Low Limits Manual – jogando o flop – pt. IV

Nessa quarta parte da série iremos analisar prováveis moves em spots do pós-flop como a continuation bet, o check-raise e o float. Nos links abaixo você pode encontrar as primeiras três partes do Manual de Low Limits que tratam especificamente do jogo pré-flop.

Pt. I; Pt. II; Pt. III;

valete dama espadas poker

Flop Play

Cbetting

Continuation betting é um dos elementos mais importantes de sua estratégia. Permite você vencer muitos small pots e faz com que você seja difícil de se jogar contra quando executado corretamente.

Vamos focar em situações para cbet lucrativas:

1. O primeiro cenário é o mais facil de entender e executar. Qualquer oponente com um fold to cbet alto (70% ou maior), você pode cbetar basicamente seu range inteiro lucrativamente. Quando cbetar, você quer ter alguma esperanca para sua mão, por exemplo, cbet 98s em 552 é geralmente algo que você quer evitar, a não ser contra esse tipo de jogadores. Há 3 situações onde eu não cbeto contra esses jogadores:

A. Eles estão shorties e minha mão tem muito pouco potencial, o que me preocupa. Por exemplo 98s em 552 ou 22 em T98.

B. Eu tenho uma note que diz que quando eu não cbeto ele blefa como louco, nestes spots, eu irei checkar muitas mãos fortes como 99 em 922 flop ou algo desta natureza. (FWIW, nunca checke 99 em algo como 974cc ou qualquer coisa com essa textura, até mesmo se eles blefam como loucos quando você checka o flop). Outra situação que eu checkaria seria algo como AK ou AA em K52, K22, K94  (rainbow). Bete todos os flops com FD.

C. Eu tenho QQ em K52r (ou qualquer segundo par onde você está em uma situação WA (way ahead/WB (way behind), que com o check você pode extrair valor de 77 (neste board) em outras streets. Outra situação WA/WB inclui TT em Q77, ou A2 em AK6.

2. Agora vamos focar em jogadores loose/ruins que estando dando call em muitas cbets. Vamos assumir que eles foldam para 50% das cbets ou menos. Contra esses jogadores você deve ser mais cauteloso e desistir mais facilmente da mão, antes de eu continuar eu quero acrescentar e mencionar que:

Você geralmente quer cbetar todo A high ou K high board, como jogadores verão seu range para o lado destes tipos de mão (e coincidentemente eles não terão esses tipos de mãos muito frequentemente) e darão pra você uma quantia extraordinária de crédito. Mesmo contra 2 oponentes, eu cbetaria uma grande % de A e K high boards (dependendo do tamanho dos stacks e notes), contudo, qualquer coisa mais que 2 eu não me animaria muito, mas isso não significa que eu checko quando eu acerto.

Isto é algo contrário ao que eu venho descrevendo de como se jogar contra esses tipos de jogadores (jogar o ABC), mas, ocasionalmente, você esta perdendo valor em não double barrel ou triple barrel esses tipos de jogadores. Em maior parte, eu não me colocarei em situações difíceis de triple barrel. Então, por exemplo, vamos dizer que nós demos raise em EP e cbetamos um AQ4 (2 flush ou rainbow) e recebemos um insta-call de um jogadores jogando algo entre 30-45% das mãos e que folda para muito poucas cbets. Um dos meus indicadores favoritos para um bom double/triple barrel é o INSTA/SNAP call no flop. Esta nunca será uma mão grande (muito raramente) porque se ele realmente tem AQ ou 44, ele tem que, pelo menos, pensar um pouco sobre sua ação: se ele vai dar raise ou smooth call. Quando INSTA calling (o que você deve tentar evitar) ele está basicamente te dizendo “Meu range aqui é algo do A7 ou um draw”. Dependendo de reads de que esse jogador nunca irá foldar TP (o que é incomum nos jogos que você irá jogar, maior parte do tempo estes jogadores loose/ruins não serão stackados com uma mão marginal neste tipo de situação particular) você será capaz de double/triple barrel lucrativamente. Nesta situação eu adoraria ter um gutshot ou FD (contra esses jogadores eu colocarei muita pressão com FDs) pois você tem alguma equity. De qualquer maneira, a chave aqui é manter a pressão, se eles irão dar snap call na sua cbet e maior parte do tempo tem um range que não é tão forte (neste exemplo as mãos fortes que ele pode ter são AQ, 44 e A4, contudo o range de call dele é MTO mais amplo). Coloque pressão. Não fique surpreso se ele pensar um pouco para dar call no turn, se ele for um jogador ruim eles raramente estará tentando disfarcar um monstro induzindo um triple barrel, será ele genuinamente tentando descobrir se da call ou fold, se este é o caso eu provavelmente atiro um river barrel.

Também, se você tiver a oportunidade de betar algo como $99 ou $199 no river ou algo assim, eu a sugiro, este tamanho de aposta irá aterrorizá-los.

De qualquer maneira, quando pensando sobre teoria/estratégia de aproximação contra esses tipos de jogadores que dão muito calls em cbets, a resposta simples é diminuir seu range (o que varia de acordo com tamanho dos stacks, não se esqueça) e simplesmente ch/f o flop. Há situações que eu não me importo em c/c ou uma vbet com AT+ ou algo assim, vamos dizer que o board seja T99, alguns jogadores loose dão call OOP, eu não me importo em cbet AJ aqui porque é raro ele ter uma mão melhor, e se ele tem algum underpair, a equidade dele é uma me*$@. Também digamos que eu estou BvB (blind versus blind) com AK em 332 (sou SB) contra um desses caras, eu provavelmente irei no c/c neste board, e dependo de reads, c/c ou c/f o turn (seu padrão deve ser fold até que ele prove que ele o coloca em AK nesses tipos de situações e tente te expulsar do pot).

3. Ok, então nós já falamos sobre weak-tight e loose-passives, e qual nossa tendência de cbet deve ser, agora vamos ir para a parte engraçada, TAGs. Estes geralmente serão seus oponentes mais dificeis (mesmo que eles sejam TAGs ruins). Estes são os tipos de oponente contra quem nós devemos mixar e atirar algumas bolas curvas de vez em quando. Contra esses caras, eu irei cbetar quase todo A high ou K high flop porque o range de call PF irá raramente ter TP, ao menos que eles deram flat call com AJ ou KQ ou algo assim. Mas, ao invés disso, o range deles pesara para small pairs e suited connector (FWIW um par tem a chance de 1 em 9 de flopar um set). Há perigo aqui, contra os thinking players somente cbetar não será suficiente.

Eu me lembro de ter jogado contra um jogador na FTP 200 que jogava algo em torno de 21/18 e era muito tricky/duro. Ele definitivamente amava  me perseguir e ir contra minhas cbets. De qualquer maneira, eu dei raise com 98s do SB e ele deu call do BB. O flop veio K-8-5-r. Eu cbet $8 (4BBs), ele deu raise para $32. Esta é uma linha muito suspeita para ele, se ele tivesse qualquer K não faria sentido porque nós não tinhamos history suficiente para eu entrar com qualquer mão pior que um K forte, então esta não é uma possibilidade. O flop foi rainbow, então ele não pode estar semi-bluffing qualquer coisa, fora um 76, a única mão que ele representa é 55 e muito menos frequentemente 88. De qualquer maneira, nesta situação meu oponente esta blefando porque o range dele contém poucas mãos feitas, então eu gostei do fato de eu ter 98 porque se ele tivesse 67 eu teria a melhor mão e um blocker, ou se ele tivesse algo estranho como KQ ou 77 eu tenho melhor mão (contudo este seja um pequeno fator na minha linha de pensamento). De qualquer maneira, eu desincorajei-me de dar call porque você esta em uma situação muito marginal OOP e você não tem a iniciativa da mão, o que faz sua mão ter menos valor intensivamente. Então a resposta simples aqui é, lucrativamente, ir para o 3b/fold nesta situação tendo essa informação (este é o yeti-theorem, que diz que uma 3bet num board seco é sempre um blefe, e nessas situações meio que é. Entretanto, nós pensamos que estamos blefando com a melhor mão). Eu 3betei para $76 e ele foldou rapidamente, entao nossa análise foi muito certamente correta como nós percorremos todo o range dele nessa situação (blefes). Você provavelmente não teraámuita history com TAGs (quando se trata de cbets), porque sua seleção de mesas (game selection) deve ser na maior parte do tempo para evitar estes caras (você não está tentando evitá-los, nós preferimos explorá-los. Mas nós queremos explorar todos que jogamos contra, e fish são simplesmente mais exploráveis e lucrativos).

OOP você geralmente quer betar todo seu range (mãos feitas, semiblefes, second pair e blefes). Eu lembro de, recentemente, estar assistindo uma mão com Krantz e Peachykeen, onde peachy deu raise UTG e Kranz deu call em MP. O flop veio K74r, peachy c/raised o flop e krantz shovou. Peachy tinha AK e Krantz tinha KQ. Aqui, há, claramente, muito mais que somente TP x TP, há toneladas de reads e history, mas nada disso faz sentido ou é standard. Você nunca se encontrará em uma situação em algum lugar abaixo de $1000 onde isto é remotamente necessário. Contra esses caras você quer ser mais cuidado ao cbetar marginalmente (vamos olhar para o fold to cbet, se for baixo, desistiremos mais e se for alto, iremos pra cima, simples assim). Também mantenha notes sólidas de como eles reagem a cbets, então você pode se ajustar de acordo. Em posição, se torna mais interessante, IP eu mixo muito e dou muito check behind em muitos flops, particularmente quando estou com mãos marginais (isto se chama polarizar seu range, que para propósito de MSNL e stakes mais baixos é OK, mas fundamentalmente contra oponentes dificeis é ruim, porque é explorável se eles perceberem o que você está fazendo. Na maior parte do tempo seus oponentes aqui não irão notar). O que eu quero dizer quando eu digo polarizar meu range é: vamos dizer que eu dou raise A2cc no BTN e o BB (TAG) faz call. O flop é AK5r e ele dá check, essa é uma grande situação para dar check behind. É muito incomum que ele dê call com alguma mão pior que a sua, e nós iremos ocasionalmente tomar c/r e foldar a melhor mão e perder valor de algo como KQ ou 88 (se é suited eu ocasionalmente checko behind, mas menos frequentemente). De qualquer maneira, esta é uma boa situação para checkar behind e atirar no turn, talvez. Se o turn é algo como um K ou 5 eu provavelmente irei checkar denovo porque nada deste board mudou e ainda assim será dificil de extrair, eu provavelmente irei vbetar somente o river. Provavelmente jogaria QQ da mesma maneira, ou eu posso so dar check down, dependendo do que meu oponente faz, ou não tem a capacidade de dar call com mãos piores. Fwiw se algo como K ou A aparece no turn ou river você deve ser mais inclinado em betar porque é improvável que ele checke trips e é muito comum que você não terá trips também, então ele deve dar um call marginal. Contra um oponente dificil você será ocasionalmente c/raised no river com um range de trips/blefes, mas isto é muito incomum dentre quaisquer tipos de jogadores nesses níveis.

Check-Raising

Agora vamos focar no flop check-raise. Na maior parte, você já vai ter cultivado uma imagem agressiva com os 3bets contra seus oponentes, agora vamos supor que você desacelere e dê coldcall PF. Maioria das vezes, quando você da c/r significara que você tem defendido seus blinds. Vamos olhar algumas situações de c/r: (Para essas situações vamos assumir que você esteja contra um opener TAG LP que joga algo como 23/18 ou 20/15.

1. Vamos dizer que demos flatcall com algo como 33 contra o open do CO, o flop vem T53r. Este não é um bom flop para c/r ao menos que você se encontre em uma das duas situações:

A. Você tem uma razão para acreditar que o vilão é ruim e spewy e sempre coloca MUITO dinheiro em um TP ou overpair, especialmente se você joga sua mão fast.

B. Você tem uma historia de c/r’s em boards secos contra um oponente decente/bom, e ele tem motivos para acreditar que você esteja o fazendo com air frequentemente. Então nós damos c/r com um monstro para balancear nosso range.

Ambas as situações requerem que nos tenhamos algum note ou read de nosso oponente. Então vamos supor que nos estamos vagamente familiarizados de como ele joga, e nós temos os seus stats. Você deve evitar dar c/r nesses spots com mãos fortes porque nós polarizamos nosso range entre air/sets e será muito difícil de sermos pagos. Desde que nós provavelmente dermos peel (check/call) com uma mão entre AT ou 88 (dependendo de history, enãao, enquanto nós vamos construindo essa history, você pode dar c/r com algo como TP neste board por value) nós queremos simplesmente c/c nosso range inteiro (exceto, claro, blefes. É, provavelmente, uma boa ideia atirar um c/r com algo como QJss neste board porque você tem backdoor straight draws, potencialmente backdoor flush draw e duas overcard, é uma boa ideia perseguir seus oponentes sem history nesses spots porque eles terão que ser muito spewy para continuar com o range de cbet deles, e na pior das hipóteses, você constrói uma imagem que você gosta de dar c/r com air, que nós podemos explorar dando c/r com mãos grandes). De qualquer forma, o ponto aqui é: quando você flopa um monstro em um board seco, comece dando c/c e depois construa o pot.

2. Isto foi mencionado no primeiro exemplo, mas agora vamos dizer que nós temos QJss ou 76ss em um T53r (um espadas). Levemos em conta o mesmo tipo de vilão, esse é um grande spot para dar c/r porque nós temos backdoor draw e um gutshot, e, também, porque nosso oponente dificilmente se encontrará com mãos fortes o suficiente para continuar nesse flop. Esteja sempre inclinado a fazer esses tipos de c/r bluffs contra oponentes que cbetam muito, realmente algo maior que 70% você pode, com certeza, fazer isso muito frequentemente. Conforme a % de cbets dele diminui, ao mesmo tempo diminui sua frequência de c/r. History também joga aqui, se ele desistir da primeira vez, faça denovo. Teste-o e faça ele se ajustar, senão, continue. Se ele viu você fazendo e é inclinado em não te dar crédito, então “change gears” e somente dê c/f e deixe-o ganhar o pot. Você tambem deve ver um aumento do sucesso dessas jogadas em multiway pots. Então vamos dizer, por exemplo,  que você tem perseguido muito um jogador PF e decide não squeezar, então você dá overcall com algo como A5s. O flop vem 732r, você dá check, o PFR beta, alguém que deu call PF vem junto, você deve dar c/r nesse spot, você tem outs para backdoor flush, overcard e gutshot. Sem mencionar a tonelada de FE, que parecera que você tem que ter um monstro para dar esse tipo de c/r contra 2 oponentes. O risco que você corre é que o overcaller pode ter um set neste board, contudo, isto será incomum e no caso de ele ter, nos temos alguma equity. (FWIW, é um c/r, folde para 3bet, nos, obviamente, não queremos colocar nosso stack em risco com A high e um gutshot). Dessa maneira que o tamanho da aposta se enquadra: no primeiro exemplo, vamos supor que seu oponente cbet 6bbs into 8bbs, você deve dar c/r para 18bbs com quase tudo. No segundo caso, vamos dizer que nosso oponente cbet 8bbs into 10bbs, alguem dá call, você deve dar c/r para 30bbs com todo seu range (isto é para continuar consistente e evitar dar tells sobre tamanho de apostas). Estes são números para exemplo, mantenha algo em torno disso com seu range e você deve se dar bem.

3. Agora vamos imaginar que nos flopamos alguma mão feita em drawy board, vamos dizer 87 ou 55 em 965dd. Nesta situação nós, ao contrário, queremos jogar nossa mão fast e dar c/r (como discutimos anteriormente, mãos grandes devem ser slowplayed em board secos). Em boards com draws e textura, nós devemos optar em jogar nossas mãos quick, nossos oponentes serão muito mais inclinados a jogar suas mãos do tipo 1 pair/big draw fast para maximizar a FE, e, desde que eles não tenham nada, nos queremos shovar neste momento. Nestes boards deve ser, ocasionalmente, também, dado c/r com grandes draws, mas mantenha em mente que dependendo do seu oponente, você deve pesar seu range para o lado de mãos feitas, ao invés de draws (como você geralmente estará colocando seu dinhero no pot  perdendo/flipando maioria do tempo) e também há maneiras melhores de você jogar seu draw (FWIW big draw devem ser jogados com um c/r, por exemplo 98dd em 762dd, onde T9dd deve ser jogado com um c/c em 742dd [ao menos que seu oponente folde para c/r’s mais que a maioria, neste caso nós os exploraremos com c/r com draws e stone bluffs, e provavelmente c/c maioria das mãos grandes, ao menos que você esteja o perseguindo muito e você suspeita que ele está realmente p* com você]).

Float

1. Vamos, primeiramente, focar em floating com over cards. Primeiro de tudo, nos NUNCA daremos float OOP, é muito tricky e complicado, no geral -ev. Isto significa que todos seus floats devem ser feitos IP. O que nos fazemos ao dar float é dar call com mãos marginais com a intenção de ganhar a mão nas streets seguintes. Se nós nunca damos float, os outros simplesmente darão cbet em todos os flops e desistirão no turn, porque então ele saberá que eles não estarão ganhando no turn e farão com que nós sejamos muito fáceis de se jogar contra. Quando alguém cbet e você está IP você pode dar raise, call ou fold. Nós queremos balancear cada range. Dar raise em certas situações não é, simplesmente, uma boa ideia, porque nossos oponentes irão se tocar que nós damos bluff raises muito frequentemente e nós estaremos, basicamente, os dando passe livre para 3bet bluffs, com qualquer mão marginal. Também, ao dar raise em certas situações, nós jogamos fora a oportunindade de uma free card para completar nossa mão. De qualquer modo, vamos supor que o MP ou CO abra e nó damos call em posição com QJss. O flop vem T84r (com ou sem uma espada). Nosso oponente é um TAG normal e dá cbet (que ele geralmente estará fazendo com grande parte de seu range). Vamos dizer que em média ele abra 20% dar mãos dessas posições (combinados, mais do CO e menos do MP).

Vamos ver com o que o range dele se parece em relacão a este board:

Provável range padrão do vilão nessa situação.

Há muitas mãos do tipo 1 par ou nenhum par aqui. Esta é tambem uma estimativa bem conservadora, então se este é o topo do range dele, nós certamente podemos dar peel (c/c). Então vamos dizer que nós damos call na cbet e o turn foi blank, então ele check. Nesse spot nós executamos nosso float e betamos 60-75% do pot. Ele geralmente irá dar c/r ou c/f neste spot, pendendo para o fold. Se ele dá c/c, ele provavelmente tem T9 ou 99 ou algo assim, mas eu provavelmente desisto, ao menos que eu esteja certo de que ele tem algum underpair, que no caso betamos o turn E o river (FWIW, você deve fazer isso com mãos feitas como AT também e take him to valuetown!).

Ok, agora vamos supor que nos acertamos nossa gin card, 9. Denovo ele dá check. Nós não temos opção a não ser betar e esperar que ele dê c/r para nós shovarmos. Se ele betar denovo, então é porque provavelmente ele tem alguma mão forte, e até este ponto, eu, provavelmente, daria um raise de tamanho médio. Então vamos dizer que ele bete 15bbs into 22, ou algo assim, no turn, eu provavelmente faria algo em torno de 40bbs para tentá-lo a dar call com algo como JJ ou QQ, ou para, esperancosamente, reshovar uma mão feita pior. No caso de que eu saiba que meu oponente é spewy ou irá dar triple barrels loose, dar call é melhor, mas dar raise, provavelmente, é um bom padrão. Agora, vamos supor que nós acertamos algo como As ou Ks. Nesse spot, se ele betar denovo, você deve só dar call. Neste caso, se ele estiver representando e double barreling, nós ainda podemos tomar o pot dele no river se ele der check, e se ele tem mãos como 1 par, é provavel que ele irá querer pagar ao fazer TPTK. FWIW, dar raise não é uma jogada ruim, entretanto é uma variancia grande, e sem reads das tendências de call de double barrel é possivelmente melhor, porque, se Deus permitir que nós acertemos, nós realmente iremos ser pagos no river. Se ele é super agressivo, defivitivamente, dê raise. Agora vamos supor que nós acertamos uma Q ou J, e ele beta. Apenas dê call novamente e descubra o que fazer no river. Você normalmente terá que foldar, ao menos que o jogador esteja fora de linha (triple barreling). Contudo, vamos supor que ele lhe de uma oportunidade betando 1/2 pot. Dê call e veja o que ele está a fazer. Agora vamos supor que ele dê check, vamos fazer igual nós fazemos quando nós erramos, e betar, alguns jogadores irão dar c/c com algo como Tx ou 99 neste board (o que é ruim) e nós, certamente, estaremos procurando em valuetown esses kras. Fold se levar c/r, a não ser que tenha um read fenomenal. Eu devo mencionar que, embora esse board seja rainbow você pode tambem dar float com algo como um flush draw, entao vamos dizer que o flop vem Td8c3d, você pode dar float neste board, e, contudo, você deve saber que, nas outras streets, você deverá representar um flush para tornar lucrativo. Isso é mais tricky e deve ser jogado assim raramente, não tente ficar louco com isso porque é uma variancia mais alta mas, certamente, é uma boa jogada se você ficar confortável e representar o flush em outras streets.

2. Agora, vamos dizer que nós temos T9s nesta situação e o board tem A72r ou K85s, desde que nós saibamos que nossos oponentes irão cbetar MUITOS boards A ou K high, nós certamente devemos dar float. Nessas situações, nós temos no minimo um backdoor straight draw, se não um flush draw. Se ele der check no turn, bete 100% das vezes (é por isso que você deu o float, não?), e se ele betar denovo, dÊ call se você conseguiu um draw. Se você fazer middle pair e ele betar denovo, depende dele. Se ele pensa que você está peeling (c/c) o flop light (isto requer um bom read, não faça isso cegamente) então você pode dar peel em outra street, mas nunca em 3 improváveis sem reads. FWIW, esta mão com esses flops é outro bom spot para dar bluffraise IP, mas eu não acho que é preferencial, você geralmente quer mixar. Se eu tivesse que dizer uma frequência, eu diria raise 15%, float 35%, fold 50%.

Parte V

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: