesa.

Músculos

Pense no corpo humano como um dispositivo de comunicação que usa músculos para divulgar informação. Não é sempre óbvio quem está no comando do controle dos músculos. Às vezes nós estamos, e às vezes eles estão. Quanto controle você mantém sobre seus músculos, mais controle você tem sobre a reciprocidade de informação.

Face

Humanos tem duas vezes mais músculos faciais do que qualquer outro animal. A explicação favorita é que em algum ponto no passado, aumentos na musculatura facial fizeram nossos ancestrais melhores que seus vizinhos na comunicação silenciosa. Os melhores comunicadores tinham uma vantagem na sobrevivência, e em fazer sexo, e isso é um jackpot genético. Então em algum momento um gene deu à mãe natureza uma escolha, e mais músculos na face foram naturalmente selecionados.

Agora, muitas gerações e mutações depois, nós temos estes 40 músculos na nossa face, todos designados para enviar sinais silenciosos, e não podemos desplugá-los. Tudo o que podemos fazer é tentar convencê-los a ficarem quietos quando precisarmos, pelo bem do time. Durante uma mão de poker, o cérebro pode dizer “Caramba!” e então, quando a face estiver prestes a dizer a mesma coisa, o cérebro irá sussurrar com urgência “Espere! Shhh! Não mova um músculo!”

E quando isso acontece, nós vemos a poker face. A poker face é uma reação instintiva à situações em que o cérebro diz ao corpo para parar de enviar informação. Ouro recíproco vai para quem for melhor em agir instintivamente de propósito.

Mãos

Para o jogo ser jogado, fichas e cartas devem se mover, e mãos humanas devem movê-las. E onde há movimento, há informação. Às vezes uma pequena mexida na mão me dirá algo. Às vezes será a maneira com que mexem as fichas, outras a maneira com que mexem as cartas, outras vezes será a maneira com que dão check, e às vezes não será quase nada, mas sempre haverá algo.

Mas o movimento com as mãos que mais me passa informação, de longe, é quando um oponente mostra as cartas quando não deveria.

Boca

Aqui nós temos uma coleção de músculos e partes que enviam informação não somente usando expressões, mas também sons. E não somente qualquer som velho. Palavras. Sentenças. Informação de alto nível. Isso é uma ótimo notícia para o minerador de reciprocidade já que não há regras que exigem que os músculos da boca se movam enquanto joga poker. Você tem o direito de permanecer calado.

Meus professores

Eu não posso te dizer que mais quieto é universalmente mais lucrativo do que mais barulhento. Eu não posso dizer que a inércia vence o movimento. Eu não posso te dizer menos é sempre mais. Mas eu posso te contar uma história.

Eu costumava embaralhar fichas até minhas mãos doerem. Minhas pernas pulsavam tanto que tinham padrões previsíveis como um carro porcamente alinhado. Eu havia me enfiado em um cassino por meses ou anos de uma vez e falava tanto na mesa que eu era um comitê de boas vindas, capitão da mesa e tradutor de garçonete ao mesmo tempo. E com todo esse movimento e toda essa fala, eu ainda conseguia pagar mina comida e meu aluguel com os ganhos do poker porque eu ainda estava muito a frente dos meus oponentes na guerra de informação, por causa do que eu não fazia, e do que não dizia, e quando.

Eu não mostrava mãos. Eu não falava sobre mãos. Eu escondia alegria e desapontamento. Quando se trata de informação, eu era um livro aberto sobre tudo, exceto poker. Eu aprendi a jogar dessa forma porque sempre que eu ia para Vegas, no começo, eu encontrava dois tipos de jogadores: os que eu tinha medo e os que eu não tinha. Naturalmente eu prestava mais atenção nos jogadores que eu tinha mais medo. A coisa mais interessante que todos eles tinham em comum era aquela incrível maneira de olhar como se não dessem a mínima. E isso me deixava morrendo de medo. Então eu copiei eles e aprendi suas habilidades. E quanto mais eu fazia o que eles faziam, mais eu percebia que o que eu aprendi com os meus professores foi como jogar o que eu chamo de “sexta street.”

Sexta Street

A sexta street começa quando as apostas param. A sexta street é quando os jogadores relaxam, que é o que pagam para não fazer. Reciprocidade.

A sexta street é quando estátuas se tornam fontes. Enquanto jogam o turn e o river, os jogadores estão estóicos, fazendo o melhor para dar a menor quantidade de informação possível. E então, tão logo as apostas parem, suas partes começam a se mover, distribuindo informação sobre seus pensamentos, seus sentimentos e suas cartas. A sexta street é quando os jogadores abaixam a guarda, como se de repente fosse seguro revelar segredos confidenciais para o inimigo. É como se ele nem soubessem que a guerra ainda continua.

No rio da informação, a sexta street é uma fonte confiável para procurar por ouro.

Mum Poker

Uma corrida armamentista militar resulta em bombas maiores e bunkers mais grossos. Uma corrida armamentista zoológica resulta em caças com camuflagem esquisita e predadores que podem vê-los de qualquer maneira. A guerra da informação no poker é uma corrida armamentista, e se alguém quiser levá-la para seu natural extremo – e eu levei – eu jogaria um estilo de poker que chamo de “mum poker” – e eu jogo.

Por fora, mum poker é a tradicional poker face, estendida por todo o corpo e mantida até a sexta street. Por dentro mum poker é não reclamar, não culpar, não arrepender. Mum poker é inércia. Mum poker é prontidão. Se você quer ir até o fim com isso, você pode pensar em mum poker como sendo o zero absoluto, a cessação do movimento. É conhecido em teoria, e para sempre aproximável, e ainda assim inatingível.

Ou você pode pensar em mum poker como sente e cale a boca.

Hoje, quando eu jogo poker puramente por lucro, eu jogo mum poker. Eu uso um boné de baseball, sem óculos de sol, e sem rótulos. Eu raramente faço contato visual. Eu não falo a menos que falem comigo, e mesmo assim, eu não reajo a questões ou comentários sobre poker. Eu descobri que quanto menos informação eu enviar, mais eu foco no jogo. E quando estou focado no jogo, eu envio menos informação. Quando eu emprego o mum poker, eu luto por ouro recíproco em ambas as frentes da guerra de informação simultaneamente.


Etiqueta no poker live (e também no online)

janeiro 3, 2011
Escrito por RaSZi – pt.PokerNews

Quando terminamos uma refeição num restaurante, colocamos os talheres do lado direito no fundo do prato. Isto é um exemplo de etiqueta, e como tudo na vida, também existe etiqueta no poker.

Muitos jogadores, nomeadamente os que jogam por divertimento, não sabem que existem algumas ‘regras’ de etiqueta no poker. Não se pode realmente atribuir-lhes culpas e destes jogadores apenas temos de aceitar, como recompensa da acção que eles trazem. De profissionais apenas se pode esperar que todos se tratem com respeito nas mesas. Isto é mais uma excepção do que uma regra. Muitas vezes as pessoas não se apercebem que certas acções nas mesas são muito desrespeitosas. Vou começar com a pior das formas.

etiqueta mesa poker artigos poquer live online

NÃO use o celular enquanto estiver na mesa!

Slowroll

Slowrolling significa que é o último a agir na mão e espera algum tempo para fazer o call quando não há mão nenhuma que lhe possa ganhar, ou seja, tem nuts. Alguém vai all in e outro tem AK na seguinte board T-J-5-8-Q, seca. Não há forma de perder a mão nem de conseguir mais dinheiro no pote, mas continua a perder tempo antes de fazer o call, embora não haja forma de perder a mão. Isto é muito baixo. Porque está a dar a ideia ao seu adversário que ele pode ganhar a mão. Mas para quê fazer isto? Não pode perder a mão, e não ganha nada em perder tempo. Há quem diga que faz parte do jogo psicológico, mas é uma das piores coisas que se pode fazer. Não altera nada e perde todo o respeito dos jogadores da mesa.

Outra forma de slowroll é esperar antes de mostrar a mão num showdown. Imagine que faz call a outro jogador no river com AJ numa board A-J-6 -5-T, seco, e o adversário mostra A9 . A carta no river foi perigosa e apenas fez call á aposta do adversário, por isso ele tem de mostrar a mão primeiro. O que vejo frequentemente é o jogador com AJ a bater com a mão na mesa, a olhar novamente as cartas e a abanar a cabeça. Neste momento está a dar a entender ao seu adversário que tem a melhor mão. Algumas vezes fazem de conta que vão fazer muck das cartas e depois viram-nas no último momento. Imediatamente perco o respeito por um jogador destes e atiro as minhas fichas na sua direcção.

Celebrações

Celebrar a mão vencedora deve ser feita com moderação. Ponha-se no lugar do adversário e imagine o sentimento de ter perdido a mão. Se perde uma mão e o adversário começa aos saltos a gritar “YEAH!” e a comemorar com os amigos, isso vai deixá-lo irritado. Não me interprete mal, não há nada de errado em ficar satisfeito por ganhar a mão. Ganhar uma mão importante num torneio e dobrar as fichas é motivo para celebrar. Mas há formas e formas de o fazer, simplesmente diga “boa” ou feche o pulso em sinal de contentamento.

Se os seus Ases aguentaram numa mão importante ou num grande pote, é normal sentir uma sensação de libertação de stress, mas ninguém quer ver um tipo em cima da cadeira a gritar de alegria. Mais ninguém na sala quer saber se ganhou uma mão. Manter as celebrações modestas é ainda mais importante se acabou de ganhar com a pior mão. Se ganhar [Kc} contra depois de all in preflop, não se ponha aos gritos a dizer que é o melhor. Eu próprio não quereria chamar á atenção depois de ter colocado as minhas fichas no pote com a pior mão e depois ter tido apenas sorte. Mais uma vez, em consideração ao adversário, mantenha-se calmo. Dizer “desculpa” também não ajuda, porque sabe tão bem como ele, que não está arrependido de ter ganho a mão. O melhor a fazer é cumprimentar o adversário e dizer “Tive muita sorte”. Algo que não deve fazer, é começar a falar com o adversário. “O que querias que eu fizesse, eu tinha KK.” Desculpas de alguém que apenas teve sorte, que não tinha outra opção, são extremamente irritantes. Isto traz-nos outra forma de más maneiras á mesa… de poker.

Discursos

Comentários no final de uma mão também devem ser evitados. Algo que está muito em voga no presente, mas que é extremamente rude é um jogador dizer “Ship it” depois de ganhar uma mão. Se está a jogar online e diz isso para si, então não está a ofender ninguém. Mas quando está num casino, dizer coisas como “ship it” ou “manda a massa” depois de ganhar um grande pote é extremamente rude. Como se o adversário não estivesse a tentar o melhor para ganhar o pote.

Como já disse anteriormente, vir com desculpas pode ser muito irritante. Se teve sorte num pote onde entrou com a pior mão, mantenha-se calado e fique contente por ter ganho a mão. “Que querias que fizesse, eu tinha um As?” ou “E depois, também já tiveste sorte” são exemplo de situações onde a resposta é “Porque no te callas!”. Respeite o adversário e fique contente por ter ganho o pote. Outra importante forma de etiqueta é não comentar numa mão onde não está envolvido. Não dê dicas sobre o que foldou, ou que acha que os outros jogadores têm. Cada um tem de jogar as mãos por si, e os jogadores no pote são os únicos que devem falar sobre o pote. Não diga coisas como, “Wow, tinhas um trio ou algo parecido?” depois de um jogador ter feito raise. Na realidade, não lhe diz respeito, por isso espere até ao showdown se quiser comentar a mão. Mesmo que esteja envolvido numa mão, mas contra mais que um adversário, é bastante rude começar a falar e a fazer perguntas a um deles. Se quiser ser respeitado numa mesa de poker, tem de demonstrar o mesmo respeito pelos outros jogadores. Fazer slowroll a outros jogadores, e tratá-los mal, vai definitivamente afectar na forma como os outros o vão tratar a si. Se alguém me fizer um slowroll, pode ter a certeza que no próximo showdown vou virar o meu nuts com um grande sorriso nos lábios e vou ficar a contemplá-lo como forma de provocação. Esta pessoa não merece ser respeitada, e vou mostrar-lhe que o comportamento dele é irritante e de baixo nível. Por isso certifique-se que joga com respeito aos seus adversários e tente pôr-se na posição deles em algumas situações. Se perder uma mão com apenas 2 outs a última coisa que quer ver é um tipo a dançar em cima da cadeira e rir-se de si. Por isso, também não o faça.